PUBLICIDADE
Ceará
Noticia

Dezoito cidades decretam emergência por seca

Os municípios estão espalhados por várias as regiões do Estado. Cidades são abastecidas por caminhões-pipa

00:00 | 25/10/2019

Uma publicação no Diário Oficial do Estado desta quinta, 24, decreta situação de emergência em 18 municípios do Ceará. A razão é que o período chuvoso deste ano não foi suficiente para abastecer os reservatórios. Uma parte dessas cidades está sendo abastecida por carros-pipa. Com a publicação, o tenente coronel do Corpo de Bombeiros Militar, Oscar Gomes de Oliveira Neto afirma que, no total, foi decretada situação de emergência, somente este ano, em 57 cidades do Ceará.

"O papel do decreto é para que o Estado e a União possam abastecer a população que apresenta dificuldades tanto na área urbana quanto na rural. A operação carro-pipa chega, dessa vez, em dois municípios também na sede", informa o militar. Em situação ainda mais crítica, as cidades de Mombaça e Monsenhor Tabosa, no Sertão Central, estão sendo abastecidas de carros-pipa, inclusive nas sedes. As cidades incluídas no novo decreto são: Aiuaba, Boa Viagem, Campos Sales, Cariús, Catarina, Catunda, Deputado Irapuan Pinheiro, Jaguaretama, Lavra da Mangabeira, Milhã, Mombaça, Monsenhor Tabosa, Pedra Branca, Saboeiro, Salitre, Solonópole, Tarrafas e Umirim.

Segundo ele, o decreto legaliza e concede a continuação da operação carro-pipa. Autoriza ainda o pedido ao Governo Federal para o uso da Defesa Civil Nacional e para solicitar recursos, caso seja necessário. Foram escavados, pela Defesa Civil Estadual, mais de 200 poços profundos. Em mais de 70% deles, no entanto, a água não é potável ao consumo humano.

A situação em Lavras da Mangabeira é preocupante. Joaquim Lobo, chefe da Defesa Civil do município, avisa que a zona rural da cidade está em situação de calamidade. "A nascente do rio Salgado é no Crato e ele deságua no Castanhão. No caminho, pega todos os dejetos de todas as cidades e não passa por nenhuma rede de tratamento de esgoto. Não tinha condições de oferecer essa água para a população", informa.

Secretário da Agricultura do município de Catunda, no Sertão Central, Genivaldo Gonçalves explica que o "inverno (período chuvoso) não foi suficiente para encher o reservatório". Por conta disso, a cidade entrou no decreto de emergência. No entanto, segundo ele, em termos de agricultura familiar e de agropecuária, o abastecimento foi razoável. "O nosso reservatório está com 10,34% da capacidade. Mas, entre janeiro e junho, houve grandes precipitações. Só na sede, foram 1.020 milímetros", aponta. Os poços profundos cavados pela Superintendência de Obras Hidráulicas do Ceará (Sohidra) foram suficientes para manter a sede do município com o abastecimento de carros-pipa.