PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Suspeito de tentar matar moradores em Beberibe teria reunido pessoas armadas para expulsar habitantes com tratores

Entrevista coletiva realizada pela Polícia Civil, na tarde desta terça-feira, 8, revelou detalhes sobre a linha investigativa do caso

19:32 | 08/12/2020
 CASAS demolidas na comunidade Tabubinha, em Morro Branco (Foto: DEFENSORIA PÚBLICA DO CEARÁ/DIVULGAÇÃO)
 CASAS demolidas na comunidade Tabubinha, em Morro Branco (Foto: DEFENSORIA PÚBLICA DO CEARÁ/DIVULGAÇÃO)

Em entrevista coletiva realizada na tarde desta terça-feira, 8, na sede da Superintendência da Polícia Civil, detalhes foram revelados sobre o caso do empresário que foi preso suspeito de tentativa de homicídio contra moradores da Comunidade Tabubinha, em Beberibe. O cearense de 67 anos foi detido em Brasília, nessa segunda-feira, 7, durante a Operação Dunas, executada pela Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) em parceria com a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF).

A Polícia Civil, que vem trabalhando com apoio da Coordenadoria de Inteligência (Coin) e da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), apontou que, segundo a investigação, o empresário teria arregimentado pessoas armadas para expulsar os moradores de seus imóveis.

De acordo com o levantamento, foram registradas duas ocorrências recentes nas quais homens armados teriam ido a um terreno, utilizando tratores, para destruir edificações de moradores. Em todas as ações, o grupo fazia questão de dizer que estava a serviço do suspeito.

Assim, a investigação vai reforçando a denúncia, de que o acusado teria comandado uma série de ameaças e destruição de casas na região, possivelmente por interesses comerciais. Além de sua prisão, também houve apreensão de mais de meio milhão de reais em moedas nacional e estrangeira no apartamento do empresário.

Outro ponto revelado na coletiva foi de que os investigadores identificaram que um dos veículos utilizados nas invasões está registrado no nome de uma das empresas do investigado. Os policiais reconstruíram o trajeto feito pelos automóveis nos dias dos crimes e confirmaram que eram os mesmos localizados.

A Polícia Civil reforçou que mantém o trabalho investigativo, reunindo o material recolhido durante a Operação Dunas. O nome do preso ainda não foi revelado porque as investigações ainda estão em andamento.