PUBLICIDADE
Ceará
NOTÍCIA

Associação cearense leva R$ 17.846 no Caldeirão do Huck para proteger tatu-bola

A dupla cearense que representou a Associação Caatinga pedia que a plateia repetisse o grito de guerra "eu protejo o tatu-bola!"

19:03 | 15/06/2019
Dinheiro será aplicado em projeto que cuida da preservação do tatu-bola
Dinheiro será aplicado em projeto que cuida da preservação do tatu-bola(Foto: Divulgação/TV Globo)

A dupla cearense Sandino e Daniel, da ONG Associação Caatinga, conseguiu sair do jogo The Wall, no Caldeirão do Huck, com R$ 17.846. O dinheiro deve ser usado em projetos de preservação do tatu-bola, espécie ameaçada de extinção. No decorrer do programa exibido na tarde deste sábado, 15, os participantes chegaram a juntar R$ 180 mil. O dinheiro foi perdido em uma parte do jogo em que bolas vermelhas descontam valores para revelar o prêmio final.

No começo dos descontos, Daniel teve sorte, pois as bolas vermelhas caiam em valores baixos. Quando uma delas retirou R$ 1 do total, Luciano Huck e o cearense imitaram a forma que o tatu-bola fica quando percebe perigo. Durante o programa, os participantes pediram para que a plateia repetisse o grito de guerra “eu protejo o tatu-bola!”.

Antes da última rodada, a dupla ainda tinha mais de R$ 160 mil. Foi quando a última bola vermelha caiu no quadrado que descontou R$ 150 mil de uma só vez. Com isso, restou R$ 17.846, que foi o prêmio final. Luciano Huck parabenizou o projeto pelos mais de 20 anos lutando pela preservação do bioma da Caatinga.

Luciano Huck e Daniel imitaram o tatu-bola em comemoração durante o jogo
Luciano Huck e Daniel imitaram o tatu-bola em comemoração durante o jogo (Foto: Divulgação/TV Globo)

Redação O POVO Online