PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Clubes não reconhecem descumprimento de contrato e avisam à Turner que não aceitam rescisão

Apesar de não falarem publicamente, dirigentes acreditam que a Turner quer forçar acordo para não pagar a multa das rescisões

Brenno Rebouças
18:10 | 16/04/2020
Clássico-Rei é um dos jogos exclusivos da Turner para TV fechada, já que ambos têm contrato com o grupo norte-americano
Clássico-Rei é um dos jogos exclusivos da Turner para TV fechada, já que ambos têm contrato com o grupo norte-americano (Foto: JÚLIO CAESAR/O POVO)

As oito equipes que têm contratos com a Turner para a transmissão de seus jogos na Série A do Brasileiro em TV fechada responderam a carta do grupo norte-americano, que solicitava uma reunião para discutir descumprimento de cláusulas contratuais e até mesmo um rompimento de contrato.

Segundo UOL, uma resposta coletiva foi enviada informando que os clubes não aceitam a rescisão, tampouco descumpriram contrato com emissora. O Esportes O POVO procurou dirigentes de Ceará e Fortaleza para comentarem sobre o assunto, mas ninguém quis falar. Além deles, Palmeiras, Santos, Internacional, Athletico-PR, Coritiba e Bahia mantém contrato com a Turner.

A Folha de S. Paulo, entretanto, conseguiu conversar com alguns dirigentes e publicou que os clubes enxergam nessa investida da Turner um desejo de forçar um acordo para romper os contratos sem o pagamento das multas, que são milionárias e somadas passariam de R$ 1 bilhão. Eles acreditam também que esse é o pior momento para se tratar do assunto (devido a paralisação do futebol, clubes estão tomando medidas para equilibrar as finanças).

A principal reclamação da Turner é de que os clubes que assinaram com ela e a com a Globo deveriam ter proibido a exibição em TV aberta de mais que seis jogos para a mesma praça onde aconteciam. Segundo a Folha, a o grupo norte-americano também defende que os clubes não deveriam permitir o Grupo Globo a vender pacotes de jogos do Brasileirão diretamente (pela internet), sem passar pelas operadoras de TV por assinatura.

Na nota que já havia enviado à imprensa semana passada, a Turner diz que “propõe uma nova conversa, ao mesmo tempo que não descuidará das ações necessárias à defesa de seus direitos”. Por sua vez, os clubes cogitam acionar até mesmo o Governo Federal, caso a programadora siga a tentativa de rescisão dos contratos.