PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Ceará volta a ter área de seca grave depois de seis meses

Em março, o índice atingiu 8,55%, mas esteve de abril a setembro com índice de 0%. A taxa atual é de 15,49% em novembro

Izadora Paula
19:54 | 18/12/2019
Açude Castanhão está atualmente com volume de 3%, segundo dados da Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (Cogerh)
Açude Castanhão está atualmente com volume de 3%, segundo dados da Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (Cogerh) (Foto: Camila de Almeida)

Em publicação nessa segunda-feira, 16, o Monitor de Secas indicou significativo avanço do nível de seca grave no Ceará - a taxa, que era de 0,02% em outubro, passou para 15,49% no mês de novembro. Em março, o índice atingiu 8,55%, mas esteve de abril a setembro com índice de 0%. As informações são da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme).

As áreas mais atingidas estão localizadas a leste da macrorregião Jaguaribana e a oeste do Sertão Central e Inhamuns. Houve também aumento das secas moderadas e fraca, com percentuais de 53,62% e 22,74%, respectivamente.

Nível dos açudes

Conforme a Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), dos 155 açudes localizados no Ceará, 89 estão com volume abaixo dos 30%. O volume total em todos os açudes corresponde a apenas 14,96% da capacidade, segundo boletim atualizado nesta quarta-feira, 18.

A situação está muito crítica em 65 dos açudes e crítica (o que corresponde a volume entre 10% e 30% da capacidade) em 24 reservatórios. Apenas três açudes encontram-se com capacidade entre 80% e 100%, o que é considerado confortável.

Entretanto, em comparação com o mesmo período do ano passado a situação hídrica está mais confortável em 2019. Em 18 de dezembro de 2018, o volume total era de 11,01%. Segundo a Funceme, o Estado não apresentava área livre de seca relativa e a área considerada com seca extrema representava 20,68% do território.