Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Ministério admite que 9,5 milhões de doses de vacinas estão paradas em centro de distribuição

Lotes tratam-se de doses da Pfizer e CoronoVac. Prefeitos e governadores já haviam criticados o atraso da doses durante a semana
16:25 | Ago. 12, 2021
Autor Mirla Nobre
Foto do autor
Mirla Nobre Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Ministério da Saúde admitiu que 9,5 milhões de doses da Pfizer e CoronoVac estão paradas no centro de distribuição, localizado em Guarulhos, São Paulo. A pasta ainda informou nesta quinta-feira, 12, que dessa quantidade, 3,6 milhões de doses serão liberadas para o envio aos estados, com previsão de chegada dos imunizantes nas regiões no fim de semana.

O restante das vacinas, cerca de 5,9 milhões de doses, ainda aguardam liberação do Instituto Nacional de Controle de Qualidade e da Anvisa, disse o Ministério, de acordo com o portal G1. O ritmo da distribuição das vacinas pela pasta federal já havia sido criticado por prefeitos e governadores nessa quarta-feira, 11. No Rio de Janeiro, o prefeito Eduardo Paes, informou que a vacinação está paralisada desde ontem por falta de doses. 

LEIA MAIS | Camilo autoriza liberação de recursos para aquisição direta da CoronaVac

 Lote de 37 mil doses é pouco para retomar vacinação no Rio, diz SMS

Pelas redes sociais, o governador de São Paulo, João Doria, comentou que o Estado recebeu doses abaixo do que, segundo ele, teria direito. “O Ministério da Saúde não enviou as doses que prometeu enviar a São Paulo. Quero repetir aqui: o Ministério da Saúde descumpriu o acordo feito verbalmente comigo e com o doutor Jean Gorinchteyn, feito pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. Não cumpriu e não entregou as doses da vacina da Pfizer que havia prometido, as 228 mil doses”, relatou o governador.

No Pará, o governador Helder Barbalho também cobrou o Ministério da Saúde. Segundo Helder, o Estado é o segundo com menor número de imunizantes em relação ao tamanho da população. O gestor ainda destacou que pediu em julho ao Ministério da Saúde uma recomposição de vacinas para que o Pará receba a mesma quantidade que os outros estados.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Com agendamento de pessoas de 20 e 21 anos, Sarto e vacinação em Fortaleza viralizam

Ceará
23:20 | Ago. 11, 2021
Autor Lara Vieira
Foto do autor
Lara Vieira Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

No noite desta quarta-feira, 11, diversos jovens de Fortaleza foram comtemplados com o agendamento da primeira dose (D1) da vacina contra a Covid-19. De acordo com relatos, devem receber o imunizante nos próximos dias pessoas nascidas no ano de 2000 e nos primeiros meses de 2001. Os dados referentes à vacinação podem ser conferidos através do site Vacine Já e pelo site Coronavírus da Prefeitura de Fortaleza

Com a divulgação da novidade, não demorou para que os jovens expressassem nas redes sociais a emoção de serem imunizados. Por conta disso, o nome do prefeito de Fortaleza, José Sarto, ficou entre os principais assuntos no Twitter. Confira algumas das mensagens publicadas pelos internautas: 

Outros utilizaram a rede social para fazer queixa à demora da ampliação da campanha de vacinação em municípios do interior do Estado. 

As listas referentes a faixa etária, no entanto, ainda não foram divulgadas no site oficial da Prefeitura de Fortaleza já que a Capital, por enquanto, concentra a imunização em pessoas nascidas até abril de 1999. No momento da imunização, é necessário apresentar documento de identidade com foto, CPF, Cartão Nacional de Saúde (CNS) e comprovante de residência. No caso de segunda dose, possuir em mãos o cartão de vacinação.

