PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
NOTÍCIA

Ceni x Conceição: duelo é de técnicos jovens e modernos, mas em patamares diferentes na carreira

Apesar do pouco tempo de carreira e de semelhanças, treinadores estão em estágios diferentes de consolidação da carreira

Vinícius França
11:51 | 28/08/2020
Duelo de jovens treinadores no Brasileirão tem ideias táticas semelhantes  (Foto: Divulgação)
Duelo de jovens treinadores no Brasileirão tem ideias táticas semelhantes (Foto: Divulgação)

O confronto entre Fortaleza e Red Bull Bragantino, marcado para este sábado, 29, às 21 horas, na Arena Castelão, coloca frente a frente dois jovens treinadores do futebol brasileiro. Felipe Conceição, de 41 anos, e Rogério Ceni, de 47, estão no processo de consolidar a carreira, mas com diferenças importantes em questão de títulos e conquistas. Os dois são os personagens de um duelo que aponta diretamente para o futuro.

Mesmo com poucos anos de carreira, Ceni já acumula um currículo vencedor, com títulos da Série B, da Copa do Nordeste, do Campeonato Cearense e um acesso à Série A, além de ter participado da melhor campanha do Leão no Brasileirão de pontos corridos. Ao contrário do adversário, o técnico tricolor já provou seu potencial, cravou o nome na história tricolor e já está mais do que credenciado para comandar outros clubes.

Listen to "#102 - Os detalhes dos triunfos de Ceará e Fortaleza e o que vem pela frente" on Spreaker.

Felipe Conceição, por sua vez, vê no “BragaBull” uma grande oportunidade para fazer o seu primeiro trabalho sólido que renda frutos reais. Comandando uma equipe forte e com investimento altíssimo, o treinador tem a missão de fazer uma boa campanha na Série A, tirar o máximo das joias que o Bragantino tem em mãos e, num nível pessoal, consolidar a sua marca na parte de cima do mercado de técnicos do Brasil.

Ex-jogador formado na base do Botafogo, Felipe “Tigrão” (alcunha da época de atleta) foi revelado como técnico no próprio Fogão. Deixou a equipe e passou por Macaé e América-MG, onde chegou como coordenador técnico. Assumiu o Coelho como interino e comandou uma campanha surpreendente de recuperação do time mineiro na Série B, saindo da briga contra o rebaixamento para a briga pelo acesso, perdendo a chance de subir para a primeira divisão na última rodada.

O desempenho no América-MG e o fato de ser um nome em ascensão, assim como o próprio clube, foram os motivos que fizeram o Red Bull Bragantino apostar em Conceição. Nesta temporada, o Massa Bruta chegou às quartas do Paulistão e aguarda o início das oitavas da Copa do Brasil, fase para a qual se classificou automaticamente após o título da Série B em 2019.

Felipe Conceição define o próprio estilo como “agressivo”: “intenso, de transições rápidas, que busca a vitória, busca se impor”, como definiu em entrevista ao jornal O Globo. Não é muito diferente do que Rogério Ceni visualiza nos jogos do Fortaleza, querendo vencer dentro ou fora de casa, com jogadores velozes e linhas altas. O principal esquema usado pelo Braga é o 4-3-3, com dois volantes e um meia, dois pontas e um centroavante. O atacante Artur Victor, que atua nos lados, é o principal destaque.

Não seria inesperado se Ceni servisse de inspiração ou modelo para Conceição. Afinal, o pouco tempo de carreira do treinador já deu mostras do seu potencial. Com estilos parecidos, times buscando consolidação na Série A e propostas semelhantes de jogo, o confronto entre Fortaleza e Red Bull Bragantino tem elementos bastante interessantes para quem gosta de tática, times agressivos, partidas animadas e, enfim, de futebol em geral.