PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Infantino aponta como meta a reabertura de estádios, mas prioriza a saúde

Presidente do Fifa não estipulou datas e prefere manter cautela sobre a volta dos torcedores nas arquibancadas

16:49 | 10/09/2020
Gianni Infantino, presidente da Fifa, coloca volta das torcidas nos estádios como meta (Foto: MICHAEL BUHOLZER / AFP PHOTO)
Gianni Infantino, presidente da Fifa, coloca volta das torcidas nos estádios como meta (Foto: MICHAEL BUHOLZER / AFP PHOTO)

A reabertura dos estádios de futebol aos torcedores é "o objetivo" com a retomada dos diferentes campeonatos, mas a prioridade deve continuar a ser o saúde, destacou o presidente da Fifa, Gianni Infantino, nesta quarta-feira, a caminho de Roma.

"Futebol sem torcedores obviamente não é o mesmo, mas o mais importante é a saúde", afirmou o dirigente esportivo que se reunirá com o primeiro-ministro italiano, Giuseppe Conte, para falar sobre o retorno das competições no país, onde o Campeonato Italiano vai começar no dia 19 de setembro com portões fechados.

LEIA MAISPortões abertos: futebol pode ter público nos estádios em outubro

“Temos que estudar como podemos voltar a começar. É certo que reabertura dos estádios é o objetivo, mas sem por pressão e nem fixar prazos. Estamos trabalhando seriamente para voltar à normalidade”, destacou Infantino, acrescentando que está realizando na Itália sua “primeira viagem oficial depois do confinamento”.

Já o presidente da Federação Italiana (FIGC), Gabriele Gravina, também foi cauteloso sobre o assunto, enquanto que as pressões para a abertura parcial de dos estádios se multiplicam na Itália partindo de clubes, jogadores e treinadores.

O presidente da federação aproveitou para indicar que dará luz verde para manter cinco substituições por jogo. Esta medida implementada pela Fifa para reduzir o risco de lesões em jogadores submetidos a uma sucessão contínua de jogos após a paralisação nos torneios por conta do coronavírus pode ser prolongada para esta temporada nos campeonatos que assim desejarem.

“Nessa situação particular, as cinco substituições são uma solução muito boa. Elas serão aplicados até o final da temporada. Para o futuro, veremos”, concluiu Infantino.