PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Coronavírus: sem acordo coletivo, clubes vão negociar individualmente salários com os atletas

Clubes e CBF discutem a situação da paralisação novamente no dia 15 de abril

Brenno Rebouças
21:39 | 26/03/2020
Sede da CBF, no Rio de Janeiro.
Sede da CBF, no Rio de Janeiro. (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

A Comissão Nacional de Clubes (CNC) rejeitou a contraproposta feita pela Federação Nacional dos Atletas Profissionais de Futebol (Fenapaf), em videoconferência com representantes de 46 equipes, na tarde desta quinta-feira, 26. Dessa forma, não haverá acordo coletivo nacional, como se esperava e as negociações serão feitas individualmente, entre diretorias e jogadores.

A ideia da CNC era diminuir em 25% os valores dos vencimentos dos atletas, mas a Fenapaf, baseada na opinião dos próprios jogados, via sindicatos locais, solicitou a manutenção da integralidade dos salários e da parcela de direitos de imagem referente ao mês de março. Sem entendimento entre as partes, os clubes ganham autonomia nas negociações.

Quanto ao período de férias, os clubes decidiram manter os vinte dias (de 1º a 20 de abril), deixando os dez restantes para o fim da temporada, podendo ser concedidos até mesmo no começo de 2021. O sindicato queria o mês de abril todo de férias e mais dez dias remunerados entre natal e ano novo.

Em tese, a partir de 21 de abril os times devem se reapresentar, mas a CBF ficou de reavaliar com os clubes a situação da pandemia de coronavírus (e suas consequências) no dia 15 de abril. A mentora também informou aos clubes que não poderá apoiar os clubes de modo financeiro no momento.

O calendário do futebol brasileiro também esteve em pauta na reunião. A CBF reafirmou o desejo de que os estaduais sejam concluídos e disse também que a Série A do Brasileiro deve ir até o fim de dezembro. Os clubes solicitaram que não haja mudança de formato na competição.