PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Tartaruga é encontrada morta na praia de Sabiaguaba

Causa da morte ainda não foi identificada. Tartaruga foi encontrada pelo Batalhão de Polícia do Meio Ambiente (BPMA) durante monitoramento do óleo nas rochas da praia de Sabiaguaba, que aconteceu na manhã da última quinta, 10

12:02 | 11/10/2019
Tartaruga não apresentou óleo na parte externa, por isso ainda não é possível afirmar se houve algum tipo de contaminação
Tartaruga não apresentou óleo na parte externa, por isso ainda não é possível afirmar se houve algum tipo de contaminação (Foto: Fabio Lima)

Ainda sem causa definida, mais uma tartaruga foi encontrada morta no litoral cearense. Dessa vez, na praia de Sabiaguaba que, no mesmo dia em que foi achado o animal, recebia equipes para retirar o óleo da superfície rochosa da região. A tartaruga da espécie Chelonia mydas, mais conhecida como Tartaruga Verde, foi encontrada pelo Batalhão de Polícia do Meio Ambiente (BPMA) por voltas das 9 horas dessa quinta-feira, 10, com algumas verrugas pelo corpo e parte de uma rede de pesca enroscada na sua nadadeira esquerda.

A necrópsia para constatar o verdadeiro motivo da morte será feita durante essa semana, mas não descarta-se a hipótese de contaminação pelo óleo que, desde setembro, aparece no litoral nordestino. Em entrevista ao O POVO Online, Débora Melo e Ícaro Ben Hur, voluntários do Instituto Verdeluz, contaram que já são seis tartarugas encontradas mortas no Ceará. Três delas em praias de Fortaleza. Esse instituto vem fazendo o recolhimento de animais atingidos por óleo no estado. Quando o BPMA encontrou a tartaruga verde, logo acionou o Verdeluz. 

"O animal estava com fibropapilomatose. Com algumas verrugas. Ela tava com a nadadeira esquerda enrolada em uma rede de pesca. Ela morreu ontem mesmo, ainda estava fresca", conta Ícaro. A fibropapilomatose se trata de uma doença infecciosa que acomete as tartarugas marinhas em todo o mundo, predominantemente a tartaruga-verde. "São tumores que crescem na pele do animal", acrescenta o voluntário.

A tartaruga não apresentou óleo na parte externa, por isso ainda não é possível afirmar se houve algum tipo de contaminação. "Pode ser que a rede de pesca tenha influenciado na morte da tartaruga", afirma Ícaro. Os voluntários levaram o animal para a Universidade Estadual do Ceará (Uece), no Laboratório de Patologia e Medicina Legal Veterinária (LPMLV) - Favet/Uece, onde o exame de necrópsia será feito.