Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Ginastica: Simone Biles fica com bronze na trave e chinesas completam pódio na Olimpíada

A americana, que já havia conquistado o bronze na Rio-2016 neste mesmo aparelho, repete o pódio cinco anos depois ao atingir a pontuação de 14.000
Autor - AFP
Foto do autor
- AFP Autor
Tipo Notícia

A estrela americana Simone Biles conquistou o bronze na final da trave de equilíbrio nos Jogos de Tóquio-2020 em seu retorno à competição, atrás das chinesas Guan Chenchen, que conquistou o ouro, e de Tang Xijing (prata), nesta terça-feira, 3.

LEIA MAIS| Olimpíada: Biles diz que preocupações com saúde mental provocaram saída da final por equipes

Biles superou seus problemas de confiança para reaparecer na final da ginástica feminina na capital japonesa e conquistar o bronze. A americana, que já havia conquistado o bronze na Rio-2016 neste mesmo aparelho, repete o pódio cinco anos depois ao atingir a pontuação de 14.000, longe da jovem Chenchen, que recebeu 14.633 pontos, e de Xijing, com 14.633.

O bronze suaviza a dura semana de Biles, já que a estrela mais esperada destes Jogos desistiu de participar da final da competição geral por equipes para surpresa de todos. Desde então, Biles enfrentou um fenômeno de perda de confiança e perda de referências no ar (twisties), que a levou a desistir de quatro finais para as quais ela também havia se classificado.

Esse fenômeno de "perda de figura" que faz com que a ginasta perca suas referências no ar é especialmente problemático para acrobacias para trás que envolvem giros, segundo especialistas.

 

 

dec-es-gr/psr/aam

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Olimpíadas: Brasil pode ganhar até 10 medalhas entre hoje, 2, e terça, 3

Jogos Olímpicos
22:15 | Ago. 02, 2021
Autor O Povo
Foto do autor
O Povo Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A madrugada desta terça-feira, 3 de agosto (03/08), promete ser decisiva para o Brasil nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Os atletas brasileiros possuem chances de conseguir medalhas em dez provas, com chances consideráveis de pódio em pelo menos seis. A partir das 21 horas (horário de Brasília) de hoje, segunda-feira, 2, seguindo até as 7h20min da terça-feira, 3, o País será representado nas Olimpíadas em esportes como canoagem, boxe, vôlei, futebol, dentre outros.

Programação do Brasil nas Olimpíadas hoje, 2, e terça, 3

22:00: No vôlei de praia, Ana Patrícia e a cearense Rebecca disputam as quartas de final contra a dupla suíça Vergé-Dépré e Heidrich.

23h54: Se a dupla Isaquias Queiroz e Godmann conseguirem avançar para a final da canoagem, esse é o horário previsto para a decisão. 

00h20: No atletismo, Alison dos Santos disputa a final dos 400 metros com barreira. Com o segundo melhor tempo na semifinal, ele é um dos favoritos ao pódio. 

00h33: Na vela, a dupla brasileira Kahena Kunze e Martine Grael, disputa a regata da classe 49er FX. Na briga pelo ouro, elas já eram favoritas antes mesmo do início das Olimpíadas e entram na regata final, que vale o dobro de pontos, na liderança geral.

1h: A seleção masculina de vôlei disputa sua primeira partida eliminatória contra o Japão, ambos favoritos ao pódio. 

3h33: Na vela, na Classe Nacra 17, a dupla brasileira Gabriela Nicolino e Samuel Albrecht participam da regata final.

5h: O horário fica dividido entre o boxe e a semifinal de futebol entre Brasil e México, ambos possuem chances de medalha. No boxe, Beatriz Ferreira, disputa as quartas de final contra Raykhona Kodsova, do Uzbequistão. Se vencer, ela já garante uma medalha para o Brasil por avançar para as semifinais (não existe disputa pelo bronze no boxe). No futebol, se o Brasil vencer o México, garante vaga para a final e conquista no mínimo a prata. 

5h48: Na ginástica artística, Flávia Saraiva disputa a final da trave. Vale destacar que Simone Biles estará na disputa, a prova será a única final disputada pela americana após uma série de desistências nos Jogos de Tóquio. 

6h18: No boxe, o lutador brasileiro Wanderson Oliveira tem um confronto contra Andy Cruz, de Cuba, país com tradição no esporte. Se o brasileiro conseguir vencer, garante pelo menos a medalha de bronze. 

6h50: Ainda no boxe, o brasileiro Abner Teixeira já tem sua medalha garantida. A disputa será por uma vaga na final, novamente contra a Cuba, desta vez contra Julio La Cruz.

7h20: Com mais uma chance de medalha, o atual campeão olímpico, Thiago Braz está na disputa do salto com vara. Apesar do favorito na prova ser o sueco Armand Duplantis, atual recordista mundial, o brasileiro permanece sendo um dos melhores do mundo na modalidade e possui chances de pódio.  