Também nesta quarta-feira, o prefeito Sarto divulgou que a Capital alcançou à marca de 80% da população adulta vacinada com a D1, quase sete meses após o inicio da campanha de vacinação contra a Covid-19. 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Indícios de irregularidade na aplicação de vacinas em Paracuru foram esclarecidos, diz CGU

Coronavírus
22:19 | Ago. 11, 2021
Autor Leonardo Maia
Foto do autor
Leonardo Maia Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A Controladoria Geral da União (CGU) considerou que “significativa parcela” dos indícios de fragilidade na aplicação das vacinas contra a Covid-19 no município de Paracuru, no Litoral Oeste do Ceará, foram esclarecidos pela administração local. A cidade foi a segunda com mais registros (230) em investigação do órgão federal de pessoas suspeitas de terem se vacinado indevidamente no Estado.

O principal problema entre as suspeitas, conforme analisou a CGU, foi em relação a desatualização do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). A recomendação do órgão é que o município trabalhe nas modificações necessárias no sistema em um prazo de 60 dias e informe à CGU. Outros documentos também devem ser enviados, a exemplo da portaria de cessão e/ou folha de ponto, para os casos de servidores cedidos para unidades vinculadas à Secretaria Municipal de Saúde.

Ao O POVO, o procurador-geral de Paracuru, Guerreiro Neto, disse que o município já vem cumprindo as recomendações feitas pela CGU e dará continuidade a esse trabalho. Ele enfatizou que, após o levantamento inicial do órgão, a administração concentrou esforços durante dois meses para investigar internamente as suspeitas e contestar a denúncia. “A campanha de vacinação vem acontecendo de forma muito transparente”, garante o procurador.

Na época da divulgação da investigação, no fim de março deste ano, o prefeito de Paracuru, Wembley Beim (PDT), considerou que o processo foi um “grande equívoco” do órgão. “Todo o trabalho de vacinação tem sido feito com muito zelo, seriedade e transparência. Existe um grande rigor e controle no trabalho de vacinação. Amanhã (24/03), adiantaremos todas as informações relativas à vacinação para o Ministério Público”, argumentou.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ceará recebe mais de 176 mil vacinas contra a Covid-19 nesta quarta

VACINA
08:32 | Ago. 04, 2021
Autor Marília Freitas
Foto do autor
Marília Freitas Autor
Ver perfil do autor
Tipo

O Ceará recebe nesta quarta-feira, 4, mais um total de 176.260 doses de vacinas contra a Covid-19. Os lotes de CoronaVac e Pfizer estão previstos para chegar em horários diferentes. Informação foi divulgada por Camilo Santana (PT) em suas redes sociais na manhã de hoje.

Serão dois lotes, um com 61.600 doses da CoronaVac, com chegada prevista às 12h; e outro com 114.600 doses da Pfizer, com previsão de pouso às 19h20 no Aeroporto de Fortaleza. As vacinas da Pfizer serão utilizadas como primeira dose, enquanto o lote da CoronaVac será aplicada como D1 e D2.

A última remessa de vacinas recebidas pelo Ceará desembarcou na manhã do último sábado, 31. Chegaram 173.160 doses da Pfizer e outras 143.200 doses da CoronaVac/Butantan. Segundo Camilo, o lote foi "um pouco menor" do que o previsto inicialmente pelo Ministério da Saúde, que era um total de 319.960 doses. Segundo a pasta federal, a quantidade será recompensada em próximas remessas.

Estes foram, respectivamente, o 51º e o 52º lote recebidos pelo Ceará. Até então, o Ceará soma 6.859.228 doses recebidas - sem o lote de hoje contabilizado.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Ceará recebe quase meio milhão de vacinas contra Covid-19 nesta semana

IMUNIZAÇÃO
17:46 | Jul. 25, 2021
Autor Redação O POVO
Foto do autor
Redação O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Atualizada às 18h11min

O Ceará receberá mais 493.750 doses contra a Covid-19 até o fim desta semana, conforme anunciou nas redes sociais o governador Camilo Santana (PT). Serão 236.950 da Oxford/AstraZeneca, 93.600 da Pfizer/BioNTech e 163.200 da CoronaVac. Ainda não há dias e horários específicos para a chegada dos imunizantes, que devem ser informados pelo Ministério da Saúde (MS) nos próximos dias.

