PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Ceará e Fortaleza emitiram 34 mil cortesias em 16 jogos na Série A; entenda quem recebe

Cortesias entram nos boletins financeiros como público pagante e custam um real, cada, aos clubes

Brenno Rebouças
20:57 | 28/08/2019
Vovô e Leão mandam jogos jogos na Série A no Castelão
Vovô e Leão mandam jogos jogos na Série A no Castelão (Foto: Fábio Lima/Portal da Copa/ME)

Não é raro que arrecadações dos jogos de Ceará e Fortaleza gerem estranheza dos mais atentos, especialmente quando os valores dos ingressos são todos múltiplos de cinco e a renda termina com um final diferente de zero ou cinco. Isso acontece devido às cortesias, que entram no boletim financeiro da partida como público pagante (os clubes pagam por elas) ao valor simbólico de um real.

O mesmo acontece com os sócios-torcedores - ambos são valores que entram e saem no mesmo boletim financeiro -, com a diferença de que o torcedor oficial já pagou de forma antecipada e com um valor bem maior do que é atribuído a ele durante a entrada no estádio. Em outras palavras, quanto mais sócios e cortesias no estádio, menor a renda. Por outro lado, um estádio cheio de sócios significa uma arrecadação mensal grande, enquanto muitas cortesias são apenas prejuízo aos clubes.

Levantamento feito pelo Esportes O POVO constatou que na Série A do Brasileiro, Ceará e Fortaleza têm distribuído, cada um, mais de 2.100 cortesias por partida. Os beneficiários são patrocinadores, Federação Cearense de Futebol, funcionários, atletas e até visitantes (por reciprocidade).

Em números absolutos, o Ceará já distribuiu 19.395 cortesias em nove jogos como mandante. O recorde foi na partida diante do Flamengo, quando 2.953 presentes adentraram ao Castelão com custos ao clube. Já o Fortaleza, em sete jogos em casa, já entregou 14.849 cortesias, sendo o maior carga contra o Corinthians, atingindo 2.913.

Se levarmos em consideração o preço em que a cortesia entra no borderô, o prejuízo nem é tão grande assim, mas se considerarmos o preço mínimo que os clubes já praticaram no preço cheio do ingresso nesta Série A, que foi de R$ 20, tomando como certo que todas os bilhetes seriam vendidos, podemos afirmar que Vovô e Leão deixaram de arrecadar valores em torno de R$ 462 mil e R$ 296 mil respectivamente.

O Esportes O POVO procurou os dois clubes para falar sobre a política de emissão de cortesias. No Ceará, não há uma quantidade padrão, sendo assim, a carga varia de um jogo para o outro. Cada patrocinador recebe uma quantidade específica de cortesias prevista em contrato, que é sigilosa. Governo do Estado e Prefeitura também são patrocinadores e entram nessas cotas.

A Federação Cearense de Futebol recebe sempre a mesma quantidade, assim como os demais beneficiários.

O Fortaleza ainda não deu retorno sobre como costuma distribuir suas cortesias, mas sabe-se que patrocinadores e FCF as recebem do Tricolor.