PUBLICIDADE
Ceará Sporting Club
NOTÍCIA

Confira a seleção da década do Ceará, de 2010 até 2019, eleita por O POVO e pela torcida

No período, Ceará conquistou um acesso à Série A, disputou a primeira divisão quatro vezes e venceu seis títulos estaduais e uma Copa do Nordeste

12:04 | 26/12/2019
Nos Anos 2010, o Ceará conquistou a Copa do Nordeste de forma invicta, um dos maiores títulos da história centenária do clube
Nos Anos 2010, o Ceará conquistou a Copa do Nordeste de forma invicta, um dos maiores títulos da história centenária do clube (Foto: Divulgação/Ceará SC)

Talvez nunca o Ceará cresceu tanto em sua história centenária quanto nos Anos 2010. Após uma década de gestões questionáveis, problemas financeiros e apenas dois títulos, com o agravante de ver o Fortaleza conquistar vários estaduais e participar três vezes da Série A, o Vovô virou o jogo a partir de 2008, quando começou a controlar suas dívidas e a se ajustar em diversos setores. O resultado foi crescimento estrutural, notoriedade, títulos e conquistas. Em 2010, o Alvinegro figurou na elite do Brasileirão pela primeira vez em longos 16 anos, emendando outra participação no ano seguinte.

Apesar da queda para a Segundona, o Ceará continuou na rota dos títulos, conquistando o tetracampeonato cearense, entre 2011 e 2014, e uma inédita Copa do Nordeste, em 2015. Em 2017, subiu novamente para a primeira divisão, onde vai fazer sua terceira participação seguida em 2020, recorde inédito no futebol local. Mas as campanhas memoráveis do Vovô não se resumem apenas aos troféus. As fugas dos rebaixamentos para a Série C, em 2015, e para a Série B, em 2018, marcaram o torcedor pelo poder de reação e a luta dos atletas em campo, mesmo quando tudo conspirava pela queda de divisão.

Em anos tão importantes na história alvinegra, muitos atletas passaram pelo Ceará. Alguns bons e outros muito bons, mas poucos dignos de compor a Seleção da Década, de 2010 a 2019. O POVO fez uma votação entre seus jornalistas do núcleo de Esportes para escolher os melhores jogadores que passaram pelo clube nesse período. Além disso, cinco torcedores foram selecionados para votarem a Seleção da Torcida, que também acompanhou o Alvinegro de Porangabuçu de perto ao longo de todos esses anos.

Critério: A Seleção foi eleita no esquema tático 4-3-3 (dois zagueiros, dois laterais, dois volantes, um meia e três atacantes). Os jogadores mais votados para cada posição foram os escolhidos. Cada participante também indicou um técnico para comandar o time de estrelas do Ceará. Em caso de empate no número de votos, ganha o atleta com mais jogos pelo clube.

Seleção do O POVO

Goleiro: Éverson (2015-2018) – 6 votos

Éverson foi eleito para a Seleção com 6 votos
Éverson foi eleito para a Seleção com 6 votos (Foto: O POVO)

Contratado na metade de 2015, Éverson se consagrou como o melhor goleiro que passou pelo Ceará nesta década. Dono de reflexos apurados, elasticidade e velocidade, além de ter boa saída de bola com os pés, o atleta fez defesas históricas e salvou o clube em inúmeros jogos difíceis, como na vitória por 1 a 0 sobre o Macaé, que evitou um rebaixamento inédito para a Série C. Manteve a regularidade e participou da campanha do título cearense e do acesso à Série A em 2017, além do bi estadual em 2018. Na primeira divisão, Éverson foi primordial na reação que fez o Vovô permanecer na elite, marcando até gol de falta no Castelão. No começo de 2019, vendido ao Santos no início deste ano por R$ 6 milhões, em uma negociação que acabou arranhando a imagem do jogador perante a torcida.

