PUBLICIDADE
Esportes

Terceira força? Corinthians vive déjà vu antes de nova Era Carille

Quando Fábio Carille assumiu o time do Corinthians em janeiro de 2017, a desconfiança pairava sobre o clube. O técnico não passava de um auxiliar que ganhara oportunidade diante dos insucessos da diretora na missão de contratar um técnico. Além disso, a dificuldade para contratar reforços era imensa mediante a ausência de recursos. No fim, [?]

07:30 | 01/01/2019

Quando Fábio Carille assumiu o time do Corinthians em janeiro de 2017, a desconfiança pairava sobre o clube. O técnico não passava de um auxiliar que ganhara oportunidade diante dos insucessos da diretora na missão de contratar um técnico. Além disso, a dificuldade para contratar reforços era imensa mediante a ausência de recursos.

No fim, Carille provou seu valor, montou um grupo organizado e competitivo e levou o Corinthians aos títulos do Campeonato Paulista e também do Campeonato Brasileiro.

À época, a equipe corintiana ficou marcada pelo estigma de ?quarta força? por causa da opinião de diversos comentaristas, ex-jogadores, jornalistas e torcedores, que enxergavam Palmeiras, São Paulo e Santos em melhores condições.

O assunto perdurou até o início de 2018, quando o próprio Fábio Carille analisou o Corinthians atrás de seus rivais paulistanos, apenas com o Santos em cenário mais preocupante.

A temporada 2019 se apresenta e Fábio Carille está de volta ao Corinthians para iniciar uma Nova Era pelo clube que transformou sua carreira. O panorama não é tão diferente dos últimos dois anos, principalmente em relação a 2018.

Aparentemente, Palmeiras e São Paulo largam na frente. O alviverde tem um elenco recheado de grandes jogadores, é o recém-campeão Brasileiro e ainda acertou as contratações de Zé Rafael, Arthur, Carlos Eduardo, Matheus Fernandes e Felipe Pires.

Já o São Paulo não economizou e comprou Pablo, meia-atacante que fez sucesso pelo Athletico, Hernanes, grande ídolo da torcida e melhor jogador do Campeonato Brasileiro de 2017, e Tiago Volpi, goleiro que estava no México e chega para acabar com a carência na posição. Léo Pelé e Igor Vinicius são outros reforços já garantidos pelo tricolor.

Elenco por elenco, o Corinthians terá novamente de formar uma equipe competitiva dentro de suas limitações, sem grandes estrelas. Mesmo assim, o otimismo por uma resposta positiva se dá justamente pelo retrospecto recente, que já provou a capacidade do clube, aliado ao apoio de sua torcida e de um grande trabalho da comissão técnica atual, de conseguir bater de frente com qualquer adversário e brigar pelos títulos.

A expectativa pelas chegadas do centroavante Mauro Boselli, do atacante Luan e o meia Sornoza, aliado aos já contratados Richard e Ramiro animam os alvinegros e fazem com que o Santos seja visto como dono do mais deficitário elenco entre os quatro principais clubes de São Paulo.

 

Gazeta Esportiva

TAGS