PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Guia do Campeonato Cearense 2020: Protagonistas, Fortaleza e Ceará chegam para segunda fase

As duas principais equipes do Estado iniciam a caminhada no Campeonato Cearense somente quando a primeira fase da competição já estiver concluída, no fim de janeiro

11:02 | 03/01/2020
Fortaleza e Ceará se enfrentaram, pela última vez, no Estádio Castelão em partida válida pelo campeonato brasileiro da primeira divisão, dia 10 de novembro
Fortaleza e Ceará se enfrentaram, pela última vez, no Estádio Castelão em partida válida pelo campeonato brasileiro da primeira divisão, dia 10 de novembro (Foto: FCO FONTENELE/O POVO)

Fortalecidos por mais um ano de Série A do Brasileirão e com competições nacionais, regionais e até mesmo continentais pela frente, Fortaleza e Ceará entram no Campeonato Cearense 2020 somente no fim de janeiro, quando a primeira fase da competição já tiver definido seis classificados e dois rebaixados. Com os dois vem também a emoção Clássico-Rei, para qual ainda não há definição de data. Ceará tenta, novamente, a glória do título; Fortaleza busca o bicampeonato. Veja como vêm as duas.

+ Guia do Campeonato Cearense 2020: Confira todos os detalhes da competição que inaugura a temporada no Estado

+ Guia do Campeonato Cearense 2020: Oito times em uma primeira fase relâmpago

Fortaleza

Leão em busca do bicampeonato

Rogério Ceni é figura central o Leão
Rogério Ceni é figura central o Leão (Foto: JL ROSA)

O Fortaleza quer fazer o ano de 2020 ainda melhor do que foi o de 2019, considerado o mais vitorioso da história do clube. No ano passado, o Leão acumulou receita recorde, melhor colocação entre os nordestinos da Série A e vaga na Copa Sul-Americana, situações que pesaram na decisão por renovação de Rogério Ceni no fim da temporada. O foco agora é manter o ciclo vitorioso também no início de uma nova temporada, com competições no primeiro semestre, incluindo o Campeonato Cearense, que começa próximo dia 5.

O Leão só vai entrar na segunda fase da competição, assim como o Ceará, e almeja o bicampeonato estadual. Em 2019, o Tricolor foi campeão ao vencer os dois jogos das finais contra o Ceará, mas passou por maus bocados antes para conseguir a classificação às fases mata-mata do certame. No fim das contas, venceu o rival Ceará de maneira incontestável.

E são as performances tidas nas semifinais e finais que o Fortaleza quer replicar, além de melhorar a atuação na fase classificatória e tentar avançar sem grandes sustos ao seu torcedor. Para que isso se concretize, o Leão busca montar um elenco com um número próximo de 30 jogadores de linhas, mas que tenham qualidade e possam atuar em alto nível. Antes da pré-temporada, o Tricolor tinha 22 jogadores com contratos para 2020 e segundo Marcelo Paz, em entrevista ao O POVO, a ideia do departamento do clube era trazer de seis a oito jogadores, mantendo a base.

Para que isso aconteça em alto nível, porém, o Fortaleza vai aumentar a folha salarial de R$ 2,5 milhões para R$ 3 milhões, dando mais espaço para trabalhar com opções contratuais. O ano de 2020, portanto, começa com o pé direito no quesito financeiro, principalmente após o time projetar receitas de R$ 109 milhões para esta temporada, sendo a primeira vez que uma agremiação cearense passa de R$ 100 milhões.

Contudo, o Cearense neste ano acaba sendo a menor das preocupações do Fortaleza. Com Copa Sul-Americana e Copa do Nordeste, o Estadual não é o ponto do primeiro semestre - o que não diminui sua importância para o Tricolor. A ideia ainda é tentar vencer, da mesma forma que foi em 2019, quando triunfou no Nordestão e no Cearense.

E dois grandes trunfos do clube estão em Rogério Ceni, que vai para sua terceira temporada no comando técnico do Leão, e na torcida que continua dando festa nas arquibancadas. Um terceiro pode fazer a torcida se agarrar nesta temporada: em 2019, foi o título Cearense que abriu o ano vitorioso da equipe. Na época mais importante da história do Fortaleza o Estadual pode ser o ponto de partida para superação do ano passado. (Gerson Barbosa)

Fortaleza

Técnico: Rogério Ceni

Destaques: Wellington Paulista e Romarinho

Estádio: joga no Castelão

Pretensões: briga pelo bicampeonato

Ceará

Vovô quer voltar a ser campeão

Luiz Otávio é um dos principais pilares da equipe do Ceará
Luiz Otávio é um dos principais pilares da equipe do Ceará (Foto: Stephan Eilert/ Ceará SC)

O Ceará Sporting Club chega para a temporada de 2020 entre os protagonistas do Nordeste, fortalecido pela terceira temporada seguida na Série A do Campeonato Brasileiro e sedento por títulos. Após um ano com desempenho abaixo da expectativa, quando não levantou nenhuma taça e brigou até a última rodada para não cair, o Vovô promoveu mudanças drásticas no Departamento de Futebol, elevou os investimentos e promete formar um elenco competitivo.

O Alvinegro do Porangabuçu disputará quatro torneios importantes em 2020. No Campeonato Cearense, em que só entra na segunda fase, e na Copa do Nordeste, o Ceará figura entre os favoritos e vai buscar as duas taças, assim como fez o maior rival, o Fortaleza, que foi campeão das duas competições em 2019.

Para fazer uma temporada mais consistente em 2020, o presidente Robinson de Castro anunciou a saída de Marcelo Segurado da gerência do Futebol e contratou dois nomes experientes no mercado nacional: Jorge Macedo assumiu o cargo de executivo de Futebol, enquanto Sérgio Dimas será o gerente. Os dois terão total autonomia para trabalhar o elenco profissional da equipe.

O dirigente prometeu priorizar o departamento de futebol, aumentando os investimentos. O Vovô tem projeção orçamentária de pouco mais de R$ 100 milhões. Deste montante, R$ 59 milhões serão destinados ao futebol profissional. A folha salarial do elenco vai girar entre R$ 2,5 milhões e R$ 3,5 milhões. Todos os valores são recordes no clube, que terá o maior orçamento da sua história.

Nos bastidores do mercado da bola, o Ceará tem atuado de forma agressiva, se colocando à disposição para comprar os direitos econômicos de atletas em algumas situações. Até o momento, o Vovô já acertou com o zagueiro Tiago Pagnussat, ex-Lanús, e o lateral-direito Eduardo, ex-Chapecoense, o volante Charles, do Internacional, o lateral-esquerdo Bruno Pacheco, da Chapecoense, e o centroavante Rodrigão, ex-Santos.

O clube deve acertar também com outros jogadores. Robinson de Castro prometeu trazer jogadores de peso nas posições de meia armador e centroavante.

O time manteve uma base de 20 jogadores da temporada de 2019. A permanência de alguns nomes sob contrato ainda é incerta e deve ser definida em janeiro, como Thiago Galhardo e João Lucas. O zagueiro Valdo deixou a equipe em uma transferência para o futebol japonês que rendeu cerca de R$ 4 milhões para os cofres do Vovô. Mateus Gonçalves e Ricardinho renovaram com o time de Porangabuçu.

O Alvinegro priorizará no primeiro semestre o Campeonato Cearense e a Copa do Nordeste. O técnico Argel Fucks deve utilizar força máxima no Nordestão, enquanto no estadual a tendência é mesclar jogadores titulares e reservas até o mata-mata. Na Copa do Brasil, a ideia é avançar o máximo possível, tendo em vista as cotas milionárias da competição. Para o segundo, a equipe volta as suas atenções ao Campeonato Brasileiro. O principal objetivo da temporada é a permanência na elite do futebol nacional. (Lucas Mota)

Técnico: Argel Fucks

Destaques: Luiz Otávio e Fabinho

Estádio: joga no Castelão

Pretensões: briga pelo título