PUBLICIDADE
Ceará
Noticia

Especialista em tubarões explica que animal visto em Cascavel não deveria ter sido amarrado e morto

Segundo o professor Vicente Faria, o tubarão-cabeça-chata tem o hábito de se aproximar da costa. Naquele momento, o animal estava em seu habitat, passaria pela área e depois seguiria seu caminho, se não tivesse sido capturado e morto

15:17 | 15/03/2021
Tubarão-cabeça-chata morto na praia do Balbino, Cascavel (Foto: Reprodução/ Whatsapp)
Tubarão-cabeça-chata morto na praia do Balbino, Cascavel (Foto: Reprodução/ Whatsapp)

Um tubarão da espécie Carcharhinus leucas, popularmente conhecido como tubarão-cabeça-chata, foi avistado por banhistas e pescadores que estavam nas águas rasas da praia do Balbino, em Cascavel, no litoral cearense.

O caso aconteceu no domingo, 14. As pessoas que estavam no local registraram fotos e vídeos do tubarão enquanto o animal nadava na costa da praia. Logo em seguida, os registros que viralizaram nas redes sociais foram de pescadores arrastando o animal de seu habitat até a faixa de areia e matando o tubarão.

A espécie avistada tem o hábito de se aproximar da costa, podendo adentrar entre rios e lagos. É o que comenta Vicente Faria, professor da Universidade Federal do Ceará (UFC) e especialista em tubarões e raias.

O professor lamenta o caso e diz que o animal que estava em seu habitat, e que apenas passaria e seguiria seu caminho. “Seria o caso de comunicar autoridades e ajudar banhistas a se afastarem. Isto poderia ser feito apenas por precaução, porque não temos registros de interações dessa espécie com humanos na costa do Ceará”, afirma.

De acordo com Vicente, os tubarões e raias têm um papel fundamental no ambiente marinho. Os tubarões são predadores do topo da cadeia alimentar do mar. “Sua retirada indiscriminada altera muito o ambiente”, enfatiza.

De acordo com o professor, em um âmbito global, diversas espécies e populações já são consideradas ameaçadas de extinção. “Sendo um animal de grande porte e de hábitos costeiros, o tubarão-cabeça-chata ainda enfrenta mais impactos ambientais devido à atividade humana”, alerta.

Vicente Faria afirma que alguns estudos já apontaram evidência de declínios populacionais desta espécie. "Mas é necessário conhecer mais sobre as condições das populações deste tubarão. A espécie segue potencialmente em vias de ameaça", conclui o docente.

Em nota, publicada horas depois das ações na Praia do Balbino, a Prefeitura de Cascavel afirma repudiar o ato de violência contra o tubarão. “A Secretaria de Agricultura, Pesca, Meio Ambiente e Defesa Civil do município informa que a Polícia Ambiental já está tomando as medidas cabíveis para resolver o caso”.