Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Voos da Azul podem ser cancelados após afastamento de funcionários por Ômicron e influenza

Número de afastamentos médicos cresceu 405% em janeiro; principais motivos são infecções por covid-19 e H3N2
15:52 | Jan. 08, 2022
Autor Carlos Viana
Foto do autor
Carlos Viana Assistente Núcleo Opinião
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) informou que a companhia aérea Azul teve um crescimento de 405% no número de dispensas médicas de seus funcionários na primeira semana de 2022, o que pode ocasionar o cancelamento de “centenas de voos”. As dispensas médicas são, em sua maioria, por infecção da Ômicron, nova variante da Covid-19 e pelo vírus H3N2, subtipo da Influenza A.

Para evitar o cancelamento de voos, a empresa está propondo a seus funcionários a troca de folgas por uma compensação financeira. Conforme previsão legal, os funcionários têm dez folgas mensais, mas a Azul negocia a redução para nove folgas nos meses de janeiro, fevereiro e março.

A adesão dos colaboradores é voluntária e a compensação varia de R$489 a R$ 2.201, conforme o cargo do profissional.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Em nota divulgada nessa sexta-feira, 7, a companhia informou que 10% dos voos programados para janeiro foram afetados. Ainda conforme a aérea, os tripulantes apresentam, em sua maioria, sintomas leves das doenças.

A situação "tem acompanhado o crescimento do número de casos de gripe e covid-19 no Brasil e no mundo", disse a Azul. Passageiros que foram afetados serão notificados e receberão assistência.

Tenha acesso a reportagens especiais. Assine O POVO+ clicando aqui

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar