PUBLICIDADE
Ceará
Noticia

Sindicato dos Médicos realiza eleição hoje; veja entrevistas com os dois candidatos

Votação ocorre de forma remota, no site do sindicato, e virtual, na sede da entidade, de 8h às 20h

Ítalo Cosme
16:54 | 09/02/2021
Atendimento médico: comunidades indígenas recebem apoio no combate à Covid-19. (Foto: Divulgação/Ministério da Defesa)
Atendimento médico: comunidades indígenas recebem apoio no combate à Covid-19. (Foto: Divulgação/Ministério da Defesa)

Duas chapas disputam nesta quarta-feira, 10, a direção do Sindicato dos Médicos do Ceará (Simec-CE) para o próximo triênio, que se estende de 2021 a 2023. Além disso, também será escolhido o Conselho Fiscal da entidade. Dentre os 8 mil sindicalizados, 4 mil profissionais estão aptos a votar na eleição deste ano, que ocorre de duas formas: virtual pelo site e também presencial, na sede sindical, em Fortaleza, das 8h às 20h.

A Chapa 1 "Seguir Avançando" se posiciona como uma opção de continuidade às ações realizadas na última gestão. O candidato a presidente é o radiologista Leonardo Alcântara, ex-diretor financeiro do Sindicato. A candidata à vice-presidência, Daniele Oliveira Barros, é médica anestesista nas iniciativas privada e pública.

Formado pela Universidade Federal do Ceará (UFC) em 2007, Leonardo foi presidente da Sociedade de Radiologia do Ceará e atualmente é diretor financeiro do Sindicato dos Médicos do Ceará. “A principal expectativa do dia de hoje é que os colegas compareçam e votem. Eles têm um momento único de poder escolher quem vai representá-los durante os próximos anos. Os projetos para essa entidade são bem diferentes entre as duas chapas. Então, a escolha desses colegas vai ser o norteador de como a nossa entidade vai funcionar a partir de então”, pontua. 

A Chapa 2 "Médicos e Médicas em Defesa da Vida, da Ciência e do SUS", que tem à frente Liduína Rocha, como candidata à presidência, e o infectologista Roberto da Justa, como vice-presidente, está disputando a eleição como oposição à atual diretoria da entidade.

Liduína Rocha é médica há 26 anos. Foi presidente da Associação Cearense de Ginecologia e Obstetrícia e pertence, atualmente, ao conselho fiscal da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. No início deste mês, com a ausência de representantes da Chapa 1, Liduína e Da Justa participaram do programa Debates do POVO, da rádio O POVO/CBN, onde pediram diálogo e criticaram o negacionismo da atual gestão. 

Para Liduína, a expectativa para esta eleição é de que a entidade siga um novo caminho. "O desejo de os médicos cearenses passem a ter uma direção do Sindicato de seriedade contra a pandemia, competência na defesa dos médicos, transparência nas contas, bom uso do dinheiro dos associados, sem 'contribuição negocial' que muitos colegas nem sabem que pagam, sem uso do Sindicato como trampolim para projetos políticos pessoais, sem um Sindicato alinhado cegamente com o Governo Federal, a ponto de esquecer o papel que deveria ter no combate à pandemia e na defesa dos direitos". 

Confira entrevistas com os dois candidatos a presidente:

Entrevista: Leonardo Alcântara (Chapa 1)

Leonardo Alcântara é candidato a presidência do Sindicato dos Médicos pela Chapa 1
Foto: Divulgação
Leonardo Alcântara é candidato a presidência do Sindicato dos Médicos pela Chapa 1

Quais as primeiras mudanças a serem feitas caso ganhe esta eleição para o Sindicato dos Médicos?
As principais mudanças a serem feitas no Sindicato é deixá-lo mais moderno e mais eficaz. Os processos precisam ser mais ágeis. Já houve grande ganho nos últimos anos, mas é possível, principalmente, através de sistemas de informação e digitalização de processos, conseguir ainda mais eficiência nos nossos serviços prestados aos médicos.


De que forma a entidade deve contribuir com as pesquisas relacionadas à pandemia e a vacinação contra a Covid-19?

O Sindicato já desempenha um papel extremamente relevante. Foi o principal agente que garantiu os EPIs aos médicos no início da pandemia, para que pudessem atuar de forma tranquila e segura. Em seguida, também garantiu que médicos sob um risco maior, que participavam do dos grupos de risco, pudessem ser afastados das suas funções. Junto a isso, o Sindicato ainda conseguiu que estudantes de medicina se graduassem, já no final da faculdade, para que eles adentrassem a essa linha de frente de combate a Covid.
Então, o Sindicato pode continuar atuando dessa forma. Agora, a principal missão, no que diz respeito à pandemia, é assegurar a vacinação de todos. Toda população, todos os profissionais de saúde e no caso do nosso sindicato, todos os médicos precisam ser vacinados o mais rápido possível. O Sindicato já vem se movimentando, lançando campanha e levantando o que é necessário para que essa vacinação ocorra o mais rápido possível.

Qual mensagem deixa aos médicos cearenses hoje?
Hoje é um dia extremamente importante, vocês podem escolher entre dois projetos bem diferentes. Vocês vão ver um projeto da chapa 1, em que o sindicato, ele se propõe a se voltar para defender o médico no seu campo de atuação. Você vai ver um segundo projeto com um cunho muito mais voltado para uma ideologia, com bandeiras que muitas vezes não conversam com as bandeiras médicas. Então, esses são os dois projetos que vão ser apresentados. Cabe a você escolher o melhor projeto.

 

Entrevista: Liduína Rocha (Chapa 2)

Liduína é candidata a presidência do Sindicato dos Médicos pela chapa 2
Foto: Divulgação /OPOVO
Liduína é candidata a presidência do Sindicato dos Médicos pela chapa 2

Quais as primeiras mudanças a serem feitas caso ganhe esta eleição para o Sindicato dos Médicos?

Vamos trabalhar por um novo caminho para o Sindicato dos Médicos, como tantos e tantos colegas afirmaram que desejam, que é necessário. Os médicos cearenses deixaram muito claro, ao longo dessa campanha, o desejo de passarem a ter uma direção do Sindicato de seriedade contra a pandemia, competência na defesa dos médicos, transparência nas contas e bom uso do dinheiro dos associados. 

De que forma a entidade deve contribuir com as pesquisas relacionadas à pandemia e a vacinação contra a Covid-19?
Diferentemente da omissão na defesa dos médicos durante a pandemia e das escolhas erradas que infelizmente teve desde o início da crise do novo coronavírus, reproduzindo e endossando "fake news", divulgando falso "tratamento precoce" defendido pelo Governo Federal mesmo sabendo que não tem fundamento científico, o Sindicato dos Médicos precisa passar a ter um papel ativo no enfrentamento à pandemia, nos cuidados com os médicos, com os pacientes, com toda a sociedade, diante da realidade e de todas as consequências da Covid-19.

Qual mensagem deixa aos médicos cearenses hoje?
Convidamos os colegas médicos a votar Chapa 2, comigo e com nosso candidato a vice, Roberto da Justa, e a fazer valer o desejo de um Sindicato de seriedade contra a pandemia e de competência na defesa dos médicos e da Medicina. De transparência, credibilidade, experiência, sensibilidade, disposição para o diálogo com os colegas médicos, gestores públicos, demais entidades médicas, sociedades de especialidades, universidades, com todos que valorizam os médicos e a Medicina, a vida, a ciência, o SUS, a saúde. Votando tanto para a Diretoria quanto para o Conselho Fiscal, esperando completar seu voto até o fim, para que ele seja devidamente registrado.

Serviço

Quando votar: 10/02/2021
Horário da votação: 8h às 20h
Voto virtual: informa CPF e recebe código por e-mail ou celular

Site: www.sindicatodosmedicosdoceara.org.br

Voto presencial: rua Pereira Filgueiras, nº 2.020, 9º andar, sede do Sindicato dos Médicos do Ceará