PUBLICIDADE
Cearenses
NOTÍCIA

MPCE recomenda proibição da exibição de adereços das torcidas de Ceará e Fortaleza por cinco jogos

A medida foi motivada por arrombamentos nas dependências do Castelão, cometidos por representantes de ambas as torcidas, segundo o MPCE

Gabriel Lopes
18:57 | 15/10/2020
Momento do arrombamento das dependências da Arena Castelão por torcedores (Foto: Reprodução/MPCE)
Momento do arrombamento das dependências da Arena Castelão por torcedores (Foto: Reprodução/MPCE)

Nesta quinta-feira, 15, o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) emitiu recomendação à Polícia Militar no sentido de proibir a exibição de adereços das torcidas de Ceará e Fortaleza na Arena Castelão por cinco jogos. Essa determinação foi motivada por arrombamentos de representantes das torcidas do Vovô e do Leão nas dependências do estádio, segundo o MPCE.

No dia 30 de setembro, aficionados do Ceará se apossaram de material da torcida do Fortaleza durante o arrombamento. Posteriormente, no dia 11 de outubro, o inverso aconteceu, dessa vez praticado por apoiadores do Tricolor do Pici. O Núcleo do Desporto e Defesa do Torcedor (Nudtor), que está à frente do caso, recebeu fotografias e vídeos das ações. O Nudtor também detectou, em vídeos nas redes sociais, que os itens roubados foram queimados pelas torcidas rivais.

A partida entre Fortaleza e São Paulo, nesta quarta-feira, 14, válida pelas oitavas-de-final da Copa do Brasil, foi a primeira das cinco a ter a punição em vigência. Os outros jogos serão Fortaleza x Palmeiras (domingo, 18, 18/10), Fortaleza x Ceará (21/10), Ceará x Coritiba (24/10) e Ceará x Santos (3/11).

Além disso, o MPCE solicitou a instauração de inquérito policial para identificar, qualificar e indiciar os envolvidos nos crimes de incitação a violência e dano ao patrimônio público e, se for o caso, formação de quadrilha.

Segundo o coordenador do Nudtor, o promotor de Justiça Edvando França, como os clubes e torcidas organizadas possuem responsabilidade solidária e objetiva, foi recomendado, ainda, que as entidades desportivas promovam campanhas com divulgação nos meios de comunicação em busca da pacificação entre os torcedores. Em caso de descumprimento das medidas, o MPCE solicitou, ao Governo do Estado, a aplicação de multa diária de 10 mil reais para cada entidade, além da apuração das responsabilidades criminais, civis e desportivas.