Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Clínicas particulares no Brasil passam a ofertar vacina contra Covid-19

Associação Brasileira das Clínicas de Vacinas afirma ter conhecimento do início da aplicação de doses em clínicas privadas de São Paulo e Belo Horizonte

Com o fim do estado de Emergência em Saúde Pública de Importância Nacional (ESPIN), causado pela pandemia de Covid-19 no Brasil, clínicas particulares em todo o País podem ofertar doses de vacinas contra Covid-19 desde o último dia 22 de maio. De acordo com a Associação Brasileira das Clínicas de Vacinas (ABCVAC), pelo menos dois estados brasileiros já deram início ao processo de vacinação privada: São Paulo e Belo Horizonte.

Segundo a nota da ABCVAC, o imunizante que passa a ser disponibilizado na rede particular é o mesmo produzido pela AstraZeneca e oferecido de forma gratuita pela rede pública. As vacinas devem custar entre R$ 300 e R$ 350. A nota garante, ainda, que todas as vacinas aplicadas constarão nos dados do Ministério da Saúde.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Questionada se havia uma previsão de quando os imunizantes estariam disponíveis em clínicas do Ceará, a assessoria de comunicação da ABCVAC informou que a Associação não realiza o controle das compras realizadas pelas clínicas.

O POVO entrou em contato com, pelo menos, cinco redes privadas de vacinação na Capital cearense, e nenhuma das clínicas estava com doses disponíveis contra Covid-19 e também não possuíam um prazo para iniciar o processo.

Quem pode ser imunizado contra a Covid na rede particular?

A ABCVAC alerta que as clínicas devem checar as doses que o paciente já tomou e passar as orientações necessárias sobre a imunização. Em relação à 4ª dose (D4), pacientes de 18 a 60 anos que não estejam elegíveis nas orientações do Plano Nacional de Imunização (PNI) devem aguardar orientação médica para reforço.

Já para receber a 3ª dose (D3), basta que o interessado possua idade superior a 18 anos e tenha, pelo menos, quatro meses desde a aplicação da segunda dose (D2).

Mesmo com o início da vacinação contra Covid-19 em clínicas privadas, os imunizantes continuarão disponíveis na rede pública. De acordo com o Vacinônetro, da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), mais de 20,3 milhões de doses já foram aplicadas no Estado, até o último dia 31 de maio.

Na Capital cearense, a D4 está liberada para maiores de 60 anos em Fortaleza desde o último dia 17 de maio, sem a necessidade de agendamento prévio. Basta que o interessado tenha recebido a terceira dose há, pelo menos, quatro meses.

Para adolescentes entre 12 e 17 anos, a D3 vacina ficou disponível na rede pública no último dia 31 de maio. Assim como no caso dos idosos, o grupo não precisa de agendamento para receber o imunizante.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar