PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Tudo o que você precisa saber sobre a treta do FitDance

Ex-membros reclamam de baixos cachês e salários tóxicos; empresa se defende

12:12 | 24/07/2020
Confira os depoimentos de ex-membros e familiares sobre a empresa dança (Foto: Reprodução/FitDance)
Confira os depoimentos de ex-membros e familiares sobre a empresa dança (Foto: Reprodução/FitDance)

O mundo da dança entrou em parafuso nos últimos dias quando o FitDance se viu envolvido em uma polêmica liderada por ex-membros do grupo. Os dançarinos reclamam de cachês baixos, falta de organização e contratos desfavoráveis. A empresa, por outro lado, diz que as acusações são ‘injustas e fora de contexto’.

LEIA MAIS: 'Esperei muito tempo calada', diz Lore Improta sobre FitDance

Se viu perdido em meio a todo esse bafafá? O CORREIO fez um resumo para você entender melhor o que está acontecendo.

O começo

Tudo começou quando Diogo Pretto, Junior Gomes e Isis Oliveira anunciaram suas saídas do grupo e fizeram longos desabafos nas redes sociais. Diogo, que faz parte da empresa desde sua fundação, fez um longo desabafo em vídeo reclamando principalmente de Fábio Duarte, conhecido como Big Boss, o chefão da companhia.

“Cansei de ver as coisas acontecendo e ficar calado. (...) Eu só quero sair e ficar livre, que me deixem em paz, mas o que estão fazendo não é certo. Eu vejo que a gente é descartável”, desabafou Diogo.

Reclamações dos membros

Baixo cachê: cerca de R$ 50 a R$ 100 por vídeo e R$ 150 por show.

Contratos tóxicos: todo mundo entra no FitDance com exclusividade, não podendo fechar publicidade por fora nem ter um assessor próprio. Isso fazia com que os artistas acabassem perdendo boas oportunidades de trabalho.

Jornada exaustiva: há casos de pessoas que saíam 4h30min para trabalhar mesmo durante a pandemia. Quem se recusava a sair era taxado como ‘gente que não quer trabalhar’.

Amarrados: alguns contratos previam exclusividade de 4 anos com a empresa. Quem descumprisse ou quebrasse teria de pagar R$ 200 mil.

Só FitDance: quando se fala de exclusividade é exclusividade mesmo. Os participantes alegam que não podem gravar conteúdos para o TikTok e IGTV, se apresentarem por conta própria ou fecharem parcerias individuais. Tudo precisaria da chancela do FitDance.

O que dizem os ex-membros

"O ciclo está se encerrando porque eu quero encerrar. Ninguém aguenta mais, a gente fez essa po***. Cresceu juntos. Sabe o que eu acho mais engraçado, é que quando a gente não era nada, era tudo igual, quando cresceu, tudo mudou. A gente não era mais o ator principal, ou a atriz principal", disse Diogo Pretto.

“Só passando para falar para vcs nunca desacreditarem da justiça de Deus. O mundo dá muitas voltas, gente. Eu aguentei muito tempo calada”, disse Lore Improta.

"É uma escravidão. Vou ficar feliz no dia que minha filha sair disso", mãe de ex-dançarina do grupo em áudio divulgado por Leo Dias.

"Tô cansada desse povo que não sabe [das coisas] falar que somos ingratos. Quando entramos e assinamos o contrato, não tem escrito ali o que viveríamos não. Assinamos um contrato contratando a FitDance como nossos empresários. Imaginávamos que iríamos ter todo apoio como artistas, iríamos fechar contratos grandes", afirmou ex-dançarina que não quis se identificar.

O que diz o FitDance

A FitDance é uma das maiores empresas de aulas de dança do mundo e tem como objetivo a formação e valorização dos instrutores. A empresa revolucionou o mercado através de inovação e investimentos contínuos para alavancar a dança e gerar oportunidade para todos através de diversos diretores e dedicação da equipe.

A empresa é responsável pela formação e capacitação de mais de 10 mil instrutores ao redor do mundo.

Utilizamos as redes sociais como uma ferramenta complementar do ensino de coreografias e de divulgação. Entretanto, nos canais oficiais temos um time de dançarinos que sempre ganhou muito destaque no nosso universo.

Tivemos ciência de críticas e ataques de ex-membros desta equipe de dançarinos. Lamentamos, profundamente, a postura de alguns deles que, com o final dos seus respectivos contratos, optaram por externar publicamente insatisfações, que são injustas e sem o contexto completo do histórico da relação.

Existe um grande esforço e custo para manter toda a plataforma de serviços, educação continuada, benefícios e eventos para manter ativa a geração dos milhares de empregos diretos e indiretos, e todo o papel social que temos junto a comunidade.

No caso desses integrantes que fazem parte do time de maior visibilidade nas redes sociais, o investimento com eles já ultrapassou alguns milhões de reais em cachês, sendo que estes valores poderiam ser ainda maiores, caso todos optassem por aproveitar todas as possibilidade de receita existentes na empresa. Muitos outros profissionais da FitDance acabaram aproveitando essas oportunidades e se destacando como coaches e muito mais. Essas receitas têm, sim, valores acima da média do mercado, diferente do que está sendo propagado nas redes sociais, e os cachês podem vir de aulas, ensino nos cursos online e presenciais, workshops, pautas de geração de conteúdo educacional, shows e vídeos. Muitos conseguem aproveitar diversas das oportunidades e pautas de trabalho e outros, por opção, tem foco maior apenas nos vídeos, shows e em projetos pessoais.

Apesar de dezenas de descumprimentos de acordos por parte de alguns deles, a empresa procurou ao máximo, sempre que possível, resolver grande parte disso de maneira amigável e procurando sempre capacitá-los para se desenvolverem nas plataformas que eram o foco principal. O fato de, no decorrer do tempo, alguns dançarinos da equipe não terem conseguido ou terem optado por não focar nas principais oportunidades da empresa fez com que eles quisessem seguir com outros planos.

Muito embora existam insatisfações, vale ressaltar que é notório que o trabalho realizado pela FitDance foi benéfico para que todos alcançassem representatividade em suas carreiras como profissionais da dança. Essa representatividade vai ser aproveitada por todos em suas carreiras. Inclusive, alguns que conseguiram se destacar com as oportunidades dadas, desenvolveram trabalhos, negócios próprios e entenderam que poderiam desenvolver seus planos individuais.

Entendemos, perfeitamente, o desejo de cada um deles em alçar novos vôos, mas entendemos que precisamos seguir o trabalho focado na valorização de um todo. A empresa continua investindo em tecnologia, equipamento, contratação de novos colaboradores, mesmo nesse momento de crise mundial e evitou ao máximo que esse impacto chegasse para todos nossos profissionais.

Ainda assim, evoluímos com os aprendizados e relações e desejamos a todos o mais pleno sucesso nos próximos desafios. Nossa comunidade continua crescendo. Continuamos com dançarinos e professores dedicados e cheios de planos com seus trabalhos.

Equipe FitDance

Do Correio 24 horas para Rede Nordeste