PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Apresentador do Jornal Hoje, Dony de Nuccio pede demissão da Globo após receber dinheiro de banco

Segundo informações do site Notícias da TV, ele teria lucrado R$ 7 milhões produzindo material de treinamento para banco. A prática fere a isenção jornalística exigida pela Globo

15:48 | 01/08/2019
Dony de Nuccio assumiu a vaga de Evaristo Costa no Jornal Hoje em 2017, onde dividia a bancada com Sandra Annenberg
Dony de Nuccio assumiu a vaga de Evaristo Costa no Jornal Hoje em 2017, onde dividia a bancada com Sandra Annenberg(Foto: Reprodução/TV Globo)

O jornalista Dony de Nuccio pediu demissão da Rede Globo. Em e-mail enviado ao diretor-geral de Jornalismo da emissora, Ali Kamel, Dony - que apresentava o Jornal Hoje - afirma que não tinha conhecimento de que os tipos de serviço prestados pela empresa dele contrariavam normas da Globo. Segundo informações do site Notícias da TV, ele teria lucrado R$ 7 milhões, em dois anos, produzindo material de treinamento para o Banco Bradesco.

Dony de Nuccio passou por diversos programas jornalísticos da Globo desde 2011, quando ingressou no grupo. Ele esteve em telejornais locais de São Paulo, no programa Conta Corrente da GloboNews, foi apresentador do Jornal das Dez e assumiu a vaga de Evaristo Costa no Jornal Hoje em 2017, onde dividia a bancada com Sandra Annenberg.

Ao produzir conteúdo para o banco, o jornalista foi de encontro ao seu contrato com a Globo, que exige isenção jornalística. Embora a informação já tivesse sido recebida pela emissora, que entendeu que não houve má-fé do apresentador, apenas o repreendendo por violar suas normas, o próprio jornalista resolveu pedir demissão "frente à recente onda de ataques" que afirmou estar sofrendo.

Segundo Dony, na maioria das vezes, ele mesmo não tratava de valores com contratantes, mas reconheceu que, em determinado momento, chegou a negociar "cifras e projetos". No e-mail de demissão, Dony afirmou que alguns serviços prestados pela Prime Talk Produções e Assessoria LTDA podem ser interpretados "como assessoria de imprensa", o que "ultrapassa os limites do que a Globo espera de seus jornalistas".

O apresentador também disse que há indícios de criminosa invasão de seus computadores, arquivos e mensagens. "Jamais tive o intuito de burlar regras ou obter benefício que julgasse incompatível com as funções que ocupava na emissora (isso sim, seria incompatível com a minha história pessoal). Trabalhei, duro e dobrado, para complementar a renda, fora do horário da Globo, e dentro dos limites que ao meu ver eram compatíveis e aceitáveis. Se errei, não foi com dolo, e humildemente peço desculpas".