PUBLICIDADE
Ceará Sporting Club
NOTÍCIA

Enderson Moreira critica VAR da partida entre Ceará e Fluminense: "continua cometendo os mesmos erros"

Técnico do Ceará qualifica lance do gol anulado como interpretativo e diz que decisões estão sendo terceirizadas

00:05 | 16/07/2019
Técnico do Vovô disse que sentimento é de revolta
Técnico do Vovô disse que sentimento é de revolta (Foto: Fco Fontenele/Fco Fontenele)

O técnico Enderson Moreira não poupou críticas ao segundo gol do Ceará diante do Fluminense que foi anulado com auxílio do árbitro de vídeo (VAR). O comandante alvinegro qualificou o lance como interpretativo e disse que o árbitro central, Douglas Marques, terceirizou a decisão.

“Lamento muito a questão do gol anulado porque, na minha concepção, não foi absolutamente nada e é muito revoltante pra gente. Quem estava no VAR hoje estava dentro do campo há pouco tempo e continua fazendo as mesmas coisas e cometendo os mesmos erros, não houve nenhuma evolução", reclamou Enderson, se referindo a Heber Roberto Lopes, que era o árbitro de vídeo.

Para o técnico do Ceará, faltou convicção ao árbitro de campo, que chamou até o assistente 1, Danilo Ricardo Simon, para observar o monitor. “Todo lance que tem, o cara (árbitro) deixa pro VAR decidir. E o cara (árbitro de vídeo) tá no ar condcionado e não consegue visualizar pela câmera tudo que acontece no jogo, o toque na bola, escutar o que está acontecendo. Tem coisa que só quem está dentro de campo pode perceber", disse o comandante alvinegro.

O fato do árbitro ter chamado um assistente para tomar a decisão de seguir o VAR e anular o gol irritou ainda mais Enderson Moreira. "Isso é absurdo. É demonstrar que ‘eu não estou preparado para apitar uma Série A’”, se referiu a Douglas Marques, o treinador.

 

No lance anulado, Mateus Gonçalves, que fez o gol, veio de trás e estava em condição legal. O VAR entendeu, no entanto, que o atacante Felippe Cardoso, que estava impedido na hora do lançamento, participou da jogada ao correr para o ataque e fica na frente do zagueiro que corria para tentar alcançar Mateus. Houve, nesse caso, para a arbitragem, obstrução. 

Brenno Rebouças