PUBLICIDADE
Ceará
Noticia

150 km da rede de drenagem de Fortaleza deverão ser inspecionados por videomonitoramento

Prefeitura lançou edital para empresa que execute a ação, que deverá servir para fiscalizar ligações clandestinas e diminuir o despejo irregular em rios e mares

14:38 | 11/06/2021
Rede de drenagem é usada de forma ilegal
 (Foto: FABIO LIMA)
Rede de drenagem é usada de forma ilegal (Foto: FABIO LIMA)

A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal do Urbanismo e Meio Ambiente (Seuma), abriu um edital para a contratação de uma empresa para execução de serviços de videomonitoramento capaz de realizar a inspeção na rede de drenagem de águas da bacia da vertente marítima do município.

As ações visam diminuir a carga de poluição nos oceanos, aumentando a fiscalização para diminuir o despejo irregular de esgotos clandestinos: “Sabe-se que há muita ligação clandestina de esgoto no sistema de drenagem. Onde é para passar água da chuva acabam correndo esgoto. Para evitar pagar as taxas da Cagece, as pessoas realizam uma ligação clandestina”, explica o doutor em Saneamento, professor do Instituto de Ciências do Mar (Labomar), da Universidade Federal do Ceará (UFC), Michael Viana.

De acordo com o edital e com informações da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Seuma) , a fiscalização deve acontecer em torno de águas pluviais da Bacia da Vertente Marítima, com aproximadamente 150 km. A Vertente Marítima é o nome de uma das bacias hidrográficas de Fortaleza, trata-se de um território responsável pelo escoamento da água da chuva em direção ao mar. Viana relata que as pessoas utilizam indevidamente essas ligações para despejar seu esgoto.

LEIA MAIS | Escolas do ensino médio são autorizadas a ter aulas presenciais no Ceará

Projetos cearenses buscam reduzir os impactos da pobreza menstrual no Estado

"A empresa que for aprovada neste edital vai usar a tecnologia para identificar essas ligações clandestinas e evitar que esses esgotos sejam lançados de forma bruta, alcançando de forma parasitária o ecossistema marinho", conta o professor.

Algumas pessoas acabam fazendo ligações clandestinas por questões socioeconômicas, lançando os esgotos na rede de drenagem urbana para não pagar a taxa. Cerca de 100 milhões de pessoas não têm serviço de coleta de esgotos no País, segundo o ranking de saneamento, apresentado pelo Instituto Trata Brasil neste ano.

O professor Viana defende ainda um beneficiamento para populações de baixa renda em comunidades que as pessoas não possuem condições para arcar com esses custos. "A Cagece tem o programa de tarifa social para esses casos, mas ela deve ser amplamente divulgada para contemplar essa população", argumenta.

O projeto do edital em questão é chamado de Fortaleza Cidade Sustentável (FCS). A capital cearense recebeu financiamento do Banco Mundial para cobrir os custos do FCS, e pretende aplicar parte dos recursos para pagamentos no âmbito da contratação de empresa especializada na execução do projeto.

Conforme o edital, os serviços serão realizados nas galerias de águas existentes nos bairros da Vertente Marítima: Barra do Ceará, Cristo Redentor, Pirambu, Carlito Pamplona, Jacarecanga, Monte Castelo, Farias Brito, Centro, Praia de Iracema, Meireles, Aldeota, Mucuripe, Varjota, Papicu, Vicente Pinzón, Cais do Porto e Praia do Futuro.

Adicionalmente à atividade de vídeo-inspeção, o documento especifica que a empresa contratada deverá executar ainda os seguintes serviços complementares:

  • Levantamento Topográfico Cadastral;
  • Limpeza e desobstrução de galerias pluviais tubulares e celulares que se encontrarem obstruídas por qualquer material sólido;
  • Tamponamento de ligações clandestinas de esgoto - a empresa deverá realizar serviços complementares de tamponamento das ligações clandestinas de esgoto identificadas na vídeo inspeção;
  • Serviços de acompanhamento social e de comunicação.


Sobre a limpeza 

 

Limpeza e desobstrução de galerias pluviais trata-se da ação de retirar materiais que entram pelos bueiros nas ruas da Cidade e acabam entupindo as galerias, impedindo que a água escoe, causando o que a gente conhece como enchentes, comum na capital.

Tamponamento de ligações clandestinas de esgoto servirá para evitar que o esgoto por ligações clandestinas alcancem as ligações pluviais, onde deveriam apenas percorrer água de chuva, alçando o oceano e causando impactos negativos ao ambiente marítimo.

Levantamento Topográfico Cadastral dirá se as instalações de drenagem e galerias pluviais estão posicionadas de forma adequada em termos de nível e desnível topográfico. A ideia é que a água da chuva escoe por gravidade, em caso de desníveis, precisa-se haver um concerto.

Esgoto para o mar

 

O esgoto possui muita matéria orgânica, devido às nossas atividades humanas. Viana argumenta que se esse material orgânico não for removido adequadamente antes de alcançar o ambiente oceânico ou rio, a tendência é que esse corpo de água (oceanos e rios) sofra com a diminuição da concentração de oxigênio dissolvido.

Essa poluição causa também um alto índice de concentração de nitrogênio e fósforo, responsáveis por causar uma proliferação de algas, que liberam toxinas e causam a obstrução da passagem de luz. Isso porque as algas se concentram na superfície do ambiente marinho.