PUBLICIDADE
Fortaleza Esporte Clube
NOTÍCIA

Fortaleza não segura Athletico-PR na Arena da Baixada e termina goleado por 4 a 1

Leão não conseguiu segurar o ímpeto do Furacão, especialmente no primeiro tempo e chegou ao quarto jogo consecutivo na competição

Brenno Rebouças
23:28 | 26/09/2019
Fortaleza acabou envolvido pelo jogo do time da casa, que pressionou o jogo inteiro.
Fortaleza acabou envolvido pelo jogo do time da casa, que pressionou o jogo inteiro. (Foto: Miguel Locatelli/Athletico Paranaense)

Caiu a invencibilidade do Fortaleza como visitante na era Zé Ricardo. Nesta quinta-feira, 26, na Arena da Baixada, o Leão perdeu de virada para o Athletico-PR, por 4 a 1, e chegou a quarta partida consecutiva sem vitória na Série A do Brasileiro.

Dessa vez o Tricolor não conseguiu um tempo de superioridade, como em outras oportunidades e passou a maior parte do tempo sofrendo para conter o Furacão.

O padrão do rubro-negro quando joga em casa é pressionar, mas nesta quinta, no primeiro tempo, a posse de bola do Athletico-PR chegou a 75%. Por incrível que pareça, porém, foi o Fortaleza que saiu na frente.

Logo nos primeiros cinco minutos, numa sequência de escanteios para o Leão, a bola é bate no braço de Léo Paraíba, mas a arbitragem de campo não viu. Após analisar as imagens, o VAR chamou o árbitro, que foi até o monitor e marcou a penalidade. Wellington Paulista cobrou e converteu.

A partir daí o Furacão não deixou o Fortaleza respirar. Foram vários ataques em seguida, com Marco Ruben sendo a ponta final de quase todos. As linhas de defesa baixas do Fortaleza faziam com que os donos da casa ficassem o tempo inteiro no campo de ataque e para sair ao ataque o Tricolor tinha que apostar em chutes longos.

Era questão de tempo para o gol de empate acontecer e ele veio aos 32, com cruzamento de Rony e desvio de Ruben, com a ponta da chuteira.

Zé Ricardo adiantou a marcação e tentou fazer pressão, mas não tinha força para isso. A única oportunidade surgiu de uma bola interceptada por Carlinhos que terminou com lançamento para Felipe Pires. O atacante invadiu a área e com ângulo fechado chutou por cima da trave.

A virada do Furacão veio ainda na primeira etapa. Já nos acréscimos, aos 48, Nikão recebeu de Cittadini no lado direito da grande área e bateu seco. Boeck apenas observou.

O Furacão voltou para o segundo tempo com a intenção de administrar a partida. Tanto que o Fortaleza conseguiu diminuir a distância na posse de bola e até finalizar mais nos primeiros minutos — porém sem perigo —, mas bastava os donos da casa acelerarem um pouco mais para o panorama voltar a ser o mesmo da primeira etapa.

Aos 15 minutos, quando Léo Citadini aproveitou uma bola na área e desviou para o gol, marcando o terceiro do Furacão, sabia-se que o resultado estava definido. O Tricolor não dava qualquer indício de buscar o resultado.

As alterações de Zé Ricardo, lançando Marlon, Nathan e Araruna pouco acrescentaram. O Leão só teve chance real com uma bola desviada de Wellington Paulista, em posição irregular, e uma jogada individual de Romarinho.

Teve tempo ainda para Marcelo Cirino, aproveitando rebote de uma bola no travessão, marcar o quarto gol, já aos 48.

Foi a sétima partida de Zé Ricardo como técnico do Fortaleza. A quarta derrota e a primeira goleada sofrida.

FICHA TÉCNICA

ATHLETICO-PR 4 X 1 FORTALEZA

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)

Data: 26 de setembro de 2019, quinta-feira

Horário: 21h30 (de Brasília)

Árbitro: Vinicius Gomes do Amaral (RS)

Assistentes: Lucio Beiersdorf Flor (RS) e Jose Eduardo Calza (RS)

VAR: Jean Pierre Goncalves Lima (RS)

Cartões amarelos: Léo Pereira, Wellington (Athletico)

GOLS:

Athletico: Marco Rúben (32 minutos do 1º tempo) e Nikão (48 minutos do 1º tempo), Léo Cittadini (15 minutos do 2º tempo), Marcelo Cirino (48 minutos do 2º tempo)

Fortaleza: Wellington Paulista (9 minutos do 1º tempo)

Athletico: Santos; Madson, Lucas Halter, Léo Pereira e Márcio Azevedo; Wellington (Lucho González), Bruno Guimarães e Léo Cittadini, Nikão, Rony e Marco Ruben.

Técnico: Tiago Nunes

Fortaleza: Marcelo Boeck; Tinga, Jackson, Quintero e Carlinhos; Juninho, Gabriel Dias e Matheus Vargas; Felipe Pires (Marlon), Romarinho e Wellington Paulista.

Técnico: Zé Ricardo