PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Influencer Mileide Mihaile realiza live sobre combate à violência doméstica nesta sexta-feira

O papo vai contar com a presença da presidente Associação dos Magistrados do Brasil (AMB), a juíza Renata Gil, que também idealizou a campanha Sinal Vermelho

Júlia Duarte
10:49 | 22/07/2020
A influenciadora já tinha usado suas redes sociais para promover a conscientização sobre o assunto (Foto: Reprodução/Instagram)
A influenciadora já tinha usado suas redes sociais para promover a conscientização sobre o assunto (Foto: Reprodução/Instagram)

A empresária e digital influencer cearense Mileide Mihaile vai promover nesta sexta-feira, 24, uma transmissão ao vivo sobre o combate à violência doméstica. O papo vai contar com a presença da presidente Associação dos Magistrados do Brasil (AMB), a juíza Renata Gil, que também idealizou a campanha Sinal Vermelho. A intenção é conversar sobre a vivência no enfrentamento à violência contra a mulher e repercutir os resultados da campanha.

Lançada em junho, a Sinal Vermelho busca incentivar as vítimas de agressão a denunciarem os abusos. A iniciativa proporcionou uma nova forma de procurar ajuda: mulheres de todo o País podem solicitar socorro em qualquer farmácia parceira da ação. De forma anônima, as denúncias pode ser feitas por meio do símbolo “X” desenhado em vermelho em uma das mãos, quando mostrado para qualquer funcionário do estabelecimento parceiro. Assim que identificado a intenção, a polícia é acionada para o atendimento à vítima e, então, a identificação do agressor.

Segundo a influenciadora, a live é uma forma de usar sua visibilidade nas redes sociais para abordar o tema e prestar apoio às vítimas.“Quero ajudar mais mulheres a se libertarem dessas situações. Não só as de violência física, mas também as de violência moral, patrimonial e psicológica. Quero que elas saibam identificar todas essas ocorrências e como pedir ajuda em todas elas. Acima de tudo, elas precisam saber quais são todos os seus direitos para que tenham coragem de denunciar, explica Mileide, em nota.

SAIBA MAIS | "Violência doméstica é pandemia dentro de pandemia", diz superintendente do Instituto Maria da Penha

Com o isolamento social imposto pela pandemia do novo coronavírus, os especialista alertam para o aumento do registro de casos. Isso porque o contexto de quarentena tem levado ao maior contato com o agressor, o que aumenta a exposição aos ataques, e, pela reclusão, à dificuldade de denunciar. Entre os dias 19 de março, início do isolamento social, e o dia 30 de abril, 288 casos de violência doméstica foram atendidos pela Defensoria Pública do Ceará.

De acordo com o órgão, cerca de 90% dos casos foram de agressão foram cometidos por cônjuge, companheiro, ex-companheiro, namorados ou ex-namorado dentro de casa. No Rio de Janeiro, o plantão judiciário registrou crescimento de 50%. Em Curitiba, as delegacias de plantão já sentiram o aumento no número de casos de violência doméstica no primeiro fim de semana de confinamento. Em São Paulo, uma casa de abrigo na Baixada Santista notificou que o movimento triplicou em apenas um dia.

No mundo, essa realidade se repetiu. Na China, os casos triplicaram durante o período de isolamento e na França, as agressões a mulheres aumentaram em 32% no interior do país e 36% em Paris e Região Metropolitana, segundo dados do Ministério do Interior.

Como denunciar

Vítimas ou testemunhas podem e devem denunciar casos de violência doméstica para os órgãos responsáveis. Como a medida de isolamento social se estende para praticamente todos os serviços, a Defensoria Pública do Ceará, o Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) e os serviços da Casa da Mulher Brasileira do Ceará e Delegacia da Defesa da Mulher (DDM) criaram canais de atendimentos remotos.

O principal continua sendo a Central de Atendimento à Mulher, pelo número 180. Em casos de flagrante, o ideal é ligar 190, para a Polícia Militar. Os canais darão as orientações adequadas para as denunciantes.

A Delegacia da Mulher funciona pelo número (85) 3108.2950. Já para flagrantes e descumprimentos de medidas preventivas, a DDM mantém atendimento presencial 24h. Boletins de ocorrência também podem ser preenchidos pela internet, por meio do link www.delegaciaeletronica.ce.gov.br/beo/ , que devem ser impressos e apresentados presencialmente da DDM mais próxima em casos de solicitação de medida protetiva de urgência.

Para contatar a Defensoria Pública, basta ligar para o número 129. Serviços de atendimento psicossocial da pasta estão disponíveis pelos WhatsApp (85) 9 9763.4909, (85) 9 8712.5180 e pelo e-mail [email protected] .

O atendimento do TJCE funciona pela Central de Atendimento Judicial (e-mail [email protected]), e também disponibiliza número do WhatsApp para casos de urgência: (85) 9 8869.1236.

Serviço 

Mileide Mihaile convida Renata Gil, presidente da Associação dos Magistrados do Brasil e idealizadora da Campanha Sinal Vermelho
Quando: sexta-feira, 24, às 19 horas
Onde: www.instagram.com/mileidemihaile/