OLIMPÍADAS DE TÓQUIO: CONFIRA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Rebeca Andrade faz história de novo, agora com salto de ouro

Olimpíada de Tóquio
00:30 | Ago. 02, 2021
Autor André Bloc
Foto do autor
André Bloc Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Aos 22 anos, Rebeca Andrade já enfrentou muito. A falta de apoio ao esporte no Brasil, a exigência puxada da ginástica, o fato de ser negra dentro de uma modalidade historicamente branca — e recheada de relatos de racismo. Enfrentou ainda três cirurgias de lesões graves no mesmo joelho. Contusões dolorosas, procedimentos dolorosos, reabilitação dolorosa. De certa forma, a pressão de ser a primeira mulher medalhista brasileira na modalidade em Jogos Olímpicos e a forte competição na final do salto sobre a mesa, então, pareciam pequenas.

Na madrugada de ontem, ela deixou mais duas marcas. Hoje, a jovem paulista outrora chamada de "Daianinha de Guarulhos" ouviu o hino nacional no posto mais alto do pódio na Olimpíada de Tóquio. Foi a segunda medalha de ouro da ginástica brasileira na história, depois do título de Arthur Zanetti nas argolas em 2012, e a primeira mulher do País a ficar com mais de uma medalha em apenas uma medalha em apenas uma edição de Jogos.

Prata no individual geral, atrás da norte-americana Sunisa Lee, a brasileira era a favorita no salto, principalmente após a desistência da lenda Simone Biles, que enfrenta um quadro chamado "twisties", problemas físicos e psicológicos relacionados a exercícios da ginástica. Na final única de quatro aparelhos, ela liderou este em específico. 

Pressionada, ela teve desempenho abaixo do que fez na final do individual. Mas suficiente. "Eu estou muito feliz. Trabalhei bastante durante todo esse tempo. Não sei nem o que dizer. Realmente não foram os meus melhores saltos. Só que isso é ginástica, isso acontece, é do esporte. Mas tirei uma nota suficiente para me dar o primeiro lugar e estou muito feliz!", comemorou a campeã, em entrevista à Rede Globo, já com a medalha dourada no pescoço.

O favoritismo foi confirmado com a pontuação de 15.083. A prata ficou com a americana Mykayla Skinner e o bronze com a sul-coreana Yeo Seojeong.

Não fosse o adiamento das Olimpíadas, a nova campeã sequer teria competido. Em 2019, ela fez a terceira cirurgia no joelho e teve 8 meses de recuperação. O primeiro dos procedimentos foi em 2015, quando ela tinha 16 anos e cogitou abandonar o esporte. Em 2016, competiu nos Jogos do Rio de Janeiro (RJ), ficando com uma discreta décima colocação. Nos treinos do Pan-Americano de Lima-2019, rompeu o ligamento cruzado anterior do joelho.

Rebeca conquistou a segunda medalha de ouro, décima ao todo, do Brasil na Tóquio-2020. A primeira foi do potiguar Ítalo Ferreira, no surfe. A paulista ainda tem uma boa chance de subir ao pódio. Na madrugada desta segunda-feira, por volta das 5 horas, ela leva seu "Baile de Favela" à competição de solo. 

Já na madrugada de amanhã, Flávia Saraiva compete na trave. No masculino, o Brasil tem dois competidores. Hoje, Arthur Zanetti busca o segundo ouro nas argolas, também próximo às 5 horas e Caio Sousa tenta surpreender no salto, às 6h51min.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Simone Biles não vai participar das finais do salto e barras assimétricas em Tóquio 2020

Jogos Olímpicos
00:04 | Jul. 31, 2021
Autor AFP
Tipo Notícia

A ginasta americana Simone Biles não vai participar das finais do salto e barras assimétricas no domingo, anunciou na noite de sexta-feira, 30, a Federação Americana de Ginástica.

"Após mais consultas com a equipe médica, Simone Biles decidiu não participar das finais das provas do salto e barras assimétricas. Ela continuará a ser avaliada diariamente para determinar se competirá nas finais para exercícios de solo (terça) e trave de equilíbrio (quarta)", explicou no Twitter a federação.

Biles, de 24 anos, relatou que estava lutando com "demônios na cabeça" e muita pressão para administrar pelas expectativas criadas a respeito de sua participação nos Jogos.

"Assim que eu piso no tablado, sou só eu e a minha cabeça, lidando com demônios em minha cabeça. Tenho que fazer o que é certo para mim e concentrar na minha saúde mental, e não prejudicar minha saúde e meu bem-estar, explicou a americana à imprensa na terça-feira, após interromper sua participação na final da disputa geral por equipes.

A americana, que conquistou cinco medalhas na Rio 2016, explicou que precisava proteger sua saúde mental e que estava com menos confiança do que antes.

Depois dos Jogos no Rio de Janeiro, Biles tirou um ano sabático. Ela revelou que estava entre as vítimas de agressão sexual do médico da equipe americana de ginástica Larry Nassar, atualmente preso, e se identifica como "uma sobrevivente".

Ela também denunciou publicamente a passividade das autoridades esportivas americanas. "Depois de tudo o que enfrentei com a federação, reencontrar o amor ao esporte e ser simplesmente Simone tem sido um longo caminho", afirmou recentemente.

Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), visitou a ginasta em Tóquio na sexta-feira, chamando-a de "corajosa" por falar abertamente sobre seus problemas psicológicos.

OLIMPÍADAS DE TÓQUIO: CONFIRA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Judô: Maria Suelen Altheman tem lesão grave no ligamento do joelho esquerdo

LESÃO NA OLIMPÍADA
09:54 | Jul. 30, 2021
Autor AFP
Tipo Notícia

A judoca Maria Suelen Altheman sofreu uma grave lesão na luta em que foi derrotada por ippon pela francesa Romane Dicko nas quartas de final da categoria até 78kg nos Jogos de Tóquio.

+ "Enquanto você dormia dia 7": judô sem medalha, vitória no vôlei e queda de Djokovic

A paulista precisou sair do tatame de maca, após sofrer uma lesão no joelho no momento em que foi derrubada pela adversária francesa.

A Confederação Brasileira de Judô (CBJ) emitiu um comunicado confirmando a lesão da atleta e o fim de sua participação em Tóquio.

"A Missão Brasileira em Tóquio 2020 e a Confederação Brasileira de Judô informam que a judoca Maria Suelen Altheman sofreu lesão no ligamento patelar do joelho esquerdo e não disputará a prova por equipes mistas marcada para este sábado, dia 31. A atleta precisará passar por cirurgia no retorno ao Brasil", indicou a CBJ.

"A contusão ocorreu no combate de quartas de final. Após ser avaliada pelo médico da equipe de judô, Guilherme Garofo, ainda no tatame, a atleta foi encaminhada para a realização de exames de imagem na Policlínica da Vila Olímpica, que confirmaram a lesão no ligamento patelar. Ela encerra sua terceira participação olímpica na sétima colocação", acrescentou a entidade.

Maria Suellen Altheman não participará da competição por equipes em Tóquio, que estreia em Jogos Olímpicos.

Esta é a terceira Olimpíada da brasileira, depois de ficar em quinto em Londres-2012 e em nono na Rio-2016.

 


Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ginástica artística do Brasil nas Olimpíadas: veja programação das finais

Jogos Olímpicos
21:08 | Jul. 29, 2021
Autor Mateus Brisa
Foto do autor
Mateus Brisa Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Após a conquista da ginasta paulista Rebeca Andrade, o Brasil continua na disputa por medalhas na ginástica durante os Jogos Olímpicos de Tóquio. Até terça-feira, 3 de agosto (03/08), representantes brasileiros, incluindo a medalhista de prata de 22 anos, participam de cinco finais da modalidade nas Olimpíadas. Na primeira delas, no domingo, 1º, Rebeca participa da final da versão individual por aparelhos, categoria salto, a partir de 5h45min.

"Essa medalha não é só minha" Rebeca Andrade

Já na segunda-feira, 2, às 5 horas, o paulista Arthur Zanetti disputa na categoria argolas da ginástica individual por aparelhos, seguido de Rebeca, às 5h45min, na categoria solo, e do carioca Caio Souza, às 6h54min, na categoria salto. A também carioca Flávia Saraiva será finalista da categoria trave na terça-feira, 3, às 5h48min.

Olimpíadas: programação das finais da ginástica artística do Brasil

  • Domingo, 1º, às 5h45min: Individual por aparelho (Salto) – Rebeca Andrade
  • Segunda-feira, 2, às 5 horas: Individual por aparelho (Argolas) – Arthur Zanetti
  • Segunda-feira, 2, às 5h45min: Individual por aparelho (Solo) – Rebeca Andrade
  • Segunda-feira, 2, às 6h54min: Individual por aparelho (Salto) – Caio Souza
  • Terça-feira, 3, às 5h48min: Individual por aparelho (Trave) – Flávia Saraiva

Olimpíadas ao vivo: onde assistir

Os jogos das diferentes modalidades das Olimpíadas de Tóquio 2021 terão transmissão e você pode assistir ao vivo às partidas do Brasil e outras seleções pela Rede Globo na TV aberta, com BandSports e SporTV exibindo na televisão paga. 

+ Olimpíadas de Tóquio: confira calendário completo com dia e horário

Pela internet, a programação olímpica também pode ser vista online no Globoplay para assinantes Globoplay + Canais.

Curiosidades das Olimpíadas

+ Onde e como surgiram as Olimpíadas

+ O que representa a Tocha Olímpica

+ Quanto custou as Olimpíadas de Tóquio

+ Quais as modalidades terão nos Jogos Olímpicos

+ Quais países participarão dos Jogos Olímpicos

+ Olimpíadas de Tóquio: quem são os favoritos

Olimpíadas de Tóquio: confira as últimas notícias

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags