PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Policiais envolvidos na morte de adolescente alegam tiros por defesa; versão contraria a de populares

Agentes afirmaram que foram recebidos por tiros de arma de fogo na comunidade e acabaram revidando, encontrando o garoto baleado em seguida

18:24 | 23/02/2021
Francisco Rudson tinha 15 anos e morreu na tarde desta segunda-feira, 22. (Foto: Arquivo Pessoal)
Francisco Rudson tinha 15 anos e morreu na tarde desta segunda-feira, 22. (Foto: Arquivo Pessoal)

A equipe policial presente na ação que resultou na morte de Francisco Rudson, 15, na madrugada de segunda-feira, 22, no bairro Passaré, em Fortaleza, relatou sua versão do ocorrido. Conforme nota emitida pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), os agentes afirmaram que foram recebidos por tiros de arma de fogo na comunidade e acabaram revidando, encontrando o garoto baleado em seguida. Versão é contrária à de populares que presenciaram a ação.

De acordo com os policiais, a ação teve início quando uma equipe que circulava monitorando a região teria sido alvo de tiros de armas de fogo. Uma ocorrência foi aberta logo em seguida e agentes da Policia Militar do Ceará (PMCE) foram enviados ao endereço indicado, e descreveram que teriam sido recebidos com mais tiros, revidando em defesa. 

A equipe alega que, momentos depois do tiroteio, o adolescente foi encontrado baleado dentro de uma residência que estava em construção. Rudson teria sido então encaminhado para uma unidade médica por policiais, mas acabou não resistindo e chegando a óbito no local.

O relato dado por policiais, no entanto, não bate com a versão que populares - presentes no momento da ação - informaram ao O POVO na noite de segunda-feira. De acordo com essas fontes, anônimas por motivos de segurança, o adolescente estava em um aniversário quando os agentes chegaram na madrugada, por volta das 3 horas, solicitando que todas as pessoas que não morassem no local começassem a correr para suas casas.

| LEIA MAIS | Caso Mizael: Polícia realiza reconstituição do crime

Conforme fontes, Francisco e os amigos teriam obedecido comando, mas ainda assim foram perseguidos por policiais, que atiraram enquanto eles corriam. O adolescente tentava se esconder por trás de uma caixa d'água quando foi alvejado por um dos disparos e, mesmo ferido, ainda teria sido agredido pelos militares.

Amigos do adolescentes também teriam vitimas de agressão, ficando com ferimentos. O quadro mais grave, no entanto, foi o de Rudson, que foi alvejado e chegou a ser levado tanto para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) quanto para o Instituto Doutor José Frota (IJF), mas acabou falecendo durante a tarde.

De acordo com SSPDS, o caso foi direcionado para o plantão da Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), onde um inquérito foi instaurado para investigar a ação e já contou com o depoimento de dois adultos. Segundo a Secretaria, um ato infracional "análogo ao crime de tentativa de homicídio contra os policiais foi lavrado em desfavor do adolescente".

Como resultado da ocorrência, os policiais teriam ainda apreendido um simulacro de arma de fogo, trouxinhas de maconha e cocaína, um revólver calibre 32 e um quantitativo de munições. 

Populares realizam manifestação

Momentos depois da morte de Rudson ter sido confirmada, na segunda-feira, familiares e moradores do local se reuniram para protestar contra a ação policial. Nos cartazes que seguravam, frases como “Segurança não é humilhar, bater, nem torturar; mas sim proteger” e "As mães pedem socorro".

Manifestação aconteceu na noite desta segunda-feira, 22.
Manifestação aconteceu na noite desta segunda-feira, 22. (Foto: Arquivo Pessoal)

De acordo com a SSPDS, foram convocados ao local equipes do 19º Batalhão de Polícia Militar do Ceará (PMCE) e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE). Durante ato, populares chegaram a atear fogo em protesto, mas equipes debelaram chamas e ninguém ficou ferido. Um galão contendo material inflamável foi apreendido.

Confira nota na íntegra:

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informa que equipes do 19º Batalhão de Polícia Militar do Ceará (PMCE) e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE) foram acionadas, na noite dessa segunda-feira (22), para atender uma chamada no local onde havia uma manifestação no bairro Passaré – Área Integrada de Segurança 7 (AIS 7) de Fortaleza.

Informações colhidas no local apontam que a manifestação teria como motivo a morte de um adolescente, ocorrida na madrugada (22), em razão de, segundo relatos da composição que atendeu a ocorrência, tiros terem sido disparados em direção aos policiais que atuam no policiamento na área. Equipes da PMCE que foram acionadas para atender a ocorrência de disparos de arma de fogo, quando chegaram ao endereço indicado, teriam sido recebidos a tiros e revidaram. O adolescente foi encontrado baleado dentro de uma casa em construção no bairro Barroso (AIS 3). Ele foi socorrido, mas teve óbito confirmado em uma unidade de saúde. Na ocasião, um revólver calibre 32 e munições foram apreendidos durante a ocorrência.

O caso foi apresentado ao plantão da Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA), onde um ato infracional análogo ao crime de tentativa de homicídio contra os policiais foi lavrado em desfavor do adolescente. Ainda durante a ofensiva, dois adultos foram conduzidos para a DCA e foram ouvidos em um inquérito instaurado por portaria para aprofundamento das investigações. Um simulacro de arma de fogo e trouxinhas de maconha e cocaína foram apreendidos. A Polícia Civil investiga os fatos.

Sobre a manifestação realizada pelos moradores, os bombeiros debelaram as chamas no local e não houve feridos. Durante as diligências, os policiais apreenderam um galão contendo material inflamável.