Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Olimpíada: Nos pênaltis, Brasil perde para Canadá no futebol feminino

A goleira Bárbara chegou a pegar um pênalti, mas duas brasileiras não conseguiram converter a penalidade, dando adeus a Tóquio 2020
08:02 | Jul. 30, 2021 Autor - Redação O POVO Tipo Notícia

Em um jogo duro que terminou nos pênaltis, a seleção brasileira feminina de futebol acabou perdendo para o Canadá e deu adeus às Olimpíadas de Tóquio 2020 sem medalha. O jogo, realizado nesta sexta-feira, 30, terminou em 0 a 0 no tempo normal, resultado que seguiu até a prorrogação. Nos pênaltis, o Canadá levou a melhor em 4 a 3. 

+ "Peço que as pessoas não apontem o dedo", diz Marta após eliminação do Brasil

A goleira Bárbara chegou a pegar um pênalti, mas duas brasileiras não conseguiram converter a penalidade, dando adeus a Tóquio 2020 sem medalhas. O jogo foi equilibrado, mas Brasil começou o primeiro tempo melhor. Nos primeiros 45 minutos, a melhor oportunidade foi de Debinha, que finalizou em cima da goleira.

Na etapa final, o Canadá chegou a tentar com uma bola que parou no travessão. O Brasil encontrou muita dificuldade para criar, tendo poucas oportunidades. Já na prorrogação, ambas as equipes aparentaram cansaço, com poucas chances. O Brasil chegou a levar perigo com Érika de cabeça.

Nas penalidades, a goleira Bárbara começou pegando um dos pênaltis, mas Andressa Alves e Rafaelle desperdiçaram suas cobranças. Agora, o Canadá aguarda a definição do confronto entre Estados Unidos e Holanda, que se enfrentam ainda nesta sexta. Já a semifinal acontece na segunda-feira da semana que vem, às 5h.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Seleção feminina perde para Canadá nos pênaltis e dá adeus a Tóquio

Esportes
2021-07-30 08:50:01 Autor Agência Brasil Tipo Notícia

A seleção brasileira de futebol feminino deu adeus à Olimpíada de Tóquio (Japão) na manhã desta sexta-feira (30). As brasileiras foram eliminadas pelo Canadá por 4 a 3 nas cobranças de pênaltis, após o tempo regulamentar terminar empatado de 0 a 0. A partida válida pelas quartas de final foi disputada no estádio de Miyagi, na cidade de Rifu.

Marcaram para o Brasil, Marta, Debinha e Érika. Já pelo Canadá, Fleming, Lawrence, Leon e Gilles converteram. A dupla Andressa Alves e Rafaelle desperdiçou suas cobranças, assim como a canadense Sinclair não conseguiu balançar a rede.

No primeiro foram poucas oportunidades de gol. O Brasil chegou ao ataque com perigo pela primeira vez aos 14 minutos em chute da lateral-esquerda Tamiris por cima da baliza adversária. Aos 24, foi a vez do Canadá arriscar em chute rasteiro da meio-campista Fleming à esquerda da goleira Bárbara. A primeira etapa prosseguiu com muita luta das duas equipes, mas pouca criatividade.

Na etapa final, brasileiras e canadenses continuaram com atuações equilibradas. Aos 13, a equipe comandada por Pia Sundhage sofreu susto em cabeçada de Bruna Benites no travessão. Aos 25, a brasileira Debinha respondeu em chute cruzado da entrada da grande área, provocando a defesa da goleira Labbé. No finalzinho, o Canadá ensaiou uma pressão, entretanto não transformou domínio em chance de gol.

Prorrogação

Após os 90 minutos, a prorrogação começou com os dois times cansados e precavidos, já que um gol nesta altura do confronto poderia ser decisivo. Levando em consideração esta situação, o primeiro tempo foi de muita luta, mas com pouca exposição de ambas as equipes.

Na segunda etapa, as canadenses assustaram com o chute cruzado de Leon com menos de um minuto. A bola saiu à direita da baliza de Bárbara. O Brasil respondeu com perigo aos 7 em um chute da atacante Debinha, da entrada da grande área, que passou próximo à trave direita de Labbé. Na sequência, a seleção verde-amarela pressionou e aos 12 quase inaugurou o marcador em cabeçada da zagueira Érika, obrigando intervenção de Labbé.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Boxe: Abner Teixeira se classifica para a semifinal e garante medalha para o Brasil

SEMIFINALISTA
2021-07-30 08:20:00 Autor LucasMota Tipo Notícia

O brasileiro Abner Teixeira venceu Hussein Iashaish, da Jordânia, garantiu vaga nas semifinais da categoria pesada do boxe e, consequentemente, assegurou a primeira medalha do Brasil na modalidade, nos Jogos Olímpicos de Tóquio. O paulista bateu o adversário por decisão dividida.

+ "Enquanto você dormia dia 7": judô sem medalha, vitória no vôlei e queda de Djokovic

Com o resultado, o boxeador garante a primeira medalha do Time Brasil, tendo em vista que no boxe não existe disputa pelo bronze entre os semifinalistas derrotados. Portanto, caso perca no duelo da semifinal, Abner já tem o terceiro lugar no pódio assegurado.

Antes do confronto nas quartas de final, Abner deu show na estreia, quando venceu o britânico Cheavon Clarke. O paulista é bicampeão brasileiro juvenil e de elite e é uma referência do boxe brasileiro na categoria acima dos 91 kg. Nos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, em 2019, ele conquistou o bronze.

Mais cedo, o Time Brasil contou com a estreia de Bia Ferreira, favorita ao ouro no peso-leve feminino. Atual campeã mundial, ela venceu a pugilista Shih-Yi Wu, de Taiwan. Por outro lado, Keno Marley perdeu e foi eliminado na Olimpíada.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

'Fascismo' à brasileira tem abrigo no PTB

POLÍTICA
2021-07-30 08:09:49 Autor Agência Estado Tipo Notícia

Depois do trabalhismo dos anos pré-1964 e do fisiologismo posterior à redemocratização, o integralismo - versão brasileira do fascismo - chegou ao PTB. Fundada em 1945 por Getúlio Vargas, a sigla foi a casa das duas primeiras gerações trabalhistas, inclusive do presidente João Goulart, mas está cada vez mais radicalizado à direita.
Seu presidente, o ex-deputado Roberto Jefferson - condenado e preso por corrupção no mensalão -, personifica hoje o bolsonarismo: adotou um discurso armamentista, religioso e anticomunista. Um dos marcos da guinada à direita do partido é a recepção, em suas fileiras, a grupos declaradamente fascistas. No mês passado, integrantes da Frente Integralista Brasileira (FIB), entre eles o presidente Moisés José Lima, filiaram-se ao PTB em São Paulo. O grupo afirmou em comunicado que a sigla se converteu numa casa para os integralistas que quiserem disputar eleições no ano que vem e em 2024.
Fundado em 1932 pelo jornalista Plínio Salgado, o integralismo imitava o fascismo italiano, de Benito Mussolini. "Por mais contraditório que pareça a alguns, o fato de (o PTB) ter certa ligação no passado com Getúlio Vargas, a realidade é que a única ligação é histórica: desde sua refundação nos anos 80 até recentemente, o partido seguiu certo pragmatismo que já era observado no PTB de décadas anteriores", disse em seu site a Frente Integralista. "Tendo no último ano uma revisão doutrinária intensa, assumiram-se como bandeiras estatutárias a defesa da vida, o patriotismo, a família tradicional e os valores cristãos."
Autor do livro O fascismo em camisas verdes: do integralismo ao neointegralismo em parceria com Leandro Pereira Gonçalves, o historiador Odilon Caldeira Neto diz que os grupos neointegralistas sempre buscam aproximação com algum partido político estabelecido. No Brasil essa prática começou, afirma, com o antigo Prona, de Enéas Carneiro, passou pelo PRTB de Levy Fidelix e agora dá sinais de que tentará o mesmo com o PTB. "Parece que, nesse sentido, o Roberto Jefferson virou o novo Levy. Foi Levy, na eleição de 2010, quem ajudou a popularizar certas ideias radicais. Com a emergência das chamadas novas direitas, ele e o PRTB fizeram um grande esforço em prol da sua radicalização", afirmou Neto.
O historiador estima que a FIB não tenha mais que algumas centenas de militantes, o que também é uma característica de grupos neofascistas de outros países. Eles não tentam ser uma organização de massa - diferentemente do passado, quando protagonizavam desfiles militarizados, uniformizados de verde e com braçadeiras com o sigma. Preferem se aproximar de grupos mais amplos, que tenham poder. Nos anos 50 e 60, chegaram a se reorganizar no Partido de Representação Popular (PRP), sem expressão.
Interlocutor da FIB com a institucionalidade, o advogado Paulo Fernando Melo da Costa, ex-secretário especial da ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos), atuou pela soltura dos militantes bolsonaristas Sara Giromini e Oswaldo Eustáquio, acusados de atentar contra a democracia. Foi Costa quem articulou as filiações de integralistas ao PTB.
Caldeira Neto considera que os valores morais defendidos pelos neointegralistas são os mesmos de segmentos maiores do conservadorismo brasileiro, o que os aproxima do bolsonarismo. Mas vão além da defesa um tanto quanto genérica da "família" e cultivam visões de Estado inspiradas no fascismo. "Defendem um certo tipo de organização da sociedade: integral, antidemocrática, antiparlamentarista; a extinção dos partidos políticos, o controle da imprensa e assim por diante. Inspiram-se de forma muito afeiçoada no modelo de sociedade integral do tempo do fascismo."
Em nota, a FIB nega ser versão brasileira do fascismo, ao contrário do que dizem historiadores. "Diversas críticas ao fascismo e movimentos diversos foram feitas - durante e inclusive antes mesmo da AIB - por Plínio Salgado", diz a nota, assinada por Lucas Carvalho, secretário-geral da FIB. A Frente alega o PTB não passa a ser necessariamente a casa dos neointegralistas, que estão espalhados por outras legendas.
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Bruno Fratus tem quarto melhor tempo nos 50m livre da natação e avança nas Olimpíadas

