PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
NOTÍCIA

Tudo pelas cores: argentino viaja 3.471 km para ver partida entre Fortaleza e Independiente

Luiggi Parisi vive no Brasil há 19 anos e segue o Rojo sempre que a equipe portenha vem jogar no país

IARA COSTA
22:32 | 26/02/2020
Luiggi Parisi presente em partida do Independiente no Maracanã
Luiggi Parisi presente em partida do Independiente no Maracanã (Foto: Arquivo Pessoal)

Na primeira partida entre Fortaleza e Independiente, cerca de 2.700 torcedores do Tricolor tomaram Avelllaneda para ver o Leão jogar. No jogo desta quinta-feira, 27, quando o Rojo entrar em campo, o Castelão estará ainda mais tomado pelos adeptos do time do Pici, mas engana-se quem pensa que o clube estará sozinho para enfrentar o time cearense.

Quando o time argentino entrar no gramado e mirar seu olhar para o setor especial, a garantia é de ver pelo menos um torcedor. O argentino Luiggi Parisi, 32, atualmente mora no Brasil e estará nas arquibancadas do Castelão.

+ Independiente conclui treinos e técnico fala sobre expectativa para partida: "Será intenso"

“O amor não entende de resultados. Tem uma música que representa muito bem que diz "la vida por los colores" (a vida pelas cores) e assim que penso. Quando soube que a data seria na semana do Carnaval, pedi os dias (no trabalho) para vir ver o jogo”, confidenciou o vendedor técnico ao Esportes O POVO.

Filho de um casal de argentinos, Luiggi sempre teve o futebol presente em sua vida. Diante de uma família dividida entre Boca Juniors e River Plate, o fã de futebol decidiu aos seis anos que torceria pelo time que vencesse a Supercopa Libertadores de 1994 e a história fez com que o Independiente o escolhesse.

“Desde então, surgiu um fanatismo sem tamanho”, relatou o vendedor. E o tamanho desse fanatismo fez com que Luiggi realizasse loucuras de amor pelo Rojo. Quando morador de Córdoba, na Argentina, viajava pontualmente por 704 km para Avellaneda e aproveitava todas as oportunidades possíveis para ver seu time em campo, como fará na noite desta quinta-feira, 27. “Uma vez, viajei pro casamento de uma prima e soube lá que o jogo (do Independiente) seria no mesmo horário. Só vi minha prima entrar na igreja, me troquei no banheiro e fui pro jogo”, contou o torcedor.

Esse é um dos capítulos de uma imensa história que Luiggi pode contar sobre seu amor ao Independiente, mas ainda há muitos episódios. Vivendo em Curitiba, na região sul do Brasil, há 19 anos, o torcedor do Rojo já viajou para diversos locais e conheceu quase todos os estádios brasileiros que a equipe esteve desde então.

“Só não pude ir contra o Goiás na final da Sul-Americana de 2010, pois ia pra Argentina no segundo jogo, mas tive problemas na viagem e também não fui”, relatou. Em suas lembranças estão partidas diante da Chapecoense, duas Recopas em Porto Alegre, viagens a São Paulo e Rio de Janeiro.

É a primeira vez, porém, que a equipe vem ao Estado, e Luiggi espera um jogo bem aberto. “O momento do Independiente não é bom, perdeu o clássico recentemente, a torcida tem cobrado jogadores é a diretoria estava com salários atrasados, mas historicamente é nesses momentos que a camisa pesa a nosso favor. O critérios de gol de visitante pode ser determinante. E apesar da grande apoio da torcida que o Fortaleza terá, a inexperiência em jogos internacionais pode deixar o time nervoso”, analisou.

E independentemente do resultado que seja, Luiggi terá cumprido o que tanto já cantou nas arquibancadas de Avellaneda. Deixando tudo para ver o time, ‘alentando’ onde quer que eles joguem.

 

Clique na imagem para abrir a galeria

Leia também: Fortaleza libera carga extra de meia entrada para jogo entre Fortaleza e Independiente