PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Após reportagem, Marcius Melhem diz que entrará na Justiça contra Dani Calabresa e advogada

Humorista Marcius Melhem informou que fará uma interpelação judicial para Dani Calabresa pedindo que a atriz confirme ou desminta os relatos de assédio que teria sofrido

22:24 | 04/12/2020
Além da medida judicial contra advogada, Marcius Melhem informou que fará uma interpelação judicial para Dani Calabresa sobre as denúncias de assédio sexual (Foto: Divulgação/ Rede Globo)
Além da medida judicial contra advogada, Marcius Melhem informou que fará uma interpelação judicial para Dani Calabresa sobre as denúncias de assédio sexual (Foto: Divulgação/ Rede Globo)

O ator e diretor Marcius Melhem informou nesta sexta-feira, 4, que entrou com uma ação na Justiça contra a advogada Mayra Cotta, que representa legalmente Dani Calabresa e outras cinco mulheres que acusam o humorista de assédio sexual. Com a ação, o humorista quer que as acusadoras provem as denúncias divulgadas hoje em reportagem da Revista Piauí. As informações foram divulgadas em entrevista ao portal de notícias UOL.

Além de mover um processo judicial contra a advogada, o humorista também informou que fará uma interpelação judicial para Dani Calabresa pedindo que a atriz confirme ou desminta os relatos de assédio que teria sofrido. A primeira acusação contra Melhem é de dezembro de 2019. A emissora Globo, onde o diretor trabalhava à época, fez duas investigações sobre o caso no início do ano, que não resultaram em condenação formal ao comediante.

LEIA TAMBÉM: "Fazer o certo requer coragem", diz Dani Calabresa após repercussão de acusações contra Marcius Melhem

Em abril, o ator tirou férias da direção do programa Zorra e de outros projetos na Globo para acompanhar o tratamento médico da filha nos Estados Unidos. Em agosto, a Globo formalizou a demissão do apresentador em “comum acordo”, como informou em nota. Sem explicar o motivo da demissão, o canal informou que o desligamento se tratava de uma reestruturação do canal e elogiou o trabalho de Malhem. “Deu importante contribuição para a renovação do humor nas diversas plataformas da empresa", disse a emissora carioca.

Em outubro de 2020, a jornalista Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo, publicou uma entrevista com a advogada Mayra Cotta, representante de 12 mulheres, seis vítimas e seis testemunhas, que acusam Melhem. Conforme explica a reportagem da Piauí, a advogada atuou com orientações para para às testemunhas e vítimas tratarem o assunto com o núcleo de Desenvolvimento e Acompanhamento Artístico (DAA) da Globo, que lida com os assuntos do tipo e possui um comitê de análise para casos de assédio.

LEIA MAIS: "O que eu posso fazer? Negar", diz ex-global Marcius Melhem

A reportagem publicada nesta sexta-feira, 4, assinada pelo repórter João Batista Jr., informa que conversou com “duas vítimas de assédio sexual, sete vítimas de assédio moral e três vítimas dos dois tipos de assédio, o sexual e o moral". As acusações do texto também apontam que diferentes instâncias de gestão da Globo lidaram com o caso, como informa a reportagem, sem o rigor e atenção necessária.

Na emissora, Melhem foi responsável pela área de humor, sendo diretor de atrações como “Zorra”, “Tá no Ar” e “Fora de Hora”, além do quadro “Isso a Globo Não Mostra”, exibido no Fantástico aos domingos. Mais recentemente, também se tornou responsável pelo programa "Escolinha do Professor Raimundo". Segundo o UOL, nenhum destes programas irá permanecer na grade da emissora.

Revista deu detalhes das denúncias de assédio de Marcius

Reportagem intitulada “O que mais você quer, filha, para calar a boca?”, revelou detalhes sobre os casos de assédio sexual e moral denunciados contra Marcius Melhem, na época em que ele era diretor do programa Zorra, da Rede Globo. Aristas repercutiram o caso hoje nas redes sociais (leia ao final do texto).

Os primeiros detalhes, em destaque no material, foram relacionados aos atos sofridos por Dani Calabresa. A publicação inicia descrevendo uma confraternização do elenco do Zorra, em 2017. Na ocasião, a revista relata que Melhim encurralou a humorista na saída de um banheiro e tentou agarrá-la.

“Ela reagiu, bateu com a parte traseira da própria cabeça na parede e pediu que Melhem a deixasse passar. Em vão. Com uma das mãos, ele imobilizou os braços da atriz. Com a outra, puxou a cabeça dela para forçar um beijo. Assustada, Calabresa cerrou os lábios e virou o pescoço, mas Melhem conseguiu lamber o rosto dela. Em seguida, tirou o pênis para fora da calça. Enquanto a atriz tentava soltar os braços e escapar da situação, acabou encostando mão e quadris no pênis de Melhem”, disse a reportagem.