 

 

 

Até a última semana, cerca de seis milhões de vacinas foram recebidas pelo Estado por meio do Plano Nacional de Imunizações (PNI), coordenado pelo MS. No total, foram entregues 51 lotes dos imunizantes desde o dia 18 de janeiro deste ano. Em relação à vacina russa Sputnik V, adquirida de forma direta, o Estado aguarda que as doses cheguem no Nordeste na próxima quarta-feira, 28.

Total de1.511.201 de cearenses já completaram o esquema vacinal da vacina contra a Covid-19, tomando as duas doses contra a doença ou o imunizante único, no caso da Janssen. Esse processo garante uma proteção mais forte contra a doença, conforme preconizam especialistas de saúde. Com pelo menos uma das doses, o número de vacinados no Ceará é de cerca 3,7 milhões.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Covid-19: 5ª remessa de um milhão de vacinas da Pfizer chega ao Brasil

IMUNIZAÇÃO
16:14 | Jul. 25, 2021
Autor Leonardo Maia
Foto do autor
Leonardo Maia Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A farmacêutica Pfizer/BioNTech entregou, na manhã deste domingo, 25, 1,053 milhão de doses de imunizantes contra a Covid-19 para o Brasil, no Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP). Este é o quinto lote entregue para o País em um intervalo de cinco dias, conforme esquema de entregas que a Pfizer anunciou no início desta semana. A pretensão da empresa é que novos lotes cheguem diariamente até o dia 1° de agosto, totalizando 13 voos e mais de 13 milhões de doses entregues.

Para a tarde deste domingo, há a expectativa de que mais um lote chegue ao Brasil, também com a quantidade de cerca de um milhão de vacinas. Contabilizando essas duas remessas, o número de imunizantes entregues chega a 23,3 milhões dos 200 milhões contratados pelo governo federal até o fim deste ano. Nos meses de agosto e setembro, deve haver ainda uma intensificação no número entregas, com previsão de cerca de 70 milhões de doses no período. A Pfizer diz que cumprirá o cronograma contratado.

A plataforma tecnológica por trás da vacina da Pfizer é considerada inovadora, já que as doses contêm apenas partículas de RNA mensageiro do coronavírus produzidas sinteticamente. Esse ácido nucleico sintético leva informações que permitem que as células humanas repliquem a proteína S e a reconheçam para preparar as defesas do organismo.

A vacina da Pfizer requer a aplicação de duas doses, cujo intervalo sugerido pelo fabricante é de 21 dias. Apesar disso, países como o Brasil, o Reino Unido e o Canadá decidiram estender esse prazo, com base em pesquisas que apontam que a vacina já produz imunidade na primeira dose. Mesmo assim, a segunda dose continua a ser necessária para que a vacina atinja a proteção ideal, e, no caso do Brasil, o prazo para recebê-la é de até 12 semanas depois da primeira.

Demais vacinas contra a Covid-19

Além da Pfizer, outras três vacinas contra o Covid-19 compõem o Plano Nacional de Imunizações (PNI), coordenado pelo Ministério da Saúde (MS). São elas: Coronavac/Sinovac. Oxford/Astrazeneca e Janssen. O imunizante russo Sputnik, apesar de ter recebido autorização excepcional de importação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), ainda não foi incorporado ao programa.

No total, 154.710.822 de vacinas contra o novo coronavírus foram entregues pelo governo federal aos estados e ao Distrito Federal, de acordo com dados deste domingo do LocalizaSUS, plataforma do MS que compila os dados da vacinação de todo o País. Das doses distribuídas, cerca de 85% (131 milhões) já foram aplicadas pelos entes federativos. No Ceará, 51 lotes de vacina contra a doença já foram recebidos, o que corresponde a aproximadamente seis milhões de doses.

(Com informações da Agência Brasil)

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags