PUBLICIDADE
VERSÃO IMPRESSA

Monte Klinikum investe em UTI

00:00 | 24/12/2017

  O Hospital Monte Klinikum reinaugurou a Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Investimento declarado de quase R$ 3 milhões. A área de 250 m² comporta nove leitos e quarto de isolamento com tecnologia de pressão negativa e filtros High Efficiency Particulate Arrestance (HEPA). Os dispositivos eliminam até 99,9% das impurezas - como ácaros, vírus e bactérias. Na prática, aumenta as condições de segurança em casos de doenças infectocontagiosas. Os acompanhantes têm um Centro de Acolhimento Familiar, com acesso 24 horas. A UTI do Hospital Monte Klinikum é coordenada pelo cardiologista Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, o Dr. Cabeto.    

 

BNB

 

Dando o microcrédito

Microcrédito é a praia do BNB. Não se fala muito, mas é uma herança da polêmica Era Byron Queiroz (março de 1995 a janeiro de 2002).

Para 2018 o microcrédito é prioridade na gestão Marcos Holanda. O Banco já lidera o segmento e dentre as estratégias está a aproximação com comunidades.

   

ÔNIBUS

Guanabara tem Natal melhor

Expresso de Natal é o ônibus tematizado da Guanabara que circula nas principais cidades atendidas pela empresa. Marca um Natal melhor do que o do ano passado. Neste dezembro, 5% de crescimento em passageiros transportados ante 2016. Na semana passada gravaram na madrugada um filme com o ônibus mostrando a decoração de Natal de Fortaleza, sede da companhia. 

 

ENTREVISTA

O que Laércio vê no retrovisor e à frente

A Coluna perguntou ao fundador e CEO da TOTVS, Laércio Cosentino, o que ele vê no retrovisor em 2017 e o que mira no ano que vai chegar. Para ele, o descolamento entre setor privado e crise política foi um avanço importante. Para 2018, acredita que a reforma da Previdência vai acontecer e melhorar o cenário. A conversa foi em almoço na sede da empresa, em São Paulo. VERTICAL S/A – O que a TOTVS vê no retrovisor neste ano que está a acabar?

Laércio Cosentino - Este ano foi importante, considerando tudo que aconteceu com a Lava Jato. Realmente a gente começa a ter um novo País com novo padrão de ética, de controle. Na iniciativa privada, descolou do setor público e caminhou. Nós vamos terminar o ano com crescimento. Olhando para trás, o Brasil se separou um pouquinho. Ganhou a iniciativa privada. O lado da indústria, do varejo. E a política está indo. A Justiça também. VSA – E para TOTVS ?

Laércio – Foi um bom ano. A gente acaba tendo clientes de diversos tamanhos, de diversos segmentos. Não foi positivo tanto quanto nós gostaríamos, mas foi positivo. VSA – E o que a TOTVS mira no farol para 2018?

Laércio - Nós acreditamos que será um bom ano, para o Brasil como um todo. Aconteceu a reforma trabalhista. A previdenciária vai acabar saindo. VSA – Aquém do que se esperava... E se sair...

Laércio – Aquém, mas acho que vai sair. Vamos ser otimistas. Apesar de ter muito feriado ano que vem, que estava comentando com uma pessoa semana passada e ele dizia: - “você viu a quantidade de feriados em 2018?”. Realmente isso pode diminuir o número de dias úteis de trabalho, mas, por outro lado, creio que vá ser sim um bom ano. VSA – Você está fazendo ajuste na companhia, para entrar o ano bem mais enxuto.

Laércio – É o seguinte. Não só entrar 2018, mas o setor de TI está passando por uma revolução. O modelo de negócio mudou. Em vez de você vender licença de uso. Agora você vende subscrição, assinatura de software. E você acaba financiando o cliente. Assim, você acaba tendo de adequar as suas despesas à nova forma de você obter receita da companhia.

Laércio Cosentino, CEO da TOTVS