Títulos e conquistas: Campeonato Cearense (2017 e 2018), acesso à Série A (2017)

Lateral direito: Samuel Xavier (2014-2015, 2018-2019) – 6 votos

Samuel Xavier foi eleito para a Seleção com 6 votos
Samuel Xavier foi eleito para a Seleção com 6 votos (Foto: FCO FONTENELE)

Samuel Xavier chegou ao Ceará no fim de 2013, vindo do São Caetano. Em sua primeira temporada, o lateral foi vice da Copa do Nordeste e ganhou o título cearense. Com característica de subir bastante ao ataque, Samuel se adaptou bem ao esquema do técnico Sérgio Soares e seguiu no time principal em 2015, enfim conquistando o Nordestão antes de ser vendido para o Sport. Contestado em Pernambuco e encostado no Atlético-MG, voltou a Porangabuçu em 2018, já na Série A, para ajudar a salvar o time do rebaixamento. O atleta se consolidou ainda mais como titular absoluto e já soma quase 80 jogos nesta segunda passagem. É um dos atletas do elenco atual que mais entraram em campo com a camisa alvinegra.

Títulos e conquistas: Campeonato Cearense (2014) e Copa do Nordeste (2015)

Zagueiro: Fabrício (2010-2011) – 6 votos

Fabrício foi eleito para a Seleção com 6 votos
Fabrício foi eleito para a Seleção com 6 votos (Foto: Reprodução/Ceará SC)

Herói do acesso à Série A em 2009, Fabrício foi uma das grandes referências defensivas do Ceará no início desta década. Participou da campanha da permanência na elite em 2010, que culminou na classificação inédita para a Copa Sul-Americana. Em 2011, Fabrício foi muito bem no primeiro semestre, conquistando o Campeonato Cearense e chegando até as semifinais da Copa do Brasil. Na segunda metade do ano, caiu de rendimento e foi um dos jogadores mais questionados no rebaixamento para a segunda divisão, deixando o Vovô no fim da temporada. Apesar das falhas que marcaram seus últimos momentos, foi lembrado pela maior parte dos votantes para compor a seleção.

Títulos e conquistas: classificação para a Sul-Americana (2010) e Campeonato Cearense (2011)

Zagueiro: Luiz Otávio (2017-) – 6 votos

Luiz Otávio foi eleito para a Seleção com 6 votos
Luiz Otávio foi eleito para a Seleção com 6 votos (Foto: PEDRO CHAVES/FCF)

Poucos jogadores foram tão lembrados na eleição da seleção da década do Ceará quanto Luiz Otávio. O zagueiro foi mencionado por seis votantes. Com imposição física, velocidade nos desarmes e muita precisão nos cortes, além de uma regularidade impressionante, Luiz Otávio se firmou como um dos maiores zagueiros da história do Ceará, mas não chegou sem ser minimamente contestado. Vindo do Sampaio Corrêa, que havia sido rebaixado para a Série C, o atleta rapidamente afastou a desconfiança de parte da torcida com atuações muito sólidas, contribuindo para o acesso à Série A e sendo peça chave nas permanências na primeira divisão. A qualidade demonstrada e o seu tempo no clube já o consagraram como um dos grandes ídolos alvinegros nesta década.

Títulos e conquistas: Campeonato Cearense (2017 e 2018) e acesso à Série A (2017)

Lateral esquerdo: Vicente (2010-2011, 2012-2014) – 4 votos

Vicente foi eleito para a Seleção com 4 votos
Vicente foi eleito para a Seleção com 4 votos (Foto: Divulgação/Ceará SC)

Quando se falava em lateral-esquerdo do Ceará no início desta década, dificilmente alguém se lembraria de outro que não fosse o Vicente. Muito veloz no apoio, o atleta jogou, ao todo, cinco temporadas com a camisa alvinegra. Após participar das duas campanhas na primeira divisão em 2010 e 2011, saiu para o São Caetano, mas logo voltou para o Vovô. Foi titular quase absoluto da sua posição até deixar o clube em 2014, com mais de 120 jogos na conta. Foi lembrado por muitos dos votantes na composição desta seleção.

Títulos e conquistas: classificação à Sul-Americana (2010), Campeonato Cearense (2011, 2013 e 2014)

Volante: Richardson (2016-2018) – 6 votos

Richardson foi eleito para a Seleção com 6 votos
Richardson foi eleito para a Seleção com 6 votos (Foto: O POVO)

Richardson, assim como Éverson, faz parte de uma “safra” de atletas que vieram de Confiança-SE para se consagrar no Ceará. Seguindo os passos do seu colega de equipe, o volante teve regularidade impressionante, atuando bem em praticamente todos os seus jogos, sendo um ponto de equilíbrio no meio campo alvinegro. Além de ser um jogador que desarmava com muita segurança, dando muitos carrinhos precisos, Richardson tinha velocidade e visão para sair jogando, principalmente em arrancadas rumo ao ataque. Na Série A, manteve o nível de atuação e a titularidade absoluta, destacando-se como um dos melhores da sua posição na história recente do Vovô. No fim de 2018, foi vendido ao Kashiwa Reysol-JAP por R$ 5 milhões, deixando uma bolada nos cofres alvinegros.

Títulos e conquistas: Campeonato Cearense (2017 e 2018) e acesso à Série A (2017)

Volante: João Marcos (2010-2017) – 5 votos

João Marcos foi eleito para a Seleção com 5 votos
João Marcos foi eleito para a Seleção com 5 votos (Foto: Divulgação/Ceará SC)

Talvez nenhum outro jogador nesta lista seja tão ídolo da torcida quanto João Marcos. O volante é o único tetracampeão “legítimo”, participando de todos os títulos cearenses entre 2011 e 2014 (seguindo os passos do também volante Edmar, que alcançou o mesmo feito nos anos 1970). Mesmo não sendo titular durante toda sua estadia em Porangabuçu, foi uma das referências máximas de liderança dentro e fora de campo pelo Ceará, participando de quase todos os bons e maus momentos nesta década e assumindo a responsabilidade diversas vezes. Além disso, o "João de ferro" ostenta um título que é só dele: o de jogador mais campeão em toda a história do Ceará. Após oito anos no clube, decidiu se aposentar ao fim de 2017, e hoje trabalha na base do Vovô.

Títulos e conquistas: Campeonato Cearense (2011, 2012, 2013 e 2014), Copa do Nordeste (2015) e acesso à Série A (2017)

Meia: Ricardinho (2013-2015, 2017-) – 4 votos

Ricardinho foi eleito para a Seleção com 4 votos
Ricardinho foi eleito para a Seleção com 4 votos (Foto: JÚLIO CAESAR)

Na fila da idolatria, talvez o jogador que esteja mais perto de João Marcos seja Ricardinho. Após uma passagem praticamente imperceptível em 2007, o meia voltou ao Ceará em 2013 para se firmar no meio-campo da equipe com visão de jogo e gols – boa parte deles, de falta. Tem quatro títulos estaduais, além da Copa do Nordeste. Em 2015, mesmo jogando no sacrifício, assumiu a liderança da equipe na fuga do rebaixamento para a Série C. Hoje, mesmo sob contestação e questionamentos compreensíveis à sua condição de titular, Ricardinho é considerado um dos grandes jogadores da história recente do Vovô e é candidato fortíssimo a entrar no rol de maiores ídolos do clube em um futuro próximo.

Títulos e conquistas: Campeonato Cearense (2013, 2014, 2017 e 2018), Copa do Nordeste (2015), acesso à Série A (2017)

Atacante: Magno Alves (2010, 2012-2015, 2017) – 7 votos

Magno Alves foi eleito para a Seleção com 7 votos
Magno Alves foi eleito para a Seleção com 7 votos (Foto: Arquivo O POVO)

A dimensão da entrega técnica de Magno Alves no Ceará pode ser entendida pelos números. Os 103 gols em 224 jogos credenciam o atacante como o maior artilheiro do Vovô na década. Artilheiro do Brasil em 2014, com 37 gols, e maior goleador da história da Arena Castelão, Magno se destacava pela técnica e a precisão na hora de finalizar – tudo isso já sendo um veterano do futebol brasileiro, beirando os 40 anos. Em sua terceira passagem, marcou poucas vezes, mas o suficiente para chegar ao seu centésimo tento pelo clube, feito que só ídolos como Gildo, Mitotônio, Sérgio Alves, Pipiu e Antonino haviam alcançado. Saiu no fim de 2017 ainda tentando renovar para jogar a Série A, o que não aconteceu. 

Títulos e conquistas: classificação à Sul-Americana (2010), Campeonato Cearense (2013 e 2014), Copa do Nordeste (2015)

Atacante: Arthur Cabral (2015-2018) – 5 votos

Arthur Cabral foi eleito para a Seleção com 5 votos
Arthur Cabral foi eleito para a Seleção com 5 votos (Foto: Evilázio Bezerra/O POVO)

Arthur é o único representante das categorias de base do Ceará nesta seleção. Cria do CT de Itaitinga, o jovem atacante se destacou nos seus primeiros anos por marcar gols ao entrar no segundo tempo das partidas. Na campanha do acesso à Série A, em 2017, marcou quatro vezes exatamente dessa maneira, virando um "talismã" da torcida. Na Série A, em meio ao momento difícil de fuga do rebaixamento, fez sete gols e assumiu a artilharia do Vovô na competição, destacando-se pela sua força física, explosão e presença de área, como um típico centroavante. Foi comprado pelo Palmeiras por R$ 3,5 milhões, mas teve pouco espaço no time paulista. Hoje, joga no Basel, da Suíça, onde é titular e já fez oito gols.

Títulos e conquistas: Campeonato Cearense (2017 e 2018) e acesso à Série A (2017)

Atacante: Mota (2012-2013) – 3 votos

Mota foi eleito para a Seleção com 3 votos
Mota foi eleito para a Seleção com 3 votos (Foto: Fco Fontenele/O POVO)

Com 89 gols marcados em quatro passagens pelo Ceará, Mota é um dos jogadores mais identificados com a torcida alvinegra. Nesta década, atuou em duas temporadas, conquistando dois títulos estaduais com protagonismo. Quando voltou ao Vovô em 2012, o atacante conta que recusou uma proposta do futebol da Coréia do Sul, mais vantajosa financeiramente, para fechar com o Alvinegro. Foi destaque nos títulos do Campeonato Cearense, marcando o tento que deu o tricampeonato para o Vovô. Balançou as redes 44 vezes e quase subiu para a primeira divisão, ao lado de um ataque que ainda tinha Magno Alves e Lulinha. Deixou o clube no fim de 2013, alegando que iria para a arquibancada torcer pelo que ele chama de seu “time do coração”.

Títulos e conquistas: Campeonato Cearense (2012 e 2013)

Técnico: Marcelo Chamusca (2017-2018) – 4 votos

Marcelo Chamusca foi eleito para a Seleção com 4 votos
Marcelo Chamusca foi eleito para a Seleção com 4 votos (Foto: Divulgação/Ceará SC)

O Ceará teve muitos técnicos nos anos 2010. As trocas de comando foram constantes em Porangabuçu e poucos treinadores tiveram longevidade para tentar construir trabalhos sólidos. Um deles foi Marcelo Chamusca. Contratado no primeiro turno da Série B de 2017, chegou com a missão de subir o time para a Série A. Com uma campanha sólida fora de casa, um time organizado e taticamente obediente, Chamusca conseguiu o acesso e, no ano seguinte, foi campeão cearense. Passou 336 dias no comando, a maior marca nos últimos cinco anos, antes de ser demitido após maus resultados no Brasileirão.

Títulos e conquistas: acesso à Série A (2017) e Campeonato Cearense (2018)

Votos do O POVO:

Thiago Minhoca, comentarista e estatístico da Rádio O POVO/CBN

Éverson; Samuel Xavier, Fabrício, Luiz Otávio, Vicente; Richardson, João Marcos, Ricardinho; Marinho, Mota, Magno Alves. Técnico: Lisca

Gerson Barbosa, repórter da rádio O POVO/CBN

Éverson; Boiadeiro, Fabrício, Luiz Otávio, Vicente; João Marcos, Richardson, Ricardinho; Mota, Magno Alves, Arthur. Técnico: Lisca

Victor Hugo Pinheiro, repórter do Esportes O POVO

Éverson; Samuel Xavier, Luiz Otávio, Fabrício, Felipe Jonatan; João Marcos, Richardson, Ricardinho; Arthur Cabral, Magno Alves, Mota. Técnico: Lisca

