Participamos do

Policiais algemam youtuber negro que praticava manobras de bicicleta em Goiás

Em vídeo divulgado nas redes sociais, Filipe Ferreira é visto filmando manobras de bicicleta quando agentes militares de Goiás o abordam de maneira truculenta. Caso revoltou internautas, que apontam racismo estrutural na abordagem
10:21 | Mai. 29, 2021
Autor Mateus Brisa
Foto do autor
Mateus Brisa Estagiário
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Vídeo de abordagem policial na Cidade Ociental, em Goiás, tornou-se assunto comentado nas redes sociais nessa sexta-feira, 28. Filipe Ferreira é visto filmando manobras de bicicleta para seu canal no YouTube quando agentes da Polícia Militar de Goiás o abordam de maneira truculenta, pronunciando gritos de ordem e sacando uma arma ao serem questionados pelo jovem. Caso teve repercussão com inúmeras críticas ao racismo estrutural no Brasil, uma vez que o jovem é negro. 

LEIA TAMBÉM | PM faz abordagem violenta durante fiscalização de decreto em Fortaleza: "Parecia uma guerra"

A situação é capturada pela câmera do celular do youtuber. “Esse é o procedimento”, diz um dos policiais. Filipe tira a camisa para mostrar “que não tem nada” e logo depois é algemado por, segundo um dos agentes, não ter obedecido imediatamente à ordem dada. “Resiste aí para você ver o que vai acontecer contigo”, diz ele antes de algemar o rapaz.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O youtuber pede para fazer uma ligação, e o policial afirma que o aparelho será levado com ele a uma unidade policial. “Pelo amor de Deus, eu sou trabalhador”, pontua o jovem. “É, e eu sou vagabundo, eu estou aqui brincando”, ironiza o policial em resposta. “Esse é o meu procedimento. Obedece a ordem. A gente dando uma ordem simples pra você”, finaliza.

No Twitter, muitos internautas criticaram a ação. "É bom lembrar que a Polícia é racista porque o ESTADO e a SOCIEDADE são racistas", escreveu o usuário identificado como Carlos Latuff.

A Polícia Militar de Goiás ainda não se manifestou sobre o vídeo até a publicação desta matéria.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags