Participamos do

Polícia Civil desarticula organização criminosa especializada em assalto a casas lotéricas

SSPDS e Sindiloce devem implantar medidas de segurança na Rede Lotérica a partir do investimento em tecnologia
08:55 | Fev. 13, 2020
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Três pessoas foram presas durante ação da Polícia Civil (PC) do Estado do Ceará para desarticular uma associação criminosa especializada em assalto a casas lotéricas. Entre os presos, havia dois foragidos da Justiça, acusados de envolvimento em uma extorsão mediante sequestro de um gerente de uma casa lotérica no bairro Messejana, em Fortaleza. As investigações apontam participação de sete pessoas, das quais seis estão presas e uma encontra-se foragida. As prisões ocorreram na Área Integrada de Segurança 3 (AIS 3) de Fortaleza, nessa quarta-feira, 12.

Foram capturados Izabele Rodrigues da Silva, 23, mais conhecida como “Francesa”, que já responde por tráfico de drogas e receptação; e Rodrigo Felício de Mendonça Neto, 29, o “Chineizim”, que tem passagem por tráfico de drogas, receptação, contravenção penal e crime de trânsito.

A dupla estava com mandado de prisão em aberto por tentativa de roubo a uma casa lotérica ocorrida em dezembro do ano passado, que resultou em uma extorsão mediante sequestro do gerente do estabelecimento comercial. Rodrigo também tinha mandado de prisão em aberto pelo crime de homicídio.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Após a identificação dos suspeitos, foi realizado cerco policial em uma residência na Travessa Pedro Lopes, no Guajeru, com o apoio de uma equipe do Departamento de Polícia Judiciária da Capital (DPJC) e da Guarda Municipal de Fortaleza (GMF). O grupo não reagiu à ação policial.

Além da dupla, os policiais prenderam Vitória Inácio dos Santos, 18, que não possuía antecedentes criminais. Ela foi autuada em flagrante junto com Isabele e Rodrigo pelos crimes de receptação, associação criminosa, posse irregular de arma de fogo, por integrar organização criminosa e por adulteração de sinal identificador de veículo automotor.

Durante as diligências, foi recuperado um veículo Hyundai HB20, localizado na residência onde o trio estava escondido, além de um revólver municiado calibre 38, seis aparelhos celulares, um som automotivo e documentos de outras pessoas. Diante do material encontrado, o trio foi autuado em flagrante.

De acordo com o delegado titular do 30º Distrito Policial, Maurício Júnior, as investigações seguem desde a ocorrência em dezembro, quando foram apreendidos dois suspeitos. “Iniciamos os trabalhos de investigação que levaram à identificação de mais cinco suspeitos. Entre eles, uma funcionária do local. Então representamos, junto ao Poder Judiciário, por mandados de prisão, busca e apreensão, que estão sendo cumpridos”, pontuou o delegado.

Extorsão mediante sequestro

Em 10 de dezembro de 2019, criminosos anunciaram assalto a uma lotérica no bairro Messejana, em Fortaleza. Na ocasião, um casal foi preso suspeito do crime, após tornar refém familiares do gerente do estabelecimento e tentar fazer a retirada do dinheiro no local. A Polícia foi acionada e capturou os dois envolvidos na ação criminosa.

Com a atividade frustrada, os demais participantes fugiram, e posteriormente foram identificados pelo 30º Distrito Policial. Ainda em dezembro, a Polícia Civil capturou outras duas mulheres envolvidas no caso. Uma delas era a funcionária da lotérica, Ana Karoliny da Silva, de 20 anos.

Segundo as investigações, Karoliny foi a responsável por fornecer informações privilegiadas da rotina do gerente do local e de seus familiares, e também sobre a movimentação financeira do estabelecimento.

Suspeito Alan Tabosa, de 23 anos, segue foragido
Suspeito Alan Tabosa, de 23 anos, segue foragido (Foto: Divulgação/PC)

Com as prisões dessa quarta-feira, resta apenas o suspeito foragido, Alan Tabosa, de 23 anos. Ele já tem antecedentes criminais por tentativa de homicídio, e segue procurado pelas autoridades policiais. As investigações da Polícia Civil continuam a fim de localizar outras vítimas do grupo.

Sindiloce

De acordo com o presidente do Sindicato das Empresas Lotéricas e Similares do Estado do Ceará (Sindiloce), Custódio Albano, a desarticulação da quadrilha é mais uma resposta à criminalidade no Estado. “A SSPDS tem desempenhado atividades importantes contra o avanço da violência, por meio da Polícia Civil e do secretário. O resultado é a desarticulação dessa quadrilha, que mostra para população a segurança do espaço lotérico”, ressalta.

Para ampliar as ações de segurança desenvolvidas pelo Governo Estadual, a SSPDS formou parceria com o Sindiloce para implantar um sistema de reconhecimento facial nas casas lotéricas. Somado a essa medida, deverá ser implantado o “botão de pânico” na rede lotérica, o mesmo adotado pelo sistema bancário, que se torna mais uma estratégia contra atividades de quadrilhas especializadas. As ações devem ocorrer ao longo desse semestre.

Com o investimento em tecnologia e foco na segurança, a Rede Lotérica informa que desenvolve medidas como a adoção de guichês blindados, recolhimento por meio de empresas de valores, implantação de cofres inteligentes e automatizados. Além de câmeras com sistemas de videomonitoramento, estruturas de acesso às dependências internas divididas em duas portas blindadas, treinamento de pessoal e segurança particular, entre outros. 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar