PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Completando 100 anos em 2019, NFL retorna nesta quinta, 5 de setembro

A atual temporada teve trocas de atletas importantes, o que pode mudar a dinâmica da liga

Gabriel Lopes
17:42 | 02/09/2019
Tom Brady, um dos maiores jogadores de futebol americano da história.
Tom Brady, um dos maiores jogadores de futebol americano da história. (Foto: Chris Graythen/AFP)

Após sete meses, a National Football League (NFL, Liga Nacional de Futebol Americano) está de volta. A temporada 2019/2020, que será a centésima na história, deve manter a alta competitividade e o equilíbrio, algo comum na liga. A primeira partida será nesta quinta, 5 de setembro, quando Chicago Bears e Green Bay Packers se enfrentam no Soldier Field, casa dos Bears, às 21h20min, horário de Brasília.

Essa temporada não tem jogadores brasileiros garantidos, pois o kicker (chutador) Cairo Santos e o guard (jogador da linha ofensiva que protege o quarterback, ou lançador) Durval Queiroz, o Duzão, foram dispensados de suas equipes (Tamba Bay Buccaneers e Miami Dolphins, respectivamente) após o fim da pré-temporada, visto que apenas 53 atletas devem estar no elenco principal durante o torneio.

Porém eles ainda têm esperança de serem contratados por outras equipes. Elas podem contratar os jogadores dispensados algumas horas depois ou podem acertar para que eles participem da equipe de treino, com um salário inferior ao de um atleta da equipe principal.

Apesar disso, muitas são as atrações da NFL, uma das ligas mais rentáveis do mundo, que chega a faturar 13 bilhões de dólares por ano. O sucesso de público também é absoluto, pois em 2018, ano de pior média de torcedores nos estádios por jogo na NFL desde 2010, 67.100 pessoas estiveram presentes em média.

Comercialmente a liga norte-americana de futebol americano também possui números impressionantes. Durante a transmissão do Super Bowl, final da NFL, um comercial de 30 segundos custou mais de 18,6 milhões de reais em 2019.

Apesar de ser uma liga muito equilibrada, algumas equipes possuem mais chances de conquistar o título ao final da temporada, que será no dia 2 de fevereiro de 2020, em Miami.

O New England Patriots, da conferência leste, maior campeão do século, com seis títulos, e atual campeão da NFL, sempre deve ser considerado como um dos favoritos, pois tem em seu elenco Tom Brady, de 42 anos, considerado por muitos como o melhor quarterback da história do esporte.

A equipe, que é comandada desde 2000 pelo head coach (treinador principal) Bill Belichick, tem outros nomes importantes no elenco, como o wide receiver (recebedor nas pontas) Julian Edelman e o linebacker (jogador da linha defensiva) Dont’a Hightower, que buscarão suprir a ausência de Rob Gronkowski, tight end (jogador da linha ofensiva que protege o quarterback e recebe bolas dele) que se aposentou ao final da última temporada.

Também na conferência leste, Kansas City Chiefs, do quarterback Patrick Mahomes, e o Cleveland Browns, do quarterback Baker Mayfield e do wide receiver recém-contratado Odell Beckham Jr., são os principais concorrentes dos Patriots ao título de conferência, que garante presença no Super Bowl.

No lado oeste, o atual campeão de conferência e vice-campeão da NFL, Los Angeles Rams, continua forte para a atual temporada. A equipe é muito talentosa, pois conta com jogadores espetaculares tanto no ataque como na defesa. Exemplo disso é a presença do jovem quarterback Jared Goff, do running back Todd Gurley e do defensive tackle (jogador central da linha defensiva) Aaron Donald no elenco. Além disso, a equipe contará com o reforço do linebacker Clay Matthews, que fez história no Green Bay Packers.

New Orleans Saints, do quarterback Drew Brees e do running back Alvin Kamara, e Philadelphia Eagles, do quarterback Carson Wentz, são franquias que podem incomodar os Rams pela hegemonia da conferência oeste.

Somando todas as eras, o Green Bay Packers é o maior campeão da NFL, com 13 títulos. Chicago Bears com 9 e New York Giants com 8 fecham o pódio dos maiores campeões da liga.