PUBLICIDADE
Cearenses
Noticia

Vilar explica saída de jogadores e diz que Wesley chegou a ameaçar colega de morte

O técnico ainda afirmou que Silóe, Magno e Tiago Costa "não acreditavam no trabalho". Ele disse, porém, que dispensa não influenciou na derrota neste domingo.

18:08 | 01/11/2020
MARCELO Vilar, técnico do Ferroviário, avalia que toda partida na Série C é uma
MARCELO Vilar, técnico do Ferroviário, avalia que toda partida na Série C é uma "decisão" (Foto: Aurelio Alves)

Após a derrota por 1 a 0 diante do Treze-PB, neste domingo, 1º, o treinador Marcelo Vilar concedeu entrevista coletiva em que afirmou que o revés não teve relação com a polêmica dispensa de cinco jogadores no meio da semana. Para ele, o Ferroviário foi melhor e o Treze aproveitou "a única chance que teve".

Vilar ainda explicou os motivos para as saídas dos jogadores. Segundo ele, o zagueiro Olávio pediu para sair por problemas particulares. Já o meia-atacante Wesley teria se envolvido em uma situação "muito séria", em que chegou a ameaçar um colega do elenco de morte. "Não podia continuar o jogador numa situação dessas dentro do elenco", disse Vilar. "Sabíamos dos problemas extracampo que ele tinha, não esperava, mas, a partir do momento em que isso aconteceu, fica difícil para qualquer comandante, qualquer diretoria, dentro do elenco de 36 jogadores, manter um jogador que ameaça outro".

Já Siloé, Magno e Tiago Costa, disse Vilar, saíram por "problemas de relacionamento". "Eles não acreditavam no trabalho. O tempo todo com insatisfação. E a gente não quer ninguém insatisfeito dentro do grupo. O grupo tem 36 jogadores e é mais interessante é o bem-estar dos 36 jogadores do que de dois, três jogadores".

A derrota fez o Ferroviário estacionar na quinta colocação, com 17 pontos. O time agora volta a campo no próximo sábado, 7, fora de casa, para enfrentar justamente o atual quarto colocado Manaus, que havia tomado o posto no G4 do Tubarão.