Após o ataque, Calabresa teria conseguido se desvencilhar do então chefe, reencontrando os colegas e sendo confortada por Luis Miranda e George Sauma, enquanto tinha uma crise de choro.

De acordo com a Piauí, três dias após o ocorrido, Melhem apareceu durante uma gravação do programa para conversar com Dani Calabresa, que no momento contracenava com Maria Clara Gueiros. Ele teria dito: "Eu não tenho culpa do que aconteceu! Quem mandou você estar muito gostosa?" Calabresa reagiu dizendo que não aceitava as desculpas. "Você já me agarrou, lambeu minha cara e encostou o pau em mim".

LEIA MAIS: "O que eu posso fazer? Negar", diz ex-global Marcius Melhem

Outra situações, como Melhem passar no camarim para conferir o figurino da atriz e a chamar de “gostosa”, também foram registradas no mesmo ano. Além disso, relatos afirmam que o humorista atrapalhava o crescimento de Calabresa na Rede Globo, a impedindo de participar de programas da emissora.

Após deixar o elenco do Zorra e ir para os Estados Unidos, em 2019, Dani Calabresa denunciou os ocorridos, sendo a primeira mulher que levou a situação à alta cúpula da Rede Globo. Primeiramente, o caso foi levado à Monica Albuquerque, chefe de Desenvolvimento e Acompanhamento Artístico (DAA), que fez uma recomendação de terapia ao acusado, sem nenhuma punição.

Depois, os fatos foram levados a Carlos Henrique Schorder, diretor da área de entretenimento, esporte e jornalismo da emissora, que ordenou a realização de uma investigação. Durante o processo, outros casos foram aparecendo. A reportagem também cita uma mobilização de artistas, que fizeram uma carta pressionando um posicionamento da emissora. Dentre eles, estavam Eduardo Sterblitch, João Vicente de Castro e Marcelo Adnet. Marcius Melhem só teve seu contrato encerrado no dia 14 de agosto deste ano.

MAIS ACUSAÇÕES CONTRA MARCIUS MELHEM

Pelo menos mais cinco mulheres denunciaram, à alta cúpula da Globo, assédio sexual por parte do humorista. Três atrizes falaram que se incomodavam de contracenar com ele e citaram situações em que Melhem roçava o pênis ereto nelas. "Ele fazia isso até quando me encontrava nos corredores. Sempre em tom de brincadeira, como se o lugar fosse apertado demais e fosse impossível não encostar em mim", disse uma.

LEIA TAMBÉM: "Fazer o certo requer coragem", diz Dani Calabresa após repercussão de acusações contra Marcius Melhem

No total, a reportagem ouviu 43 pessoas, entre vítimas e testemunhas de assédio sexual e moral envolvendo Melhem, e descreveu casos que aconteceram entre os anos de 2015 e 2019.

As vítimas procuraram a advogada Mayra Cotta, buscando orientação jurídica de como proceder com a situação. Elas querem receber o relatório do compliance que foi feito à emissora. Trinta profissionais do Departamento de Humor assinaram um e-mail enviado a Schroeder com relatos de insatisfação pela forma como o caso foi finalizado.

A DEFESA DE MARCIUS MELHEM

Marcius foi procurado pela reportagem, mas se negou a conceder entrevista. Ele alega que a “sentença” do caso já está dada e afirmou que pediria desculpas a quem magoou. "Estou disposto a assumir qualquer erro ou dano que tenha causado. Mas é preciso que a conversa seja transparente, sem omissões, mentiras ou distorções sobre as relações", escreveu em declaração à Piauí. Ele, que já declarou inocência em suas redes sociais, disse que vai buscar “justiça”.

LEIA AINDA: "Todo meu apoio às vítimas", posiciona-se Adnet sobre as denúncias de assédio sexual contra Melhem

Apesar do discurso empático, em um áudio que a reportagem teve acesso, logo após a denúncia de Calabresa, Melhem debochou da atriz. “Ainda ganha um quadro no Se Joga e um programa no GNT. O que mais você quer, filha, para calar a boca?”, perguntou.

MANIFESTAÇÃO DOS ARTISTAS EM APOIO A DANI CALABRESA

Logo após a publicação da reportagem, diversos artistas prestaram solidariedade a Dani Calabresa, como Bruna Linzmeyer, Letícia Colin, Maria Bopp, Camila Pitanga e Fábio Porchat. Confira: