Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Putin se isola após casos de Covid-19 em seu entorno

Com isso, Putin não participará, presencialmente, de uma cúpula regional no Tadjiquistão.
08:20 | Set. 14, 2021
Autor AFP
Foto do autor
AFP Jornal
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O presidente russo, Vladimir Putin, deve se isolar, após a descoberta de casos de covid-19 em seu entorno - anunciou o Kremlin nesta terça-feira (14).

 

"Devido a casos identificados de coronavírus em seu entorno, Vladimir Putin deve respeitar um regime de autoisolamento durante um certo período de tempo", declarou a presidência, em um comunicado, acrescentando que ele está bem.

 

"O presidente está em perfeito estado de saúde", afirmou seu porta-voz, Dmitri Peskov, destacando que Putin, que está vacinado, foi submetido a um teste de detecção do vírus. O resultado não foi divulgado pelo Kremlin.

 

Com isso, Putin não participará, presencialmente, de uma cúpula regional no Tadjiquistão.

 


Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Covid-19: spray nasal feito no Brasil pode estar disponível até 2022

Saúde
06:58 | Set. 14, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Uma vacina em forma de spray nasal contra a covid-19 está sendo desenvolvida por pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP), em parceria com a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Em fase de estudos, o novo imunizante promete ser de baixo custo, proteger contra variantes e bloquear o novo vírus ainda no nariz. A expectativa é que ela esteja disponível até o fim de 2022.

“Você já começa a induzir resposta no epitélio nasal e induzir a produção de um anticorpo que é muito importante nas mucosas, que são as IgAs [Imunoglobulina A] secretórias”, explica o coordenador do estudo, Jorge Elias Kalil Filho, professor da Faculdade de Medicina da USP e chefe do Laboratório de Imunologia Clínica e Alergia do Hospital das Clínicas.

Além de inovar na forma de inoculação do vírus, com aplicação pelo nariz e não por via intramuscular, o imunizante também se diferencia no antígeno. “Em vez de usarmos a Spike do vírus de Wuhan, nós vamos utilizar só a RBD [domínio receptor obrigatório, pela sigla em inglês] das quatro variantes de preocupação”, diz Kalil Filho. De acordo com a Fiocruz, a proteína Spike é associada à capacidade de entrada do patógeno nas células humanas e é um dos principais alvos dos anticorpos neutralizantes produzidos pelo organismo para bloquear o vírus.

O pesquisador explica ainda que o antígeno vai conter pedaços de proteínas que estimulem a resposta celular mais duradoura do que aquela mediada pelos anticorpos neutralizantes. “Nós estudamos 220 pessoas que tiveram a doença, estudamos também por informática todo o genoma do vírus e selecionamos fragmentos que teoricamente induzem uma boa resposta celular”, acrescenta. 

O imunizante, portanto, deve incluir fragmentos que são capazes de matar a célula, caso ela seja infectada. “Se o vírus entrar na célula, a única coisa que você pode fazer é usar as células chamadas CD8 citotóxicas, que matam a célula infectada”, afirma Kalil Filho. O spray deve incluir, portanto, os chamados linfócitos T CD8+ citotóxicos, que matam células doentes, e os linfócitos T CD4+, que auxiliam na produção de anticorpos e nas respostas citotóxicas.

Outra inovação do produto é a criação de um tipo de nanopartícula que adere à mucosa do nariz. “A mucosa tem muitos cílios que não deixam nada aderir, mas desenvolvemos um jeito de colocar uma formulação específica em que a gente induz uma resposta de mucosa importante”, acrescenta o médico.

Sobre o custo, Kalil Filho diz que deve ficar em torno de US$ 5, mas que ainda são necessárias outras análises relacionadas ao rendimento. “Nós temos alguns laboratórios que produzem proteínas recombinantes, mas ainda está muito no início, então estamos tratando com as empresas farmacêuticas pra ver se a gente acha alguma que consiga produzir com boa quantidade”.

A vacina spray nasal pode funcionar como um reforço para as doses já existentes e aplicadas por via intramuscular. “Provavelmente, quando o spray estiver pronto, boa parte da população mundial vai estar vacinada. Eu acredito que ele vai ser, sobretudo, como uma dose de reforço”, afirmou o médico. 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Técnicos de CE, PI e RN recebem curso online da Unicef sobre saúde mental

Curso online e gratuito
02:23 | Set. 14, 2021
Autor Marília Serpa
Foto do autor
Marília Serpa Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Um curso online e gratuito sobre saúde mental na infância e na adolescência voltado para técnicos municipais do Ceará, Piauí e Rio Grande do Norte receberá inscrições a partir desta quarta-feira, 15, pelo Selo Unicef. Tendo como tema “Desenvolvimento integral, saúde mental e bem-estar de crianças e adolescentes na segunda década da vida”, as palestras vão acontecer em às quartas-feiras, das 9 horas às 11h30min, com turmas divididas de acordo com os estados.

Cada município deve cadastrar, até o dia 17 de setembro, cinco profissionais de diferentes áreas, sendo psicólogo(a), assistente social, pedagogo(a), articulador(a) do Selo Unicef e mobilizador(a) de adolescentes por meio de inscrições feitas pela equipe do Selo Unicef de cada município através do formulário disponível neste link. No total, técnicos de 523 municípios irão participar do curso.


A facilitação do curso ficará a cargo da psicóloga Alessandra Xavier, professora da Universidade Estadual do Ceará (Uece) e integrante do programa Vidas Preservadas, iniciativa do Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE). O tema "saúde mental" passou a ser uma das bases de trabalho da atual edição do Selo Unicef, que vai de 2021 a 2124, levando em conta que foi um dos pontos mais afetados durante a pandemia da Covid-19, englobando o público mais jovem.

Mais informações no site do Selo Unicef.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Brasil atinge a marca de 21 milhões de casos de contágio pela Covid-19

Coronavírus
22:40 | Set. 13, 2021
Autor Lara Vieira
Foto do autor
Lara Vieira Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Um total de 215 mortes em decorrência da Covid-19 foram registradas, no Brasil, nas últimas 24 horas. Os dados foram divulgados pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde nesta segunda-feira, 13, às 18 horas. Durante o período, também foram notificados 6.645 novos casos de contágio pela doença. Atualmente, o Brasil registra um total 21.006.424 casos de contágio, além de acumular 587.066 vítimas da doença.

Nos últimos sete dias, a média móvel de óbitos se encontra em 465, enquanto que a média de casos se encontra em 15.213. Em número total de mortes, São Paulo continua como o estado brasileiro com maior registros, com 147.258 casos. Em seguida, vem os estados do Rio de Janeiro, com 63.880 óbitos, e Minas Gerais, com 53.698.

A taxa de letalidade em todo território nacional é de 2,8%. Dentre os estados, o maior índice registrado é no Rio de Janeiro, com taxa de 5,5%. O Ceará é o segundo estado do Nordeste e o sétimo do Brasil a registrar mais mortes desde o início da pandemia. Nesta segunda-feira, 13, a plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), registrou um total de 24.132 óbitos e 934.512 casos da doença.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Covid-19: Brasil passa dos 21 milhões de casos acumulados

Saúde
20:13 | Set. 13, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Brasil ultrapassou a marca dos 21 milhões de pessoas infectadas pela covid-19 nesta segunda-feira (13). Entre ontem e hoje, foram registrados 6.645 novos casos, chegando a um total de 21.006.424.

Ainda há 342.625 casos em acompanhamento. O nome se refere ao número de casos ativos de pessoas que tiveram o diagnóstico confirmado e estão sendo atendidas por equipes de saúde ou se recuperando em casa.

O total de pessoas que perderam a vida para a pandemia alcançou 587.066 pessoas. Nas últimas 24 horas, foram confirmadas 215 mortes em decorrência da doença. 

Ainda há 3.437 falecimentos em investigação. Nessas situações, os diagnósticos dependem de resultados de exames concluídos apenas após o paciente já ter morrido.

O número de pessoas que se recuperaram da covid-19 chegou a 20.076.733. Isso corresponde a 95,6% das pessoas infectadas no Brasil desde o início da pandemia.

 Os dados estão no balanço diário do Ministério da Saúde, divulgado na noite desta segunda-feira (13). A atualização não trouxe dados do Rio de Janeiro e Ceará.

