PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Com medo de Lázaro Barbosa, família dorme dentro de carro em frente à força-tarefa policial

Lázaro Barbosa é procurado há 12 dias por policiais de elite de Goiás e Distrito Federal; ele é acusado de ter cometido vários crimes

Carlos Viana
15:19 | 20/06/2021
Família com grávida vive em carro por medo de Lázaro Barbosa (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)
Família com grávida vive em carro por medo de Lázaro Barbosa (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Em busca de proteção, o caseiro Manoel de Oliveira, que mora em uma chácara na cidade de Colcalzinho de Goiás, colocou os quatro filhos e a mulher, que está grávida, dentro de um carro e dormiu na frente da sede da força-tarefa montada para prender Lázaro Barbosa, acusado de cometer vários crimes e perseguido pela polícia há doze dias. As informações são da TV Anhanguera, filiada da TV Globo na região.

“Não vou esperar a morte bater na porta. Por isso viemos ontem. Saímos só com a roupa do corpo. Não deu tempo de pegar nem a máscara”, afirmou o homem à reportagem. A esposa de Manoel, Jorlene Costa, grávida de seis meses, conta que outros vizinhos também estão deixando suas casas e indo para a cidade, onde a sensação de segurança é maior. "Todo mundo está saindo de suas casas por medo. Se ficar, a gente pode ter o fim de várias pessoas que ele vem matando. Como sou caseira de um lugar, não tenho outro local para ficar. Por isso, peguei meus filhos e vim com o carro aqui. Eu prefiro dormir no carro a ver um filho meu morto", afirmou.

As buscas entram hoje, 20, no 12º dia. Policiais de elite das polícias Civil Militar e Federal fazem as buscas por Lázaro, suspeito de cometer vários crimes em pelo menos três estados. Nas buscas os policiais usam helicópteros, drones com visão térmica, cães farejadores, equipamentos com visão noturna e forte armamento. As buscas concentram-se dentro de rios e na mata. De acordo com os policiais, por ser caçador, Lázaro se esconde com facilidade.

Em 2007, Lázaro Barbosa foi preso em Barra dos Mendes, na Bahia, acusado de duplo homicídio. Ele acabou fugindo cerca de dez dias após a prisão e segue foragido até hoje. Em 2009, Lázaro foi novamente preso, dessa vez no complexo da Papuda (CPP), em Brasília. Ele foi acusado de roubo, estupro e porte ilegal de arma de fogo.

Quatro anos depois, em 2013, um laudo médico descreveu Lázaro como “psicopata imprevisível” com comportamento agressivo, impulsivo, instabilidade emocional e falta de controle e equilíbrio.
Em março de 2014, a prisão de Lázaro foi convertida para o regime semiaberto.

LEIA TAMBÉM | Para além de Lázaro Barbosa: entenda o que caracteriza o comportamento de um serial killer

Já em 2016 ele fugiu do presídio da Papuda, sendo preso dois anos depois, em Águas Lindas de Goiás, em cumprimento de três mandados de prisão por homicídio qualificado, porte ilegal de arma de fogo, roubo e estupro. Poucos meses após a prisão, fugiu novamente da cadeia.

Em 8 de abril de 2020, Lázaro invadiu uma chácara em Santo Antônio do Descoberto, em Goiás, golpeando um idoso com um machado. Ele foi indiciado pelos crimes de roubo mediante restrição da liberdade das vítimas, emprego de arma branca e por tentativa de latrocínio.

Clique na imagem para abrir a galeria


Já em 26 de abril de 2021, Lázaro invadiu uma chácara no Sol Nascente (DF), onde prendeu pai e filho no quarto e levou a mulher para o matagal e a estuprou. Em 17 de maio, também na região do Sol Nascente, manteve uma família como refém com faca e armas de fogo. Enquanto cometia o crime, Lázaro mandou que as pessoas tirassem a roupa e prendeu os homens dentro do quarto, enquanto as mulheres foram obrigadas a cozinhar e servir um jantar para ele. Essa família foi mantida como refém das 19h à 0h.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >

Já em 9 de junho de 2021, Lázaro invadiu uma chácara no Incra 9, Ceilândia (DF), onde matou a tiros e a facadas um casal e dois filhos. No mesmo dia, após matar a família, Lázaro invadiu outra chácara, também em Ceilândia, Segundo a polícia ele teria rendido o caseiro, o dono da propriedade e a filha dele.

Em 12 de junho Lázaro fugiu para Cocalzinho de Goiás, onde atirou em quatro pessoas, invadiu fazendas e colocou fogo em uma casa ao fugir da polícia. Os feridos foram levados a hospitais da região. Até o dia 15 de junho dois dos feridos continuavam em estado grave.

No dia seguinte, em 13 de junho, furtou um carro e o abandonou em seguida, na BR-070, após avistar uma barreira montada pela polícia. No dia 14 de junho um caseiro disse que atirou em Lázaro após este ameaçar entrar na casa. Após ser atingido, ele fugiu novamente.

No mesmo dia, Lázaro foi filmado dentro de um curral, entre os municípios de Edelândia e Girassol. A polícia acredita que ele passou a noite no local. Segundo o caseiro, o homem pediu comida e, em seguida, fugiu para a mata.

Já no dia 15 de junho, a polícia afirmou que um casal e a filha adolescente foram feitos reféns. Uma parente da família relatou os momentos de terror vividos pelos familiares. Dois policiais militares de Goiás foram baleados durante o resgate das vítimas. No dia seguinte, em 16 de junho, Lázaro foi visto por um morador em uma área rural.

Na quinta-feira, 17, a polícia retomou as buscas na mata da região e muda a base de operações pela segunda vez. Houve uma nova troca de tiros e as autoridades acreditam que Lázaro está ferido.
Na sexta-feira, 18, a polícia acredita ter avistado Lázaro dentro de um chiqueiro, mas ele acabou fugindo novamente para a mata. No sábado, 19, uma grande movimentação policial foi registrada em Águas Lindas de Goiás, após moradores afirmarem terem visto Lázaro em uma gruta.