PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

Felipe Neto e Jair Bolsonaro entram para a lista dos 100 maiores influenciadores da revista Time

A edição impressa da TIME100 deste ano chegará às bancas na sexta-feira, 25

Ismia Kariny
08:54 | 23/09/2020
Felipe Neto e Bolsonaro são os únicos brasileiros listados na TIME100 de 2020. (Foto: Reprodução/instagram e Alan Santos/Presidência da República)
Felipe Neto e Bolsonaro são os únicos brasileiros listados na TIME100 de 2020. (Foto: Reprodução/instagram e Alan Santos/Presidência da República)

A revista Time revelou sua lista anual das 100 pessoas mais influentes do mundo, na última terça-feira, 22. Entre os influenciadores citados pelo periódico estão o presidente Jair Bolsonaro, com mais de 6,6 milhões de seguidores nas redes sociais; e o youtuber Felipe Neto, que alcança um público de 52,4 milhões de seguidores. A edição impressa da TIME100 deste ano chegará às bancas na sexta-feira, 25.

A introdução de Felipe Neto no ranking de personalidades da revista foi escrita pelo deputado federal David Miranda (PSol-RJ). "O domínio online de Neto não é novo", escreveu o parlamentar. "Uma década atrás, da humilde casa de sua família no Rio de Janeiro, ele começou a criar conteúdo para o YouTube(..) o que mudou radicalmente é a forma como Neto usa sua plataforma” acrescentou.

Leia também | Emmy 2020 tem cerimônia marcada pelo sucesso da HBO e por protocolos de segurança

David Miranda relatou à Times a trajetória de Felipe Neto. O deputado destacou a notoriedade recebida pelo youtuber ao produzir para um público jovem, sobre videogames e celebridades. Contudo, a partir de 2018, após alcançar uma comunidade leal e acumular diversos patrocínios, Neto teria arriscado sua marca e segurança, ao redirecionar sua popularidade para se tornar “um dos oponentes mais eficazes de Bolsonaro”.

"O primeiro grande envolvimento de Neto na política, em 2016, foi um protesto equivocado contra o Partido dos Trabalhadores, de centro-esquerda, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva", continua Miranda. Em julho, Felipe Neto narrou ao New York Times como Bolsonaro tem sido "o líder mais destrutivo do mundo" na pandemia da Covid-19, lembrou o parlamentar.