tóquio 2020
2021-07-30 07:44:00 Autor Júlia Duarte Tipo Notícia

O brasileiro Bruno Fratus estreou nesta sexta-feira, 30, na Olimpíada de Tóquio nos 50m livre. O nadador chegou em primeiro lugar de sua bateria com tempo de 21s67, garantindo o quarto melhor tempo geral. Com o resultado, ele avançou para próxima fase da busca pela medalha olímpica.

O estadunidense Caeleb Dressel fez o melhor tempo da fase classificatória, com tempo de 21s32. Caeleb Dressel já conquistou a medalha de ouro nos 100m livre, completando a prova com o tempo de 47.02, batendo o recorde olímpico que pertencia a Eamon Sullivan (47.05), da Austrália, estabelecido em Pequim 2008.

LEIA MAIS: Sucessor de Phelps, Caeleb Dressel é ouro nos 100m livre e quebra recorde olímpico

Além do estadunidense, as classificatórias dos 50m terminaram com o francês Florent Manaudou (21s65), em segundo, e o grego Kristian Gkolomec (21s66), em terceiro. Bruno, o quarto melhor tempo, voltará ao Centro Aquático ainda hoje, por volta das 23h (de Brasília), onde disputará as semifinais da modalidade.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Sob -7° C, repórter de SC ganha cobertor de turistas e usa ao vivo durante telejornal

Onda de frio
2021-07-30 07:20:00 Autor Lara Vieira Tipo Notícia

No frio intenso de Santa Catarina, o repórter Douglas Márcio apareceu ao vivo no telejornal local agasalhado em um cobertor. O caso foi registrado nesta quinta-feira, 29. Segundo o jornalista da NSC TV, o item foi um presente de uma família de turistas que se solidarizou com o profissional trabalhando ao ar livre no município de Urupema, que registrava -7ºC. 

"A gente não dá conta, o frio é muito intenso. Então me ofereceram um cobertor e eu não neguei", afirmou o jornalista. De acordo com informações do portal G1, o repórter recebeu a manta antes das 6h desta quinta. “O cobertor me encontrou. Uma família de Joinville ficou com pena de mim, me emprestou o cobertor. Aceitei na hora, porque está muito frio. Nunca senti nada parecido”, disse Douglas para a apresentadora Eveline Poncio, no momento em que apareceu ao vivo.

Segundo o jornalista, a família notou que ele estava tentando se aquecer durante sua participação no telejornal Hora 1. Antes de Douglas iniciar a participação no programa "Bom dia Santa Catarina", as 6h, uma criança se dirigiu ao carro em que o jornalista estava e lhe entregou o item. "Eu estava com muito frio, dando uns pulinhos no meio da praça. Depois, o menino, Lorenzo o nome dele, bateu no vidro [do carro] e falou: 'oh, pra ti. Pode ficar'. Eu aceitei, meio sem reação na hora. Me enrolei no cobertor e quando fui fazer ao vivo, foi com cobertor mesmo porque ficou melhor, mais suportável", explicou.

Além de repórter, Douglas Márcio é técnico em meteorologia. Ele continua na Serra catarinense para a cobertura sobre o frio que permanece nos próximos dias. Nesta quinta, o estado de Santa Catarina registrou a temperatura mais baixa do ano no Brasil: -8,6ºC às 4h no município de Bom Jardim da Serra. Outras 20 cidades também registraram temperaturas negativas e neve.


Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags