PUBLICIDADE
NOTÍCIA

No Limite: relembre a trajetória de Marcelo Zulu, lutador carioca que participou do BBB4

Lutador profissional da modalidade greco-romana, Zulu defendeu a Seleção Brasileira entre 2004 e 2014 e competiu nos Jogos Pan-Americanos de 2007, após sua saída do "BBB4"

23:46 | 28/04/2021
O carioca Marcelo Zulu, de 40 anos, é uma dos participantes do
O carioca Marcelo Zulu, de 40 anos, é uma dos participantes do "No Limite" (Foto: Reprodução/Gshow)

O carioca Marcelo Zulu, de 40 anos, é uma dos participantes do “No Limite”, reality show de sobrevivência que estreará na Rede Globo uma semana após a final do “Big Brother Brasil 21”, na terça-feira, 11 de maio (11/05). O elenco do programa é composto somente por ex-BBBs. Marcelo foi o sétimo eliminado da quarta edição do reality de confinamento.

+ Relembre a trajetória de Íris Stefanelli (BBB7)

Lutador profissional da modalidade greco-romana, Zulu defendeu a Seleção Brasileira entre 2000 e 2014 e competiu nos Jogos Pan-Americanos de 2007, após sua saída do “BBB4”. Ele acumula prêmios e competições, inclusive fora do Brasil, e também tem experiência esportiva com jiu-jitsu e vale-tudo. Atualmente, ele treina atletas da Ultimate Fighting Championship (UFC).

No Limite

Em alguma praia isolada do Ceará ainda não revelada pela Rede Globo, os 16 participantes, incluindo Íris, testarão seus limites físicos e mentais para conseguir conviver com recursos limitados. O programa vai ao ar toda terça-feira, após a novela “Império”, e terá 11 episódios no total.

A apresentação ficará sob responsabilidade de André Marques, que comandará as provas de raciocínio, agilidade e resistência. Com divisões em grupos, os participantes competirão para ganhar recompensas e imunidade. A disputa se tornará individual somente na reta final.

Em cada terça-feira haverá duas provas: uma será a “Prova Regalia”, em que as tribos concorrerão a itens úteis para facilitar o cotidiano, e outra será a “Prova da Imunidade”, cujo grupo vencedor não correrá o risco de sair do jogo.

As eliminações devem acontecer no mesmo formato do programa estadunidense “Survivor”, que é a base do “No Limite”. Os participantes formarão alianças e precisarão votar em pessoas da própria tribo. Por isso, não haverá contribuição do público.