PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Roacutan: conheça os efeitos colaterais do remédio, forte aliado no combate as espinhas

De problemas hepáticos a piora da saúde mental, consequências do uso do produto são relatadas por usuários e explicadas por especialistas

Gabriela Almeida
15:55 | 29/09/2020
Medicamento é utilizado apenas com indicação médica (Foto: Reprodução)
Medicamento é utilizado apenas com indicação médica (Foto: Reprodução)

Bastante utilizado no combate a acnes severas, o medicamento Roacutam pode trazer sérias consequências ao organismo e, por esse motivo, tem sua venda permitida apenas sob indicação médica. De problemas hepáticos a piora da saúde mental, os efeitos colaterais foram apontados por usuários do remédio nessa segunda-feira, 28, por meio do Twitter, virando um dos assuntos mais comentados na rede social. 

"É, obrigada Roacutan! Você fez meu nariz sangrar por uma semana, me deixou quase depressiva, prendeu meu intestino e tals..mas pelo menos essas espinhas inchadas que doíam horrores, já era", destacou uma internauta, mostrando fotos do rosto antes e depois do uso da medicação.

Muitos dos comentários sobre o assunto continham imagens mostrando o resultado do remédio nos usuários e falando sobre as reações que ele provocou. De acordo com Tiago Lima Sampaio, doutor em Farmacologia, os efeitos colaterais citados pelos pacientes são reais e têm explicação na composição do remédio.

| LEIA MAIS |

Assim como outras infecções, Covid-19 pode acelerar queda de cabelo; saiba o que fazer

SUS completa 30 anos de criação em contexto de subfinanciamento, teto de gastos e pandemia

Mascne: saiba como prevenir a acne provocada pelo uso das máscaras de proteção

"O Roacutan pertence a uma classe de medicamentos que estruturalmente são muitos semelhantes à vitamina A, utilizada pelo organismo para cuidar da pele. Ele regula o hormônio que é fator de crescimento epidérmico e controla a produção do sebo que gera acne", explica o especialista.

Nesse processo, contudo, Tiago explica que o remédio provoca várias reações por ser hepatotóxico. Ou seja, o medicamento contém uma série de substâncias químicas que ficam acumuladas nas células do fígado, podendo causar a destruição delas e levar a consequentes problemas graves no órgão.

"Por isso que o paciente tem que ter um acompanhamento. É preciso usar o remédio com uma conduta de responsabilidade, sem automedicação", orienta o especialista. O tratamento, segundo Tiago, exige que o usuário tome a medicação em dosagens indicadas para não provocar efeitos agressivos ao fígado e passe por exames mensais- como o de sangue.

De pele ressecada a efeitos invisíveis

 

Além desse risco, que é evitado por meio do acompanhamento de especialistas, o remédio causa efeitos mais imediatos durante o tratamento. Janaína Bezerra, secretária geral da Sociedade Brasileira de Dermatologia Regional Ceará (SBD-CE), pontua que o Roacutan reduz a oleosidade da pele e acaba ressecando e deixando ela mais sensível à reação solar. 

Outros efeitos ainda podem ser percebidos, como unhas encravadas ou a piora da autoestima- uma vez que no processo de atuação da medicação no organismo o rosto acaba ficando mais inflamado do que o normal. De acordo com a especialista, alguns pacientes acabam não reagindo bem mentalmente a esse processo, mas não há comprovação cientifica de que o Roacutan acentue ou provoque transtornos mentais.

Por outro lado, o doutor em Farmacologia, Tiago Lima, explica que o remédio pode acabar regulando  hormônios responsáveis por sensações como a de felicidade. "Ele pode atingir células do sistema nervoso central, alterando o funcionamento delas e causando pensamentos suicidas", pontua ainda.

Quem sentiu isso na pele, e na mente, foi o estudante de Comunicação Levi Aguiar- que tomou Roacutan pela primeira vez quando tinha apenas 15 anos e já enfrentava um transtorno de ansiedade na época, agravado pelo uso do medicamento. "Eu tive uma crise muito forte. Foi a primeira vez que eu procurei um psicólogo", relembra.

Hoje, aos 21, ele passa por um segundo tratamento com a medicação e relata que viveu "crises muito graves" de ansiedade, acentuadas também pelo período de isolamento social provocado pela pandemia. "Passava três dias deitado na cama, por conta da ansiedade e do estresse. Minha médica chegou a perguntar como eu estava lidando porque o Roacutan potencializa isso (transtorno mental)", relatou, frisando que, ainda assim, o resultado do produto tem valido à pena.

Casos de reincidência

 

O fato de Levi estar no segundo tratamento com a medicação contradiz um pensamento comum: o de que o remédio é a cura do problema de acne. Segundo Janaína Bezerra, secretária geral da Sociedade Brasileira de Dermatologia Regional Ceará (SBD-CE), o dermatologista indica o produto para acnes severas, em peles que já passaram por vários processos de cuidados e cujo problema se mostra reincidente.

Há, no entanto, acnes provocadas por um desequilíbrio hormonal- que precisa ser tratado com um médico especialista. Esse caso, segundo a secretária da SBD-CE, é caracterizado por espinhas que aparecem inflamadas no queixo, no peito, nas costas e em demais regiões do corpo.

Outro efeito de reincidência das espinhas após o tratamento pode estar ligado aos cuidados que o paciente tem com a pele, que não pode ser esquecida e "deixada de lado" por conta do remédio. Janaína dá algumas dicas básicas de como cuidar do rosto, evitando que a oleosidade e demais fatores provoquem as tão temidas acnes.

Dicas para evitar acnes

 

> Fazer uma boa higienização da pele, usando um sabonete adequado ao tipo dela, geralmente indicado por um profissional

> Usar hidratantes no rosto, sempre obedecendo a características da pele, como a oleosidade e etc

> Nunca esquecer de usar protetor solar. A fórmula do produto precisa ser adequada para o que a sua pele necessita

> Usar maquiagem livre de óleo e remover bem ela antes de dormir, evitando ir para academia ou realizar exercícios com ela na pele

A necessidade do cuidado

 

Janaína explica ainda que a procura por um profissional dermatologista para tratar de espinhas deve acontecer quando o paciente perceber o avanço da acne. Nesse sentido, é necessário observar processos de inflamação e fatores que acentuem a necessidade de prevenção do problema, ou de tratamento dele.

O Roacutan só será indicado em caso de acnes mais agressivas, reincidentes. Assim como em todos os outros tratamentos para a pele, é necessário seguir a risca todas as orientações médicas e manter o cuidado necessário com o rosto.

No caso desse produto, entre as recomendações o usuário não pode ingerir bebida alcoólica durante o tratamento. Além disso, mulheres são orientadas a evitar gravidez, pois o remédio pode provocar efeitos negativos na formação do feto, de acordo com a especialista.

O tratamento pode durar meses, a depender da indicação do médico, e a droga para de ter efeito no organismo dois meses após o encerramento do uso. Apesar dos fortes efeitos colaterais, o medicamento traz resultados positivos para a saúde da pele, desde que usado com acompanhamento médico e com responsabilidade.