PUBLICIDADE
Ceará
Noticia

Mais de 340 kg de cocaína são apreendidos no Porto do Pecém; três homens são presos

Na ação da Polícia Federal em conjunto com a Receita, três homens foram presos em flagrante e encaminhados à sede da PF

10:07 | 12/09/2020
Policias federais interceptaram os mais de 340 Kg de cocaína nas dependências do Porto do Pecém. (Foto: Divulgação)
Policias federais interceptaram os mais de 340 Kg de cocaína nas dependências do Porto do Pecém. (Foto: Divulgação)

Atualizada às 14h24min

A Polícia Federal (PF), em operação conjunta com a Receita Federal, apreendeu 346,80 quilos de cocaína nesta sexta-feira, 11 de setembro (11/09), em ação nas dependências do Porto do Pecém, Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Três homens foram presos em flagrante e encaminhados à sede da PF.

O trio, encontrado dentro de um veículo com a droga, responderá pelos crimes de tráfico internacional de drogas e associação para o tráfico, cujas penas podem variar de 7 a 25 anos de reclusão. Veja mais registros da apreensão:

Clique na imagem para abrir a galeria

Com o objetivo de identificar qual o destino da substância, as investigações seguem em prosseguimento. Ação da PF em conjunto com a Receita Federal faz parte do reforço policial na segurança dos portos, incrementado por meio da Comissão Estadual de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis (Cesportos).

Em nota, o Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CIPP) enalteceu a operação realizada nas dependências do terminal portuário do Pecém. "Ressaltamos nossa permanente colaboração com todas as autoridades e órgãos competentes, sempre presentes em nossas operações. O Porto do Pecém possui vigilância 24h/7x por semana, além de scanner para contêineres e sistema de monitoramento com câmeras de vigilância, inclusive em toda a sua área alfandegada. O Complexo do Pecém reforça, portanto, seu total compromisso com a segurança de todas as suas operações", diz a nota.

INVESTIGAÇÃO

A investigação da Polícia Federal foca agora em descobrir a origem e o destino dos mais de 340 kg de cocaína. Segundo Carlos Wilson Albuquerque, auditor fiscal e delegado da Alfândega de Fortaleza da Receita Federal, o modus operandi do trio seria despachar essa droga no momento que o contêiner subisse no navio. O que chamou atenção das autoridades para que a movimentação no porto fosse observada foi um credenciamento "estranho" no local, "um pedido de adentramento ao porto, onde só pode entrar se estiver credenciado", disse Wilson.

A partir de então, o trio passou a ser monitorado, o que resultou na prisão em flagrante na sexta, 11. No entanto, segundo o delegado da operação, Paulo Henrique Oliveira Rocha, o trabalho de investigação no porto começou ainda em 2019, quando uma carga significativa de cocaína também foi apreendida. Desde então, um trabalho de inteligência foi iniciado para detectar qualquer tipo de atividade suspeita. "Possivelmente essas pessoas (as três presas) foram cotadas para fazer o ingresso de drogas no porto. Depois dessa identificação, foi feito um monitoramento da movimentação e a abordagem. Os próximos passos são ver a origem e destino da droga", acrescenta o delegado.

Em nota, a PF afirmou que, além das ações de polícia judiciária, a Polícia Federal está reforçando suas demandas de incremento na segurança do porto, nas reuniões da Comissão Estadual de Segurança Pública nos Portos, Terminais e Vias Navegáveis – Cesportos/CE.

TRÁFICO PELOS PORTOS

Ano passado, O POVO mostrou em reportagens a prioridade das quadrilhas com o tráfico pelo mar e como é a segurança no porto do Pecém. Na última década, 75,5 toneladas foram apreendidas em portos brasileiros. Apenas entre 2015 e 2018, cocaína retida nos portos nacionais passou de 1,5 para 27,3 toneladas.

O POVO chegou na apuração a partir da apreensão de 20 quilos de cocaína, em tabletes, que iriam ser despachados do porto do Mucuripe, escondidos dentro do motor de um contêiner refrigerado. Caso ocorreu em outubro de 2018, num flagrante acidental.