Os dados em geral são menores aos domingos e segundas-feiras em razão da dificuldade de alimentação do sistema pelas secretarias estaduais de Saúde. Já às terças-feiras os resultados tendem a ser maiores pela regularização dos registros acumulados durante o fim de semana.

Estados

As unidades da Federação com maior número de mortes são: São Paulo (147.258), Rio de Janeiro (63.880), Minas Gerais (53.698), Paraná (37.116) e Rio Grande do Sul (34.462). Na parte de baixo da lista estão Acre (1.816), Amapá (1.962), Roraima (1.968), Tocantins (3.716) e Sergipe (6.003).

São Paulo também lidera no número de casos, com 4.300.644, seguido de Minas Gerais (2.097.095) e Paraná (1.479.670). As unidades da Federação com menor número de casos são Acre (87.914), Amapá (122.603) e Roraima (126.855).

Ministério da Saúde divulga atualização de casos de covid-19 no dia 13 de setembro de 2021
Ministério da Saúde divulga atualização de casos de covid-19 no dia 13 de setembro de 2021 - 13/09/2021/Divulgação/Ministério da Saúde

Vacinação

Segundo a última atualização do painel de vacinação do Ministério da Saúde, o sistema marcava 210,5 milhões de doses aplicadas, sendo 137,7 milhões da primeira dose e 72,7 milhões da segunda dose ou dose única. Nas últimas 24 horas, foram aplicadas 430,6 mil de doses. 

Quando considerados apenas os dados consolidados no sistema do Programa Nacional de Imunizações (PNI), foram aplicados 200,4 milhões de doses, sendo 131,3 milhões da primeira dose e 69 milhões da segunda dose ou dose única. Há 10 milhões de doses aplicadas que aguardam registro, sendo 6,2 milhões da primeira dose e 3,7 milhões da segunda dose ou dose única.

Ainda conforme o painel de vacinação, foram distribuídos 259,4 milhões de doses, sendo entregues 256,4 milhões de doses e 3 milhões de doses que foram enviadas e estão em processo de distribuição.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Rio vacina esta semana adolescentes de 14 anos de idade

Saúde
19:58 | Set. 13, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro (SMS) anunciou hoje (13) que a imunização dos adolescentes de 14 anos contra a covid-19 ocorrerá nos próximos dias 15 e 16, para meninas, e no dia 17, para meninos.

O calendário para as outras faixas etárias de adolescentes (13 e 12 anos) será divulgado tão logo o Ministério da Saúde envie para a cidade, com quantidade suficiente de doses, uma nova remessa da Pfizer, a única vacina liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para esse público.

A aplicação da dose de reforço (DR) para os idosos continua esta semana, seguindo calendário anunciado anteriormente. Amanhã (14), receberão a DR idosos de 94 anos ou mais; na quarta-feira (15), 93 anos ou mais; na quinta (16), 92 anos ou mais; na sexta-feira (17), 91 anos ou mais; e no sábado (18), 90 anos ou mais.

Dose de reforço

A Secretaria informou à Agência Brasil que, “preferencialmente, a dose de reforço deve ser aplicada no mesmo posto onde a pessoa tomou as demais (doses). Não serão aplicadas doses de reforço em pessoas que completaram o esquema inicial em outro município. Independentemente da vacina tomada nas duas primeiras doses, para a DR são usadas vacinas da Pfizer e da AstraZeneca, dependendo da disponibilidade”, esclareceu.

Ainda segundo a Secretaria Municipal de Saúde, apenas os idosos que tomaram o esquema vacinal inicial, que engloba a primeira e segunda doses, no Rio, poderão tomar a dose de reforço na cidade. O intervalo da segunda dose para a DR deve ser de, pelo menos, três meses.

Esta semana está sendo realizada também a repescagem de primeira dose (D1) para pessoas com deficiência (PcD), gestantes, puérperas e lactantes com 12 anos ou mais, além do público a partir de 22 anos, preferencialmente, no período da tarde. O atendimento para aplicação da segunda dose (D2) é feito conforme a data anotada no comprovante da D1.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags