PUBLICIDADE
Brasil
NOTÍCIA

"Me sinto muito ameaçado", diz filho do goleiro Bruno sobre liberdade do pai

A mãe do menino foi assassinada a mando do pai biológico, o ex-goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes

20:07 | 10/08/2020
Bruninho Samudio, com 10 anos, afirmou se sentir ameaçado com o fato do pai, goleiro Bruno, estar em liberdade após ter sido condenado pelo assassinato de Eliza Samudio (Foto: AFP / GUALTER NAVES)
Bruninho Samudio, com 10 anos, afirmou se sentir ameaçado com o fato do pai, goleiro Bruno, estar em liberdade após ter sido condenado pelo assassinato de Eliza Samudio (Foto: AFP / GUALTER NAVES)

Convivendo desde muito cedo com a ausência da mãe, Eliza Samudio, Bruninho Samudio, de apenas 10 anos, afirmou se sentir ameaçado com o fato do pai estar em liberdade. A mãe do menino foi assassinada a mando do pai biológico, o ex-goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes. O atleta chegou a ser condenado a 22 anos e três meses de prisão pelo assassinato.

Bruno conseguiu a liberdade condicional depois de cumprir mais de um sexto da pena e ter apresentado bom comportamento. Além da ordem do assassinato, ele foi acusado de alimentar cachorros com os restos mortais da ex-namorada, como forma de ocultar o corpo. Ele também respondia pelo crime de sequestro e cárcere privado de seu filho com a ex-modelo. 

Ao lado da avó Sônia da Silva Moura, 55 anos, mãe de Eliza, o garoto disse ao site ContilNet, do Acre, onde Bruno deve ir morar após ser contratado pelo Rio Branco Futebol Clube, que o pai deveria ficar na prisão pelo resto da vida. Bruninho está sob a guarda definitiva de Sônia desde 2012, por decisão judicial.

“No mínimo, ele deveria ficar em prisão perpétua, porque eu acho uma sacanagem tirar a vida de um ser humano. Não existe nenhum motivo que explique isso. Nenhum”, disse a criança, em áudios divulgados pelo site acreano.

Confira as declarações da criança


O goleiro também foi acusado de sequestro. O menino, com poucos meses de nascido e três meses após a morte da mãe, foi encontrado pela polícia em uma favela de Belo Horizonte (MG) “com fome e sujo”, de acordo com a avó.

Em outro áudio, também enviado pela avó, Bruninho diz que o pai é uma ameaça para ele. “Infelizmente, ele é uma ameaça para a sociedade, e eu me sinto muito ameaçado com isso”, finalizou.



Correio24horas
Via Rede Nordeste