PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
NOTÍCIA

Com 70% das obras concluídas, Fortaleza volta em definitivo ao Pici nesta terça-feira

Em transição de estádio para centro de excelência, Alcides Santos volta a ser a casa do futebol profissional do Leão

Brenno Rebouças
12:53 | 26/11/2019
Alcides Santos passa por reforma desde os primeiros meses de 2019
Alcides Santos passa por reforma desde os primeiros meses de 2019 (Foto: ALEX GOMES)

A reapresentação do elenco do Fortaleza na tarde desta terça-feira, 26, no Pici marca o retorno das atividades do clube em definitivo para a sede. Em transição de estádio para centro de excelência, o Alcides Santos abrigará o Leão até o fim da Série A e estará pronto para a pré-temporada de 2020.

No atual estágio das obras, os campos estão totalmente concluídos e por isso Rogério Ceni terá condições de preparar a equipe para os quatro jogos que ainda restam. Ele já vinha utilizando o local para as atividades de vésperas de jogos em casa ou para último treino antes das viagens, uma vez que a equipe já ficava concentrada no hotel posteriormente. Os gramados foram liberados dia 19 de julho.

Pelo cronograma do diretoria de patrimônio, que tem à frente Rodrigo Monteiro, até janeiro vão estar concluídos o novo vestiário, a academia e a sala de fisioterapia. “Quando terminar a atual temporada temos exatamente um mês para acelerar essa parte. O combinado com o departamento de futebol é deixar o Pici pronto para receber o time profissional com todas as condições até o retorno das férias”, diz Rodrigo. O investimento até lá será de R$ 2 milhões.

Nos meses subsequentes, a prioridade será a construção da área de reabilitação, que terá piscina, espaço para crioterapia, dentre outras salas ligadas ao departamento de fisioterapia. Por fim, já com a temporada bem avançada, o hotel será ampliado e o restante da estrutura será reformada. A prioridade, no entanto, é o futebol.

Apesar de não saber se seguirá no comando técnico do Fortaleza (por vontade própria), Rogério Ceni gosta sempre de saber sobre os avanços da obra e dá algumas orientações. Foi ele, inclusive, que incentivou o clube a fazer do estádio um centro de excelência.

Em termos de porcentagem, o Rodrigo Monteiro diz que para dar condições de treinos diários ao time profissional, as obras já estão em quase 70%. Se considerarmos a conclusão geral da transformação do espaço físico do Pici, no entanto, esse percentual cai para 50%, já que há a intenção de ampliar o refeitório, aproveitar o prédio que era destinado à base para aumentar os alojamentos e outros detalhes.

Com o retorno do futebol profissional ao Pici, o CT Ribamar Bezerra ficará totalmente exclusivo para as categorias de base do Leão. O equipamento ganhou melhorias nos últimos dois anos, já que Rogério Ceni o adotou como local de treinos diários.