PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Mulher trans é morta no Recife um mês após sofrer ataque transfóbico

O caso está em investigação pela Polícia Civil de Pernambuco, e acontece semanas após uma outra travesti ter sido queimada na capital pernambucana

00:32 | 06/07/2021
Crismilly Pérola Bombom, de 37 anos, foi encontrada morta na manhã desta segunda-feira, 5 (Foto: Foto: Arquivo de família)
Crismilly Pérola Bombom, de 37 anos, foi encontrada morta na manhã desta segunda-feira, 5 (Foto: Foto: Arquivo de família)

A cabeleireira transexual Crismilly Pérola Bombom, de 37 anos, mais conhecida como 'Piu Piu' na região onde mora, foi encontrada morta por volta das 9h desta segunda-feira, 5, no bairro da Várzea, Zona Oeste do Recife, em Pernambuco. O caso, enquadrado como homicídio, já está em investigação pela Polícia Civil de Pernambuco, e acontece semanas após uma outra trans ter sido queimada na capital pernambucana.

A família não sabe detalhes sobre o assassinato de Pérola, apenas que ela saiu para uma festa às 21h desse domingo, 4, e não voltou mais. "A gente acha que foi homofobia, porque Pérola era muito querida, mas muitas pessoas a criticavam", disse a prima da vítima, Izabelli Soares, também cabeleireira, de 30 anos.

"Estamos arrasados. A gente avisava para ela ter cuidado por onde andava porque a gente não sabe do coração de ninguém. Ontem (4) ela passou o dia com a gente. Estava fazendo faxina na casa dela, que é no quintal da família, e a mãe dela estava aqui. Às 21h, ela disse que iria para uma festa na casa da amiga", contou Izabelli.

Um mês antes, ela sofreu um ataque transfóbico que a levou a ser internada e a passar por cirurgia na mão, segundo a prima. "Ela disse que um rapaz pediu para ele pagar cerveja e cigarro, mas ela disse que não iria pagar nada para ninguém, porque não tinha obrigação de pagar - o que desenvolveu uma briga. Ela ficou no hospital, ficou bem debilitada, com o braço todo enfaixado, passou por uma cirurgia na mão", disse.

Pérola foi encontrada em via pública, já sem vida, com uma marca de tiro. O caso está sob o comando do Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP).

De acordo com uma prima, a cabeleireira era querida entre a família e na comunidade onde morava. "Para você ter uma ideia, os irmãos dela estão vindo da Bahia [para o enterro]. Ela sempre foi querida, tanto na família, como na comunidade. A gente não entende o porquê [do crime], não tem um motivo, ela não era uma pessoa má, não vivia com coisa errada", relatou.

Apelo

A assessora parlamentar e também transexual Ana Flor fez um apelo às autoridades do Recife e de Pernambuco para que sejam fortalecidas as medidas contra a violência à comunidade LGBTQIA+. "Prefeito, tem sido tão cansativo cobrar e lamentar. Tenha certeza: não é o que eu gostaria. É preciso compreender que esse é um problema estrutural da nossa cidade, João [Campos]. Recife está deixando as travestis e pessoas trans morrerem. Governador, como pode Pernambuco ser o estado com o maior número de mecanismos LGBTs e tudo isso acontecer? Nós precisamos URGENTEMENTE conter essa violência. Através de campanhas? Processos de sensibilização? Investimento em políticas LGBTs? Parcerias com ONGs? Fortalecimento dos mecanismos LGBTs? Destinar recursos?", questionou.

O enterro de 'Piu Piu' deve acontecer na tarde desta terça-feira, 6, no Cemitério da Várzea, com horário a confirmar.

Mulher trans queimada no Centro do Recife

No dia 24 de junho, no Cais de Santa Rita, Centro do Recife, Roberta Nascimento Silva, uma transexual de 33 anos, viu 40% do próprio corpo pegar fogo em uma tentativa de homicídio supostamente praticada por um adolescente, que apreendido no mesmo dia. O caso rendeu à mulher, que vive em situação de rua, a amputação dos dois braços. A vítima, internada no Hospital da Restauração (HR), foi novamente levada à Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em estado grave nesta segunda-feira (5).

Leia mais:

Travesti é assassinada a facadas em Paracuru, no Ceará

Vereadora Benny Briolly deixa o País após receber ameaças de morte

Pefoce já emitiu 2.950 RGs com nome social; saiba como solicitar o serviço

Estudante trans ganha batalha nos EUA para usar banheiro em escola