PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Exército reforça segurança do Aterrinho da Praia de Iracema

A Operação Mandacaru conta com 2.500 militares no Ceará, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Piauí

00:00 | 24/02/2020
Exército esteve no Aterrinho da Praia de Iracema. Foto: Francisco Fontenele
Exército esteve no Aterrinho da Praia de Iracema. Foto: Francisco Fontenele (Foto: Francisco Fontenele)

A segurança do Aterrinho da Praia de Iracema, em Fortaleza, contou com o reforço de homens do exército, sob a escolta de carros militares, no domingo, 23. Chamada de Operação Mandacaru, ela conta com cerca de 2.500 militares nos estados do Ceará, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Piauí, e pretende, segundo o exército, “preservar a ordem pública, para normalizar a situação”. Do total do efetivo, 1.359 atuam no Ceará e Piauí.

Em coletiva realizada no último sábado, 22, os generais Fernando José da Cunha Mattos, comandante da operação, e Ulisses de Mesquita, comandante da tropa empregada da Força Tarefa, afirmaram que o exército deve atuar com foco prioritário em Fortaleza.

O general Cunha Mattos informou ainda que a partir do domingo, 23, o exército começou a atuar efetivamente para o cumprimento da ordem pública, com policiamento ostensivo. A presença de agentes de seguranças fardados, aponta o general, garante a identificação para civis, o que ajuda a preservar o patrimônio e a ordem pública. "O policiamento ostensivo realizado pelo Exército em Fortaleza inicialmente será o mesmo policiamento ostensivo que as pessoas veem nas ruas normalmente. Não pretendemos substituir a Polícia, mas pretendemos fornecer o mesmo nível de segurança que o cidadão encontra no seu dia a dia na Cidade", pontua.

Ulisses de Mesquita avisa que o Governo do Estado passou o controle operacional do Raio, o Choque e policiamentos especializados para o Exército. O Exército vai trabalhar em conjunto com esses órgãos de segurança pública para a manutenção dos índices de policiamento anterior às manifestações de policiais. Patrulhamentos a pé, motorizados, de pontos estratégicos, como ocorrem normalmente, serão feitos por militares. "Com a presença massiva da tropa, atuaremos em conjunto para a redução dos índices de criminalidade", conta.