PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Após cancelamento do Campeonato Francês, veja situação atual das principais ligas da Europa

Espanha tem protocolo estabelecido para retorno, Inglaterra está finalizando o seu e órgãos na Itália se contradizem. Alemanha é a mais próxima de retornar

Gerson Barbosa
17:48 | 28/04/2020
Campeonato Alemão pode ser retomado com portões fechados em maio
Campeonato Alemão pode ser retomado com portões fechados em maio (Foto: Bundesliga/Divulgação)

Contrariando preparações da liga e também da Uefa, o primeiro-ministro francês, Édouard Phillippe, impediu a realização de eventos esportivos na França até setembro. A Ligue 1 e Ligue 2, primeira e segunda divisões, respectivamente, foram canceladas, portanto, e não voltam mais para a disputa da atual temporada.

No mês que vem, os representes da liga e da federação do país vão se reunir para definir campeões, times que sobem e também os rebaixados. Na Holanda também aconteceu a mesma situação: o governo proibiu realização de eventos esportivos até setembro, e os campeonatos foram encerrados. Escócia caminha para o mesmo caminho.

O encerramento de uma liga importante com a francesa pode desencadear no cancelamento de outros campeonatos nacionais importantes na Europa. Contudo, a título de hoje, Inglaterra, Espanha, Itália e Alemanha continuam as tratativas de retorno do futebol, tendo até data estipulada para alguns deles. O Esportes O POVO separou a situação atual de cada país.

ALEMANHA

A Bundesliga era a liga que estava mais próxima de retornar, com data estipulada de 9 de maio para o campeonato nacional dar sequência. Nesta terça-feira, 28, porém, a federação alemã confirmou que a reunião com políticos do país - incluíndo a chanceler Angela Merkel - para autorização do retorno, que aconteceria na próxima quinta-feira, 30, foi adiada para a quarta-feira da semana que vem, dia 6 de maio.

Isso significa que a data de 9 de maio pode ser alterada para o próximo dia 16, uma vez que não teria tempo suficiente para organizar a volta do campeonato em três dias. É possível que a data prevista seja colocada para mais adiante, visto que casos confirmados na Alemanha voltaram a aumentar.

ESPANHA

A La Liga está alinhada com o governo espanhol e a federação de futebol do país para o retorno do campeonato em junho, segundo a imprensa local. Conforme foi divulgado nesta segunda-feira, 27, pelo presidente da liga, Javier Tebas, os clubes vão poder liberar seus jogadores a treinarem individualmente a partir do dia 4 de maio.

Os atletas treinarão sozinhos até 18 de maio, quando grupos serão feitos para as atividades nos centros de treinamento. Por fim, no dia 1º de junho, os treinos normais vão ser liberados, com todas as comissões técnicas e elencos. É esperado que o reinício da La Liga aconteça no meio de junho. Há uma garantia de segurança por escrito aos jogadores, prometida pelo presidente da Liga.

Javier Tebas, inclusive, chegou a ameaçar equipes que se recusem a continuar o campeonato. As agremiações podem perder partidas por W.O e, de acordo com regulamentos, podem até sofrer medidas punitivas mais severas. "Quando nos dão a possibilidade de voltar a jogar e há um time que não quer, tem que ser tratado como não-comparecimento. Primeiro, três pontos serão deduzidos e pode vir a ser pior de acordo com as regras", explicou em entrevista coletiva.

INGLATERRA

Na terra da rainha, o governo se mostrou favorável ao reinício do futebol nos últimos dias. O objetivo seria "erguer o espírito" da população com o retorno da disputa de jogos ao vivo. A Premier League também tem interesse de voltar o mais rápido possível e segundo o canal de TV Sky Sports, jogadores da primeira divisão que estão fora da Inglaterra foram 'convocados' para retornar aos seus times até o próximo dia 4 de maio.

A notícia divulgada pela Sky Sports veio após o Arsenal ser o primeiro clube a abrir o centro de treinamento aos atletas na última segunda-feira, 27, ainda seguindo restrições rígidas. Tottenham e West Ham também fizeram o mesmo logo depois.

Há um plano de recomeço da Premier League na Inglaterra. Ele envolve a volta possivelmente em junho, sem a presença de torcida e em estádios neutros selecionados. Um total de 400 pessoas podem trabalhar em cada jogo, incluindo atletas, comissões, jornalistas e demais funções.

A Premier League está confiante, segundo o diário Daily Mail, que vai conseguir a aprovação do governo para voltar com o futebol. A liga também se prepara para gastar mais de £ 4 milhões (R$ 27 milhões) em kits de testes do coronavírus para comissões técnicas e jogadores.

ITÁLIA

Na Itália tem tido um desencontro de pronunciamentos por parte de Federação, Governo e Lega Serie A, a organização que comanda a primeira divisão do país. Era esperado que os atletas retornassem a treinar no dia 4 de maio individualmente e no dia 18 que treinassem normal nos centro de treinamentos.

Contudo, o chefe da Federação Italiana, Gabriele Gravina, declarou nesta terça-feira, 28, que ainda terá uma reunião do conselho federal no próximo dia 8 para terminar de definir essas questões. 

O ministro do esporte italiano, Vincenzo Spadafora, ainda declarou que o protocolo médico para os treinos realizado pela Federação Italiana não foram satisfatórios, segundo o grupo de médicos do ministério. Ele seria revisto até 18 de maio. O governo italiano trata o retorno do esporte com muita cautela.