PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Segundo vereador mais votado de Belo Horizonte sugere fuzil como "presentinho de Natal"

Bolsonarista, Nikolas Ferreira (PRTB) exalta a nova política tributária para aquisição de armas no Brasil. Fuzil seria de um amigo

12:26 | 26/12/2020
Vereador Nikolas Ferreira, segundo mais votado em Belo Horizonte, exibe fuzil adquirido por amigo e sugere como
Vereador Nikolas Ferreira, segundo mais votado em Belo Horizonte, exibe fuzil adquirido por amigo e sugere como "presentinho de Natal" (Foto: reprodução instagram)

"Já imaginou ganhar de Natal nada mais nada menos do que um fuzil? Meu parceiro acabou de receber em casa". Nikolas Ferreira, o segundo vereador mais votado de Belo Horizonte (MG) nas eleições de 2020, pelo PRTB, começa assim o vídeo que postou em suas redes sociais, exibindo na sequência a arma modelo T4556, da empresa Taurus, numa mesa ao lado do amigo que adquiriu o produto. Usa a expressão "presentinho de Natal" para identificar o vídeo.

Adepto do bolsonarismo, Nikolas exalta a nova política tributária para brasileiros que desejam adquirir armas registradas. No início de dezembro, o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), zerou o imposto de importação que era cobrado sobre armas de fogo. A decisão passa a valer a partir de 1º de janeiro de 2021.

"Isso aqui é o que o governo Bolsonaro está fazendo por nós, porque o preço da nossa liberdade é a eterna vigilância”, diz o vereador noutro trecho da gravação. Nikolas garante na postagem que o fuzil está registrado, com a documentação devida. "Isso aqui não vei lá da favela nem nada. Isso aqui é tudo com documento certinho". O amigo que seria o proprietário chega a exibir rapidamente uma nota fiscal retirada de dentro da caixa onde está a arma.

LEIA TAMBÉM | Governo federal zera imposto de importação de revólveres e pistolas

A alíquota atual para importação de armas é de 20%. Não houve mudanças nas regras para porte e posse de armamento no Brasil. O PSB contesta a medida em ação junto ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Após ser criticado nas redes sociais pela publicação, o vereador fez novas postagens sobre o assunto. Em uma delas escreveu: "Talvez se o fuzil tivesse com numeração raspada e sendo exibido em um baile funk, a lacrolandia poderia até me chamar de vítima da sociedade...". Pouco depois, colocou uma foto de uma camisa estampada com "Bolsonaro Presidente", ao lado do fuzil e de cartuchos. Na legenda, disse: "Durmam bem, lacrosfera". Finalizou que "a única coisa que para um homem mau com uma arma é o um homem bom com um arma".