PUBLICIDADE
Ceará Sporting Club
NOTÍCIA

Presidente do Ceará lamenta morte de Lula Pereira: "Legítimo alvinegro"; confira depoimentos

Ídolo do Ceará, ele teve passagens marcantes como jogador e treinador e foi um dos primeiros técnicos negros a chegar à elite do futebol nacional

Lucas Mota
20:47 | 07/02/2021
LULA foi o 4º treinador com mais partidas pelo Ceará (Foto: Fabio Lima)
LULA foi o 4º treinador com mais partidas pelo Ceará (Foto: Fabio Lima)

Luiz Carlos Bezerra Pereira, mais conhecido como Lula Pereira, morreu neste domingo, 7, em decorrência de problemas cardíacos, no Hospital São Mateus, em Fortaleza, aos 64 anos. Ídolo do Ceará, ele teve passagens marcantes como jogador e treinador e foi um dos primeiros técnicos negros a chegar à elite do futebol nacional.

Velório de Lula Pereira será realizado na Funerária Ethernus durante a manhã desta segunda-feira, 8. Ele se recuperava de um AVC Isquêmico, sofrido no fim de 2019. Nascido em Olinda-PE, o "Deus Negro da Zaga", como definiu o historiador José Renato Santiago, se destacou como jogador pelo Sport, Santa Cruz e Ceará.

No Alvinegro do Porangabuçu, o defensor ganhou status de ídolo após conquistar quatro títulos estaduais entre 1980 a 1986, quando se aposentou devido ao rompimento do tendão de Aquiles, aos 30 anos. À beira do gramado, ele comandou o Vovô em 1998, 1999, 2004, 2008 e 2012, ganhando um Campeonato Cearense e se tornando o quarto treinador com mais partidas no clube.

Presidente do Ceará, Robinson de Castro lamentou a morte e agradeceu pelas conquistas na equipe alvinegra.

"Toda homenagem é pouca para agradecer ao Lula Pereira, legítimo alvinegro que honrou o manto como jogador e treinador. Nas horas mais difíceis, ele sempre esteve presente, assim como também nos deu muitas alegrias e títulos. Obrigado professor, sua vida e sua glória sempre foram lutar! Deus conforte a família e a todos os alvinegros", afirmou Robinson ao Esportes O POVO.

Nas redes sociais, o Ceará publicou nota de pesar pela morte do ex-treinador e declarou luto por três dias. O Fortaleza Esporte Clube também lamentou o falecimento de Lula.

"O Clube se solidariza com a família e amigos de Luiz Carlos Bezerra Pereira, ao tempo que presta as condolências", comunicou o Fortaleza.

O Ferroviário lançou nota de pesar e lembrou das contribuições de Lula como treinador e diretor técnico, em 1993 e 2016. "Nossa mais sincera homenagem a este grande profissional, prezando para que Deus conforte o coração de seus familiares e amigos."

Entre as principais conquistas como treinador fora do Ceará, Lula foi campeão da Série B pelo União São João, em 1996, e do Campeonato Mineiro, em 2001, pelo América Mineiro.

"O América Futebol Clube lamenta muito o falecimento do ex-técnico Lula Pereira, que conquistou um Campeonato Mineiro pelo Clube. Desejamos força para todos os familiares e amigos", publicou o clube nas redes sociais.

No ano seguinte ao título pelo Coelho, ele foi contratado para comandar o Flamengo, sendo o segundo técnico negro na história a treinar o Rubro-Negro. O clube carioca lamentou a morte do ex-treinador nas redes sociais.

Historiador, fã e amigo de Lula, José Renato Santiago encontrou o ex-treinador pela última vez em 2019, antes do AVC, em um evento em São Paulo. Na ocasião, Lula falou sobre a importância do negro no futebol.

"O maior legado do Lula foi acreditar que o estudo supera a diferença racial. Ele foi um jogador mediano que estudou tanto que virou um dos maiores técnicos de futebol do Brasil", comentou o historiador.

José Renato Santiago lembra ainda de um momentos marcante acompanhando Lula como jogador, em uma partida entre Ceará e Guarany de Sobral, em 1986, no estádio Presidente Vargas.

"Ceará fez 1 a 0. O time comemorava o gol no ataque, e os jogadores do Guarany correram para bater a saída e empataram. O Ceará fez 2 a 1. O Lula, sabendo que o Guarany faria a mesma jogada, parou na barra central, segurou a bola e ficou encarando todo o time do Guarany."

Ex-jogador e treinador do Ceará, Serginho Rêdes comandou Lula no Alvinegro, na década de 1980. Os dois criaram laços de amizade fora dos gramados e chegaram a trabalhar juntos no programa Com a Bola Toda, da TV Ceará.

"Ele era uma pessoa sincera e leal, que você podia confiar. Desenvolvemos grande amizade. Eu tinha muito respeito por ele. Trocávamos assuntos sobre futebol, tínhamos uma visão parecida. Perde o futebol cearense uma pessoa muito legal e decente. Todo mundo que trabalhou com ele sempre nutriu uma boa amizade."