PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Estudantes de Fortaleza são premiados na 6ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa do programa Escrevendo o Futuro

O tema das produções, "O Lugar Onde Vivo", é um incentivo para os alunos aprofundarem o conhecimento sobre a realidade local, contribuindo para o desenvolvimento da sua cidadania

14:32 | 20/12/2019
Estudantes do Colégio Militar de Fortaleza são medalhistas de ouro na 6ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa, na categoria documentário, com a produção "Além das Secas"
Estudantes do Colégio Militar de Fortaleza são medalhistas de ouro na 6ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa, na categoria documentário, com a produção "Além das Secas" (Foto: Divulgação)

Estudantes de Fortaleza foram premiados na 6ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa, a partir do programa Escrevendo o Futuro, desenvolvido pelo Ministério da Educação em parceria com o Itaú Social. O concurso, que contempla escolas públicas de todo o País, tratou do tema “O Lugar Onde Vivo”, e lançou aos alunos o desafio de produzir textos que representassem algum aspecto da comunidade em que vivem.

A estudante da Escola Estadual Governador Adauto Bezerra, Rúbia Ellen Campelo Costa, 17, foi vencedora na categoria de artigo de opinião. Em seu texto, ela escreveu sobre a requalificação da Beira Mar, discutindo também a questão ambiental que perpassa o empreendimento. “Esse ano já tivemos um desequilíbrio para o lado ambiental, com os desastres em Brumadinho e na Floresta Amazônica, por isso escolhi tratar da requalificação na Beira-Mar”, comenta Rúbia.

Rúbia explica que para trabalhar o artigo de opinião da maneira correta, o assunto deve apresentar uma problemática em que as pessoas possam se posicionar a favor ou contra, ao mesmo tempo em que discorrem sobre o tema. “Eu me posicionei contra a requalificação, porque apesar do valor que ela tem para o turismo, ainda traz impactos ambientais”, argumenta a estudante, que foi orientada pela professora Suziane Brasil. Durante a olimpíada, os alunos participam de oficinas de produção textual com os professores e estudantes classificados em cada etapa.

Estudantes do Colégio Militar exibem medalha de ouro da 6ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa
Estudantes do Colégio Militar exibem medalha de ouro da 6ª edição da Olimpíada de Língua Portuguesa (Foto: Arquivo Pessoal)

Alunas do Colégio Militar de Fortaleza também foram premiadas no concurso. Medalhistas de ouro na categoria Documentário, elas abordaram a questão hídrica no Ceará, devido a uma sugestão da professora Gláucia Maria. Na etapa de seleção escolar, foram divididos trios, entre alunos do 1º e 2º ano, que participaram de uma banca de avaliadores. “A partir da leitura de O Quinze, da Rachel de Queiroz, foi trabalhada a questão hídrica no Ceará. A gente gente fez os debates, e eles produziram textos”, descreve a professora.

As categorias do concurso abrangem poema, memórias literárias, crônica, documentário e artigo de opinião. Mesmo sem experiência, as estudantes Lethícia Alencar Maia Barros, 15, Sabrina Soares Bezerra, 16, e Yasmin Felipe Rocha Santiago, 16, participaram de oficinas na escola, onde aprenderam a escrever roteiros e produziram o documentário “Além da Seca”.

“Eu nunca achei que participaria de um evento tão grandioso durante o ensino médio. Foi a primeira vez que eu fiz um documentário e achei muito divertido fazer parte da produção e aprender um pouco mais sobre o universo cinematográfico”, relata Yasmin, que estava responsável pela parte das entrevistas durante a produção do documentário. As suas colegas, Sabrina e Lethícia, cuidaram, respectivamente, da produção de imagem e da locução.

Ao todo, foram sete etapas percorridas pelos estudantes da rede pública ao longo de todo ano. A última etapa do concurso ocorreu no dia 9 de dezembro, em São Paulo, quando foi divulgado os medalhistas de ouro da 6ª edição da olimpíada.