Gabriel Lopes, repórter do Esportes O POVO

Éverson; Samuel Xavier, Luiz Otávio, Fabrício e Vicente; Richardson, Michel e Geraldo; Magno Alves, Osvaldo e Arthur. Técnico: Marcelo Chamusca

Vinícius França, repórter do Esportes O POVO

Éverson; Samuel Xavier, Fabrício, Luiz Otávio e Felipe Jonatan; João Marcos, Richardson e Ricardinho; Marinho, Arthur e Magno Alves. Técnico: Marcelo Chamusca

Samuel Pimentel, repórter do O POVO 

Diego; Samuel Xavier, Fabrício, Luiz Otávio, Egídio; Michel, João Marcos, Geraldo; Thiago Galhardo, Bill, Magno Alves. Técnico: Marcelo Chamusca

Bruno Balacó, repórter do Esportes O POVO

Everson; Samuel Xavier, Sandro, Luiz Otávio e Vicente; Richardson, Ricardinho e Thiago Galhardo; Marinho, Arthur e Magno Alves. Técnico: Marcelo Chamusca.

Placar do O POVO:

GOL: Éverson (6), Diego (1)

LD: Samuel Xavier (6), Boiadeiro (1)

ZAG: Luiz Otávio (7), Fabrício (6) e Sandro (1)

LE: Vicente (4) Felipe Jonatan (2) e Egídio (1)

VOL: Richardson (6), João Marcos (5), Michel (2) e Ricardinho (1)

MEI: Ricardinho (4), Geraldo (2) e Thiago Galhardo (1)

ATA: Magno Alves (7), Arthur (5), Mota (3), Marinho (3), Thiago Galhardo (1)

TEC: Marcelo Chamusca (4) e Lisca (3)

Seleção da torcida:

Mário Henriques (Vozão Cast)

Éverson; Samuel Xavier, Fabrício, Luiz Otávio, Vicente; João Marcos, Richardson, Ricardinho; Mota, Magno Alves, Arthur. Técnico: Lisca

Janaína Queiroz (Torcedoras Raíz, torcida feminina do Ceará)

Éverson; Samuel Xavier, Luiz Otávio, Fabrício, Felipe Jonatan; Richardson, Ricardinho, Galhardo; Magno Alves, Arthur, Mota. Técnico: Marcelo Chamusca

Ygor de Castro (Vozão Cast)

Everson; Samuel Xavier, Sandro, Luiz Otávio, Vicente; João Marcos, Richardson, Ricardinho; Mota, Magno Alves e Bill. Tec: Marcelo Chamusca

Arthur Aguiar (Vozão Cast)

Everson; Samuel Xavier, Luiz Otávio, Fabrício, Victor Luiz; Richardson, João Marcos, Ricardinho; Magno Alves, Mota, Marinho. Técnico: Sérgio Soares

Ingryd Melyna (Vozão Antifascista)

Adilson; Samuel Xavier, Luiz Otávio, Erivelton, Vicente; João Marcos, Michel, Ricardinho; Iarley, Mota e Magno Alves. Técnico: Dimas Filgueiras

Placar torcida:

GOL: Éverson (4) e Adilson (1)

LD: Samuel Xavier (5)

ZAG: Luiz Otávio (5), Fabrício (3), Sandro (1) e Erivelton (1)

LE: Vicente (3), Felipe Jonatan (1), Victor Luiz (1)

VOL: Richardson (4), João Marcos (4), Ricardinho (1) e Michel (1)

MEI: Ricardinho (4), Thiago Galhardo (1)

ATA: Magno Alves (5), Mota (5), Arthur (2), Marinho (1), Bill (1) e Iarley (1)

TEC: Chamusca (2), Lisca (1), Sérgio Soares (1) e Dimas Filgueiras (1)

Seleção da torcida: Éverson; Samuel Xavier, Fabrício, Luiz Otávio, Vicente; Richardson, João Marcos, Ricardinho; Magno Alves, Arthur, Mota. Técnico: Marcelo Chamusca