PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Responsável por aplicação de punições do PCC é preso no Ceará; Polícia utilizou app de reconhecimento facial

Victor William Silva de Oliveira, 28, mora no Distrito Federal teve mandado de prisão cumprido na tarde desta terça, 11, na cidade de Maracanaú. A suspeita é de que ele é integrante do PCC e ele não tinha passagens pela Polícia

13:48 | 12/08/2020
Delegado adjunto da Draco, Kléver Farias. Foto: Angélica Feitosa
 (Foto: Foto: Angélica Feitosa)
Delegado adjunto da Draco, Kléver Farias. Foto: Angélica Feitosa (Foto: Foto: Angélica Feitosa)

Um aplicativo de reconhecimento facial foi usado pela Polícia Civil do Ceará para a prisão, na cidade de Maracanaú, na Região Metropolitana de Fortaleza, de uma integrante do Primeiro Comando da Capital (PCC), com mandado de prisão em aberto no Distrito Federal. Victor William Silva de Oliveira, 28, não tinha passagens pela Polícia e é acusado de ser o responsável pela aplicação de punições em componentes da facção que infringem as regras. Ele foi encontrado na casa de uma mulher na cidade, na tarde desta terça, 11. Não consta, na Polícia, nenhuma acusação contra a mulher.

Leia também |

"O decretado": a história do promotor sentenciado pela cúpula do PCC

Lincoln Gakiya: "fazer parte de facção não pode valer a pena"

Fuga de Marcola teria explosões, rodovia interditada e custaria R$ 100 milhões

O caminho para chegar até ele foi o aplicativo Portal de Comando Avançado (PCA). O app, que pode ser instalado em celulares, foi criado com o objetivo de fornecer informações gerenciais para a áreas operacional e administrativa da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará (SSPDS), integrando os serviços da Policia Militar, Policia Civil, Corpo de Bombeiros e Perícia Forense. O aplicativo rastreia o banco de dados do Estado de pessoas que tiraram recentemente os documentos, seja de RG ou de Carteira Nacional de Habilitação (CNH), e faz a comparação com uma foto fornecida pelo usuário.

“A Polícia do DF chegou à informação (de que o suspeito estaria no Ceará) por meio de uma fotografia. A pessoa da foto estaria em contato com o Víctor”, informa Kléver Farias,  delegado adjunto da
Delegacia de Combate às Ações Criminosas Organizadas (Draco), que conduziu as investigações. Com o endereço da mulher fornecido pelo aplicativo, a Polícia montou campana e conseguiu chegar ao homem investigado. Segundo o delegado, o suspeito aparentava que já estava saindo da residência, com uma mochila pronta. Víctor não resistiu à prisão. Ele foi levado à Delegacia de Capturas e Polinter (Decap), no bairro José Bonifácio, e será conduzido à Brasília.